A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Este cara está construindo um Porsche 356 com motor V8 Audi central-traseiro – e é totalmente insano

Esta é uma história que começa em janeiro de 2010, quando um australiano que vivia em Hong Kong comprou uma carroceria de Porsche 356 para começar um novo projeto. Seu nome é Grant, mas nos fóruns automotivos ele é conhecido como “Crafty”, termo que, no inglês, pode ser usado para se referir a alguém com muita habilidade em trabalhos manuais e artesanais.

Como estamos falando de um cara que está colocando o V8 de 360 cv de um Audi S5 atrás dos bancos de um clássico Porsche 356 1958, o apelido faz muito sentido. E, de fato, o nível do projeto é impressionante!

Grant já tem bastante experiência em ter carros incríveis: em 2005, ele era dono de um Ultima GTR, superesportivo britânico que pode ser adquirido como kit car e receber o conjunto mecânico à escolha do dono – o dele tinha um V8 Chevrolet LS2 com compressor mecânico e 580 cv.

Ele também é dono de um Pontiac Tempest 1965 pro-touring, com um V8 de 550 cv feito sob medida, transmissão manual Tremec de cinco marchas e suspensão independente nas quatro rodas.

Mas o projeto que nos interessa mesmo, o Porsche 356 V8, foi comprado no Texas e enviado de navio para Hong Kong em abril de 2010. Era só uma carroceria bruta, sem suspensão, componentes internos nem sistema de direção, mas Grant já tinha definido o coração do projeto muito antes de encontrar o carro certo.

porsche-356-v8 (5) porsche-356-v8 (4)

Desembarcando em Hong Kong

Ele queria um novo projeto que exigisse muito mais dedicação e fabricação sob medida, e somou este desejo com a vontade de usar um V8 Audi em algum carro – seu daily driver é um S4 V8 e ele conhecia muito bem as qualidades do motor.

porsche-356-v8 (8)

Além disso, Grant trabalha em uma empresa de construção civil que tem um scanner a laser. Realizar um engine swap colocando um V8 na porção central-traseira de um Porsche 356 exigiria diversas modificações na estrutura do carro, e seria a desculpa perfeita para usar o scanner a laser em alguma coisa fora do trabalho, algo que Grant queria fazer havia muito tempo. Agora, falando sério, quem precisa de tantos motivos para colocar em prática uma ideia tão absurdamente legal?

porsche-356-v8 (28)

Escaneando a carroceria a laser

Obviamente a tarefa não foi fácil – quer dizer, não está sendo, pois o projeto foi retomado em meados do ano passado após um hiato de dois anos. De lá para cá, muita coisa aconteceu.

porsche-356-v8 (29)

De cara, Grant sabia que para colocar qualquer V8 moderno em um 356, algumas alterações drásticas seriam fundamentais. Depois de realizar alguns cálculos, ele determinou que precisaria deslocar os arcos de roda traseiros cerca de dez centímetros para trás a fim de alinhar motor e câmbio. Aliás depois de encontrar um V8 de 4,2 litros vindo de um RS4 de segunda geração (B7, produzida entre 2006 e 2008).

Com 420 cv, seria o motor perfeito para transformar o 356 em uma cadeira elétrica se não tivesse uma rachadura no bloco. Depois de procurar um pouco mais, ele encontrou outro V8 Audi de 4,2 litros, desta vez vindo de um S5.

porsche-356-v8 (10)

Sem o “R” que caracteriza os modelos de alto desempenho mais nervosos de Ingolstadt, o V8 era um pouco menos potente – 354 cv a 7.000 rpm, 44,9 mkgf de torque a 3.500 rpm, quase quatro vezes mais do que os 90 cv  do flat-4 1600 original –, mas em compensação, virtualmente zero km, com apenas 124 km rodados. Além disso, Grant decidiu que vai colocar um compressor mecânico no topo do V8.

Se, originalmente, a transmissão do S5 era uma caixa manual de seis marchas e levava a potência para as quatro rodas, Grant decidiu trocá-la pelo câmbio 01x, também manual de seis marchas, usado antigamente nos Audi A4 e A6 a diesel. Feita para aguentar quantidades descomunais de torque, esta caixa é muito usada por fabricantes de réplicas do Ford GT40 por sua robustez e seu tamanho relativamente compacto.

porsche-356-v8 (9)

Como dá para ver nas fotos, depois de alguns ajustes no chassi e de um belo corte na parede de fogo, o conjunto mecânico caiu como uma luva no 356 depois. E as caixas de roda nem precisaram ser deslocadas para trás –  em vez disso, os bancos foram para a frente. Prático, não?

porsche-356-v8 (25) porsche-356-v8 (26)

O Audi S5 também forneceu os freios a disco para as quatro rodas, com pinças pretas que trazem a inscrição RS. E aí está um dos detalhes mais legais do carro: a sigla RS é usada pela Audi e pela Porsche é só lembrar do 911 GT3 RS e, é claro, da épica perua RS2 Avant, que foi feita pela Audi em parceria com a Porsche. Foi a maneira que Grant encontrou de juntar as duas companhias em seu 356.

porsche-356-v8 (6)

Depois de algumas experimentações para encaixar o motor na carroceria, Grant finalmente conseguiu fazer tudo se encaixar direitinho e, assim, começou a trabalhar na cobertura do motor, que será feita de metal e forrada com couro bovino natural (incluindo a pelagem!), que também será usado para forrar os bancos concha de alumínio.

Àquela altura já haviam se passado onze meses, e depois disso Grant desapareceu do fórum onde contava a história do projeto, Kustom Coach Werks. Até que, em março do ano passado, uma nova atualização foi postada: a casa que Grant alugava em Hong Kong foi vendida e ele teve que se mudar para uma casa sem garagem, e ele ainda ficou sobrecarregado em seu emprego.

porsche-356-v8 (18)

Sendo assim, decidiu enviar o carro de volta para os EUA, para que a oficina que o havia ajudado com seus dois projetos anteriores também cuidasse do 356. A Schwartz Performance, de Jeff Schwartz, fica em Chicago, e ficou responsável por fabricar um chassi tubular sob medida.

porsche-356-v8 (15)

Foi um trabalho que demorou nove meses para ficar pronto, mas valeu à pena: em dezembro passado, Grant publicou no fórum algumas fotos do carro na oficina americana (essas da galeria acima). São imagens altamente pornográficas, que mostram em detalhes o chassi tubular e o suporte do motor, além da suspensão de Porsche 911 997 (independente nas quatro rodas, McPherson na dianteira e multilink na traseira) que entrou no lugar do plano original, que era usar braços sobrepostos triangulares nos quatro cantos.

Neste meio tempo, Grant se mudou de volta para a Austrália pois sua mulher estava grávida, e as fotos do carro na Schwartz Performance foram a última atualização do projeto. Estamos terrivelmente ansiosos para ver como este carro vai ficar, e adoraríamos fazer uma visitinha a Grant na Austrália quando isto acontecer!

[ Fotos: Schwarz Performance / Sugestão do post: Marco Antonio Pereira Peters]

 

Matérias relacionadas

Os carros japoneses mais emblemáticos de todos os tempos – parte 2

Dalmo Hernandes

Quando a suástica foi usada como marca de combustível no Brasil

Dalmo Hernandes

Getaway in Stockholm: como um dos primeiros virais automotivos da internet se tornou um clássico do underground

Dalmo Hernandes