A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Zero a 300

Este Dodge Dart conversível com motor seis-cilindros veio direto dos EUA e está à venda

O Dodge Dart é, sem dúvida, um ícone no Brasil. Lançado no fim dos anos 60, ele foi um dos responsáveis por dar aos brasileiros a noção do que era um muscle car norte-americano. Apesar de ser um compacto barato para os padrões americanos, no Brasil ele era uma barca com motor V8, e isto bastava. Além disso, com diferentes versões para atender a todo tipo de cliente – do jovem que buscava um carro estiloso, potente e barato ao cara mais velho que queria um sedã de luxo – o Dart era um carro bastante carismático.

Nosso Achado meio Perdido de hoje, contudo, não é um Dodge Dart nacional. É um modelo importado, fabricado em 1967 (dois anos antes do lançamento no Brasil), em uma versão que não tivemos: conversível, com motor de seis cilindros em linha. Como de costume, ele está anunciado no GT40, e você confere mais detalhes a seu respeito agora.

img_244428_4_dba57163-5c32-4f84-bea9-210ba73678f9

O Dodge Dart de quarta geração foi lançado em 1966 nos EUA, anunciado como o carro mais barato da marca – e apresentado como uma excelente alternativa para quem queria fugir dos carros “pequenos, apertados e fracos” que começavam a surgir nos EUA na segunda metade dos anos 60. segundo o material publicitário da época. De fato, apesar de ser classificado como compacto, o Dodge Dart tinha quase cinco metros de comprimento e, dependendo da configuração dos bancos, podia levar até seis pessoas com conforto. Os americanos sempre foram espaçosos.

img_244376_4_dba57163-5c32-4f84-bea9-210ba73678f9

Agora, enquanto no Brasil tivemos apenas o motor V8 small block 318 (5,2 litros), nos EUA havia a opções diferentes, começando por um seis-em-linha slant (inclinado para a esquerda) de 170 pol³ (2,8 litros) e 115 cv como opção mais barata e escalando até um V8 big block de 383 pol³ (6,3 litros) e 335 cv no esportivo Dart GTS – isto sem mencionar modelos especiais, como o Hemi Dart.

img_244420_4_dba57163-5c32-4f84-bea9-210ba73678f9

img_244436_4_dba57163-5c32-4f84-bea9-210ba73678f9

O exemplar anunciado no GT40 é um Dart equipado com o seis-em-linha opcional de 225 pol³ (3,7 litros) e 145 cv, acoplado a uma caixa automática de três marchas com alavanca na coluna. Não é o conjunto mais empolgante que a Dodge tinha disponível na época, mas também não é o mais fraco de todos – especialmente quando se tem em mente que o motor seis-cilindros de 3,8 litros usado no Chevrolet Opala na época do lançamento, em 1968, tinha 125 cv e entregava desempenho mais que satisfatório para uso diário e eventuais esticadas na estrada.

img_244392_4_dba57163-5c32-4f84-bea9-210ba73678f9

Nos EUA este motor é conhecido como Bulletproof (“à prova de balas” em tradução literal, “indestrutível” em tradução livre) por ser extremamente robusto e confiável – respondia por mais de 80% da produção norte-americana do Dart de quarta geração, de 1966 a 1976. É possível encontrar peças de reposição na Argentina, pois a maior parte dos exemplares que rodam nas estradas dos hermanos também é equipada com o slant sixi.

O carro anunciado no GT40 passou a maior parte de sua vida nos EUA nas mãos de seu primeiro dono e só veio para o Brasil em 2010, quando foi importado por seu atual proprietário. De acordo com o anunciante, o carro passou por uma extensa revisão recentemente, onde motor e câmbio, freios, suspensão e elétrica passaram por toda a manutenção necessária para garantir pleno funcionamento.

img_244432_4_dba57163-5c32-4f84-bea9-210ba73678f9 img_244400_4_dba57163-5c32-4f84-bea9-210ba73678f9 img_244396_4_dba57163-5c32-4f84-bea9-210ba73678f9

Ele diz que o carro acompanha todo o histórico de manutenção do proprietário, bem como os livretos de garantia e o folder de venda original. O Dart também ganhou pneus diagonais Firestone com friso vermelho (redline) e calotas originais de época. O conversível tem capota elétrica e, de acordo com o vendedor, o equipamento funciona perfeitamente.

img_244404_4_dba57163-5c32-4f84-bea9-210ba73678f9img_244380_4_dba57163-5c32-4f84-bea9-210ba73678f9

Considerando a origem norte-americana do carro e seu perfeito estado de conservação e originalidade, incluindo o revestimento de couro dos bancos e a pintura externa verde “Dark Turquoise Metallic”, o valor pedido é interessante, não muito distante do que se costuma pedir por exemplares brasileiros em estado similar.

Se ficou interessado, você já sabe o que fazer: basta clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Sessão nostalgia: veja como foram treinos do GP do Brasil de 1983, em Jacarepaguá

Dalmo Hernandes

Mais alguns dos hot hatches e pocket rockets mais legais anunciados no GT40 – parte 2

Dalmo Hernandes

Nova Ram 1500 no Brasil, o novo Explorer ST de 400 cv, as novas Yamaha XTZ e Honda CG Titan e mais!

Leonardo Contesini e Dalmo Hernandes