FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos GT40 Classificados Zero a 300

Este Dodge Charger de arrancada com dois turbos, câmbio Lenco e mais de 1.000 cv está à venda

Há quem diga que a parte mais legal de ter um project car é justamente fazê-lo deixar de ser apenas um projeto e transformá-lo em um carro de verdade. Dito isto, pegar um carro que pode ser encarado como uma folha em branco e transformá-lo em algo diferente pro conta própria não é uma missão para todo mundo.

Este Dodge Charger de arrancada, por outro lado, já está pronto. E estamos falando de um projeto de alto nível feito para acelerar de quarto-de-milha em quarto-de-milha na categoria Pro Mod (ou outras, como a Extreme 10.5″, como nosso amigo Rodrigo Vieira do Autodynamics nos indicou!) do Campeonato Brasileiro de arrancada. O carro, anunciado no GT40, pode até ser legalizado para as ruas, mas fica à vontade mesmo na dragstrip.

O carro pertence a Jader Krolow, piloto gaúcho que é conhecido no mundo das arrancadas pelo recorde de seu Chevrolet Opala XTM com motor V8 biturbo de 1.500 cv: em maio do ano passado, ele percorreu os 402 metros em 7,1 segundos e cruzou a linha de chegada a 325 km/h – é o Opala mais rápido do planeta no quarto-de-milha.

WhatsApp Image 2017-09-01 at 08.23.35 (1)img_76320_4_732ecd8a-fb63-40b5-b72a-7ac6b842f167

O Dodge foi montado por Jader há pouco tempo e, no fim de 2016, foi capa da revista Racemaster. O carro foi preparado na pegada pro street, com desempenho suficiente para fazer bonito na pista mas, ao mesmo tempo, totalmente regularizado para rodar nas ruas.

Trata-se de um Dodge Charger R/T 1976, sexto ano de produção do modelo e o último no qual o motor V8 318 tinha taxa de compressão mais elevada que os demais. De qualquer forma, estamos falando de um automóvel com preparação de alto nível, e o bloco foi basicamente a única coisa original que restou do motor de 5,2 litros. Que, aliás teve o deslocamento ampliado com um kit stroker, que foi apenas uma das modificações.

img_76344_4_732ecd8a-fb63-40b5-b72a-7ac6b842f167 img_76336_4_732ecd8a-fb63-40b5-b72a-7ac6b842f167

O Charger foi montado pela oficina Overboost, de Ivoti/RS, e recebeu uma bela seleção de itens de preparação: pistões e bielas forjados, cabeçotes Edelbrock Performer RPM feitos de alumínio, válvulas de titânio e, como cereja do bolo, dois turbocompressores Garrett GT35 operando a 1 bar de pressão – tudo gerenciado pelo módulo Fueltech FT500, que também controla as wastegates de 48 mm. A admissão também é da Edelbrock, enquanto o sistema de alimentação traz injetores Siemens Deka de 225 lb/h e linha de combustível em Aeroquip.

O motor teve potência aferida em algo entre 1.000 cv e 1.300 cv, moderados por um câmbio Lenco de três marchas e levados para as rodas traseiras através de um diferencial Ford 9”. Motores com deslocamento ampliado não costumam girar muito, mas definitivamente não é o caso deste Charger, que usa um comando roletado extremamente agressivo em geometria: as trocas acontecem a nada menos que 8.000 rpm!

img_76340_4_732ecd8a-fb63-40b5-b72a-7ac6b842f167

O câmbio Lenco é uma transmissão manual clássica no mundo das arrancadas, estruturada com engrenagens planetárias para cada marcha. Isso permite que ela seja operada sem embreagem depois que o carro é posto em movimento. Isso também permite trocas flat-out, sem aliviar o acelerador. Cada alavanca aciona uma marcha, o que faz parecer complicado, mas é mais fácil do que se imagina, como você pode ver no vídeo abaixo a partir dos 2:20:

img_76332_4_732ecd8a-fb63-40b5-b72a-7ac6b842f167

A suspensão dianteira, de acordo com o dono, é original na dianteira e na traseira recebeu um setup com ladder bars feito pela Colibri Race Cars, que também cuidou das moidificações na carroceria, como a instalação da gaiola de proteção e a fabricação de novas caixas de roda.

Esta última parte foi necessária por conta do tamanho dos pneus Mickey Thompson na traseira, que calçam rodas forjadas feitas para dragsters, de 15 polegadas de diâmetro. As rodas escondem pontas de eixo forjadas feitas pela De Pauli Drag Racing, que também cuidou do blocante do diferencial. O conjunto é capaz de cumprir o oitavo-de-milha (201 metros) na casa dos sete segundos baixos.

img_76316_4_732ecd8a-fb63-40b5-b72a-7ac6b842f167

O interior do carro foi aliviado com a remoção do banco dianteiro e de todo o carpete, além de parte dos acabamentos. Contudo, os revestimentos de porta ainda estão no lugar, bem como o acabamento do painel. O volante é um Lotse Big Block, e a alavanca de câmbio com o mecanismo de três alavancas (a primeira para a primeira marcha e a ré; as outras duas para segunda e a terceira marchas) se destaca logo de cara. O carro ainda tem um painel digital e mostradores auxiliares instalados em uma das barras de reforço estrutural.

Já deu para notar que este não é um simples Charger preparado, e que ele tem muito de carro de competição embora tenha toda a documentação regularizada para rodar nas ruas. Se quiser saber mais detalhes a respeito do carro, você pode acessar o anúncio para pegar os contatos e detalhes.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Domínio dos SUV: a contradição sobre rodas dos “utilitários esportivos”

Leonardo Contesini

Fiat lança novo Uno com câmbio Dualogic e start-stop, BMW prepara Série 1 sedã, rede de lojas de peças Autozone inaugura loja em SP e mais!

Leonardo Contesini

Plano Nacional quer reduzir acidentes no Brasil, recorde de Drift em Nürburgring, Eclipse Cross lançado por R$ 150.000 e mais!

Leonardo Contesini