A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Zero a 300

Este Chevrolet Corvette C4 1991 com 50.000 km rodados pode ser seu novo V8 americano

A primeira paixão de muitos entusiastas são os motores V8 norte-americanos. Não é para menos: eles são irresistíveis. Grandalhões, robustos, beberrões e barulhentos, eles canalizam muito bem as coisas que nos fazem gostar de carros em primeiro lugar. Eles nos remetem a uma época na qual sequer se imaginava que um dia existiria algo chamado downsizing e que um dia haveria carros elétricos e híbridos nas ruas. E esta é uma das razões para que, até hoje, exista quem economize por anos para realizar o sonho de ter seu próprio V8.

Se você está nesta situação, com o dinheiro na mão e procurando um V8 para chamar de seu, sabe que basta uma garimpada bem feita para encontrar diversas opções interessantes – incluindo, por exemplo, o Ford Maverick e o Dodge Dart que, apesar de nacionais, usavam motores norte-americanos. Acontece que, caso você faça questão de algo verdadeiramente made in the USA e não se importe em pegar algo mais anos 80/90, nosso Achado meio Perdido de hoje pode ser uma bela alternativa: um Chevrolet Corvette C4 1991, anunciado no GT40.

Corvette-Corvette (11)

A quarta geração do Corvette, lançada em 1984, não poderia ter chegado em melhor hora: o modelo C3, que estreou em 1968 já havia passado por duas reestilizações, e dava sinais visíveis de cansaço, embora suas vendas continuassem firmes – sinal de que havia demanda. Assim, a quarta geração recebeu um plataforma completamente nova e estilo que, apesar de ser claramente uma evolução do modelo anterior, trazia formas mais retilíneas e limpas, adequando-se melhor à década de 1980.

Ainda que o motor V8 L83, small block de 5,7 litros e 205 cv, fosse praticamente o mesmo usado pela geração anterior, o foco da equipe de desenvolvimento liderada pelo engenheiro Zora Arkus-Duntov em rigidez estrutural, comportamento dinâmico e frenagem tornava o novo Corvette um carro claramente superior – e um sucesso logo de cara. E as coisas melhoraram ainda mais no ano seguinte, quando foi adotado o moto L98, com um novo sistema de injeção que elevou a potência para 230 cv. Em 1987 foi adotado um novo trem-de-válvulas e a potência aumentou para 240 cv.

Corvette-Corvette (10)

O nosso Achado meio Perdido de hoje é um exemplar fabricado em 1991, após a primeira reestilização do Corvette C4. O carro adotou uma nova traseira, que ganhava lanternas quadradas com cantos arredondados e face convexa em vez de côncava; e um novo interior, com formas mais arrojadas e atemporais – além de instrumentos de visual mais tradicional, embora ainda fossem digitais.

Corvette-Corvette (3)

Corvette-Corvette (5)

O carro pertence a Olavo Alves, de Lauro de Freitas/BA. Ele conta que comprou o Corvette há cerca de 12 anos e que o carro tem 50.000 km rodados. Como curiosidade, o painel digital do Corvette permite que se alterne os dados do velocímetro e do hodômetro entre milhas e quilômetros – no caso, o Corvette tem cerca de 31.000 milhas rodadas. Olavo diz que já comprou o Corvette com a pintura refeita e que a mesma ainda está com muito boa aparência, embora exiba algumas marcas do tempo. O interior, por sua vez, é completamente original e está muito íntegro, com todos os detalhes de acabamento presentes e em bom estado.

Corvette-Corvette (4) Corvette-Corvette (7) Corvette-Corvette (8)

O proprietário também afirma que o carro é mantido sempre em ordem, com revisões periódicas e a última delas, completa, realizada recentemente. Os pneus, de acordo com ele, são praticamente novos, e calçam as rodas originais de 1991. Além disso, toda a documentação do carro está em dia, sem qualquer pendência.

Corvette-Corvette (2)

O único “ponto fraco” do carro é a transmissão, automática de quatro marchas. Não chega a ser um problema para quem quer a experiência genuína de um esportivo norte-americano fabricado 27 anos atrás mas, por outro lado, o swap de câmbio não é um processo extremamente complicado para quem faz questão de trocar as próprias marchas.

Como já dissemos, considerando o atual patamar do mercado para os V8 norte-americanos no Brasil, este Corvette C4 1991 pode ser uma alternativa interessante para quem está a procura. Se você ficou interessado, basta clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do dono.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Jack Brabham Trophy, 1971 – quando chefes de equipe da Fórmula 1 disputaram uma corrida de Escort Mk1

Dalmo Hernandes

Glasspar G2: a história do primeiro carro com carroceria de fibra de vidro

Dalmo Hernandes

Quem está a fim de uma rara Caravan Diplomata bem conservada a um preço razoável?

Dalmo Hernandes