FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Zero a 300

Este bonito Corvette Sting Ray 1963 conversível está à venda!

Há quem diga que a história do Corvette começou de verdade somente em 1956, quando ele ganhou um motor V8. Mas foi na segunda geração, lançada em 1962 que ele despontou como o verdadeiro esportivo americano. Com visual de supercarro e motores V8 de até sete litros, ele conquistou seu espaço entre os grandes esportivos do planeta. E é exatamente um Corvette 1963 nosso Achado meio Perdido de hoje, anunciado no GT40.

O Corvette de segunda geração, o C2, foi o responsável por transformar o esportivo americano em um ícone. O desenho da carroceria ficou mais imponente e quase futurista, e o fraco seis-em-linha usado nas primeiras versões do modelo anterior foi aposentado – agora, todos os motores disponíveis eram V8. O motor ficava mais recuado, quase em posição central-dianteira, reduzindo o peso sobre as rodas dianteiras e tornando a direção mais leve, enquanto a traseira ficou mais pesada, melhorando significativamente a tração e o equilíbrio dinâmico do carro. O Corvette C2 foi o primeiro da família a usar o nome Sting Ray, e o primeiro carro americano a usar faróis escamoteáveis desde o DeSoto dos anos 40.

img_206636_4_fc604b42-9ea6-497c-a741-3e291c7894d4 img_206660_4_fc604b42-9ea6-497c-a741-3e291c7894d4

O interior era uma reinterpretação da cabine da primeira geração, com o painel de instrumentos bipartido e dois “cockpits” bem demarcados pelo console central. Havia diversos detalhes interessantes, como um enorme porta-luvas, rádio instalado na vertical e um cinzeiro com tampa ao lado da alavanca de câmbio, que de série era manual de três marchas, mas opcionalmente podia ser manual de quatro marchas ou automático Powerglide, de duas marchas. Era oferecido como opcional um sistema automático para a capota no modelo conversível.

O Corvette também usava um chassi completamente novo, com entre-eixos mais curto, além de tambores de freio mais largos na dianteira e suspensão independente com feixe de molas semielípticas na traseira, substituindo o antigo eixo rígido. O resultado era um carro de comportamento dinâmico bem mais afiado.

img_206696_4_fc604b42-9ea6-497c-a741-3e291c7894d4

Em 1963 todo Corvette que saía da fábrica da Chevrolet tinha motor V8 de 327 pol³ (5,4 litros), com potência que variava entre 250, 300, 340 e 360 cv. A força do motor dependia do sistema de alimentação – a versão mais potente, de 360 cv, tinha injeção mecânica de combustível Rochester, enquanto os outros usavam carburadores de de diferentes especificações. Em 1963 foram fabricados 10.919 exemplares do cupê e 10.594 do conversível.

O Achado de hoje é um dos conversíveis. À venda na Private Collections, em São Paulo/SP, o carro tem câmbio automático, carroceria branca Ermine White e interior revestido de couro vermelho. O carro foi restaurado em 2009 pela Phoenix Studio, uma das mais conhecidas oficinas de restauração especializadas em muscle cars do Brasil. Desde então levou uma vida pacata, saindo apenas para ocasionais passeios, e por conta disto está muito bem conservado. A capota de vinil branco é nova e não apresenta infiltrações ou rasgos.

img_206676_4_fc604b42-9ea6-497c-a741-3e291c7894d4 img_206692_4_fc604b42-9ea6-497c-a741-3e291c7894d4

Segundo o anunciante, o motor V8 327 recebeu um carburador Quadrijet, de corpo quádrulo, e o desempenho “melhorou bastante”. No mais, toda a mecânica do carro está nos padrões originais, certamente proporciona uma experiência bastante próxima da que se tinha ao guiar o carro na década de 60.

img_206716_4_fc604b42-9ea6-497c-a741-3e291c7894d4 img_206672_4_fc604b42-9ea6-497c-a741-3e291c7894d4

Os pneus também são novos, da BF Goodrich, mas têm banda branca e visual fiel ao dos pneus diagonais da época.

Sem upgrades mecânicos e sem alterações estéticas, este Corvette Sting Ray 1963 não é um carro para levar ao limite, é um carro para curtir ocasionalmente. Se você ficou interessado, pode clicar aqui para acessar o anúncio e e pegar os contatos do anunciante.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

 

Matérias relacionadas

Ford F-150 SVT Lightning: a picape com motor de muscle car que arrepiou nos anos 1990

Dalmo Hernandes

Lamborghini SVJ em Nürburgring: destrinchamos o carro e a volta recorde de 6:44,97

Leonardo Contesini

BMW mostra o novo Série 8, Bruce Dickinson (sim, do Iron Maiden) de Porsche em Interlagos, Mercedes-AMG GT ganha mais uma versão roadster e mais!

Leonardo Contesini