A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Este Fiat 500 com kit widebody Cinquone, turbo e 210 cv pode ser seu novo monstrinho de track day

Todo entusiasta conhece (ainda que alguns não aceitem) o potencial de um carro de tração dianteira leve e compacto na pista – especialmente com uma preparação bacana no motor e um bom trabalho dinâmico. Não é à toa que muitos daqueles que têm condições de investir em um automóvel feito exclusivamente para acelerar em um autódromo escolhem hatchbacks pequenos como ponto de partida. É o caso de Renato Constantino, de Brasília/DF, que está vendendo seu Fiat 500 2012 de track day com kit widebody, turbo e 210 cv.

O carro começou sua vida como um Fiat 500 comum, equipado com motor Fire 1.4 8v. No 500, o quatro-cilindros entrega 88 cv a 5.750 rpm e 12,5 mkgf de torque a 3.500 rpm quando abastecido com álcool. A ideia, de qualquer forma, era substituir o motor por 1.4 T-Jet de 265 cv utilizado pelos Linea da Copa Fiat. Renato chegou a comprar um carro e retirar toda a mecânica, que inclui também uma caixa sequencial Sadev de seis marchas. O visual ficaria por conta do body kit Cinquone, importado da Itália.

cinquone1

 

O kit desenvolvido pela italiana Romeo Ferraris foi lançado em 2014 para o Fiat 500 Abarth, e inclui novos para-choques e para-lamas widebody inspirados nos carros de competição. É possível optar apenas pelas modificações mecânicas, mas também por uma preparação no pequeno motor turbo para render até 250 cv.

Apesar de ter sido projetado especificamente para o 500 Abarth, o kit Cinquone foi instalado sem maiores problemas no modelo básico. O mesmo, porém, não pode ser dito do motor: o painel dianteiro do Abarth é cerca de 7 cm maior para acomodar o motor T-Jet, que simplesmente não cabe no 500 comum sem modificações na lata. A solução encontrada por Renato: devolver o motor ao Linea e preparar o motor Fire 1.4 8v.

14390759_10207069931574344_1555443017778023166_n

Com preparação feita na Automec, em Brasilia, o motor recebeu o turbocompressor original do 500 Abarth (operando a 0,8 bar) com intercooler, componentes internos reforçados e um módulo de controle Marelli Competizione com painel digital. O resultado? Nada menos que 210 cv no dinamômetro. Para suportar a força extra, o câmbio original recebeu engrenagens forjadas para a segunda e a terceira marchas.

Os freios agora são da Wilwood, abrigados por um jogo de rodas BBS de 17 polegadas calçando um jogo de pneus Yokohama A048. Já a suspensão recebeu amortecedores ajustáveis do tipo coilover da D2. Por dentro, bancos Sparco do tipo concha, revestidos em couro são a única modificação maior.

cinquone714479556_10207069934414415_1593734259554334316_n

 

Renato diz que passou mais de um ano importando peças da Europa antes de começar a montar o carro, e que o acerto ficou excelente. O carro já foi testado, mas ainda não participou de um track day para valer. De qualquer forma, ele também está devidamente documentado e pode rodar nas ruas normalmente.

14370226_10207069933494392_3030649098699361201_n

O valor pedido é de R$ 110 mil. Considerando que um 500 Abarth atualmente custa R$ 94 mil, pode ser um negócio interessante para quem está disposto a investir em mais potência. Você pode entrar em contato com Renato pelo telefone (61) 98478- 7777 ou pelo email [email protected].

[ Fotos: Renato Constantino ]


 

“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! na qual selecionamos e comentamos anúncios de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de um publieditorial, tampouco de uma reportagem aprofundada. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios – todos os detalhes devem ser apurados com o anunciante.

Matérias relacionadas

Mustang Boss 302 Laguna Seca: encontramos uma das 1.500 unidades produzidas à venda no Brasil

Gustavo Henrique Ruffo

Este Saab 900 Turbo é único no Brasil e pode ir para a sua garagem

Dalmo Hernandes

Este VW Santana EX 1990 está conservado como não se vê mais – e à venda!

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados