A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Eventos Projetos Gringos

Este Fusca com motor V6 turbodiesel e as cores do Herbie é o carro mais incrível do Rali Dakar

No início da semana, publicamos um guia completo para você acompanhar o Rali Dakar, que começou no último domingo (4) e acabará no dia 17 de janeiro. Contamos um pouco da história da corrida, falamos sobre os principais concorrentes e mostramos os brasileiros que estão participando da corrida pelo deserto sul-americano — se você ainda não conferiu, deveria.

Acontece que nós deixamos de fora o carro mais legal de todos, e isto é imperdoável: este Fusca todo preparado para offroad com a pintura do Herbie, o Fusca mais famoso do mundo graças à série de cinema “Se Meu Fusca Falasse”, com o piloto belga Stéphane Henrard e o navegador Bruno Barbier no comando. Não é demais? Claro que é! E dizemos mais: esse carro tem altas chances de terminar muito bem a edição 2015 de uma das corridas mais desafiadoras do planeta.

2015 Dakar Rally - Previews

Ao longo da história do Rally Dakar  alguns aventureiros de Fusca já tentaram ao menos chegar ao fim da competição. Nenhum deles conseguiu até agora, mas Henrard promete que fará de tudo para que, neste ano, seja diferente.

Henrard correu no Dakar pela primeira vez em 1997, pilotando uma moto. Depois, passou para os carros — em 2000, quando correu sozinho com um buggy da Jimco de um só lugar, sem para-brisas, e quase não completou a prova. Em 2001, correu novamente com o mesmo carro — com carroceria um pouco mais larga, para caber o navegador, e um para-brisa.

Paris-Dakar 2003 Eric Vargiolu

Nos anos seguintes, correu com o VW Tarek, um bugue com chassi tubular com motor TDI de 1,9 litro e 218 cv e carroceria projetada por Giorgetto Giugiaro, com o qual chegou em sexto na classificação geral em 2003. Depois de algumas edições não muito bem sucedidas pilotando o VW Touareg pela equipe de fábrica, Stéphane saiu da equipe de fábrica da companhia, mas sua proximidade com a marca o levou a desenvolver o DunBee com mecânica 3.0 TDI.

10917794_911808575510106_1950361028162013422_o

No ano de seu retorno ao Dakar, porém, Stéphane quis fazer diferente e tantar a sorte com um veículo desenvolvido por ele mesmo. O DunBee (nome que veio da junção das palavras dunes (“dunas”) e Beetle. É um Fusca para as dunas, ora bolas!

dunbee-dakar (7)

O DunBee na Africa Eco Race do ano passado

Sua estreia aconteceu na Africa Eco Race de 2014  — competição que acontece desde 2009 (depois que o Rali Dakar migrou para a América do Sul) e foi criada para “manter vivo o espírito da verdadeira corrida entre Europa e África”, sendo disputada todos os anos paralelamente ao Rali Dakar. Stéphane diz ter escolhido a Africa Eco Race pois o DunBee ainda não havia sido testado nos desertos sul-americanos.

dunbee-dakar (8)

Em 2015 a situação é diferente — o DunBee passou por uma bateria de testes ao longo do ano para adequar-se às condições do trajeto do Rali Dakar e Stéphane veio preparado para, ao menos, terminar mais uma vez no top 10 e, ao mesmo tempo, tornar-se o primeiro a concluir a prova ao volante de um Fusca. Atualmente, a dupla está em 28º na classificação geral — nada mau, se querem saber.

Agora, chamar o DunBee de Fusca é quase uma licença poética — o carro está mais para um buggy com estrutura tubular e painéis que lembram os do Fusca. Dá para ver, por exemplo, que os “para-lamas” são meramente decorativos e que os para-lamas de verdade estão sobre as rodas, que ficam totalmente “para fora” da carroceria. O interior é 100% função sobre forma (e parece bem mais espaçoso) e, aparentemente, de um Fusca de verdade o carro só tem a silhueta do teto.

AUTO - DAKAR SCRUTINEERING 2015

Mas isso não importa: é muito legal ver um “Fusca” com a pintura do Herbie (com direito ao número 353) correndo no Rali Dakar. Ainda mais sabendo que o motor é um V6 TDI de 253 cv e 55,3 mkgf de torque — o mesmo usado por diversos modelos do Grupo VW, como o Audi A7, o Porsche Cayenne e o VW Touareg, este último desde setembro do ano passado.

Acontece que há um objetivo mais nobre na cruzada do Fusca de Stéphane Henrard pelo Dakar: o piloto belga e sua equipe planejam transformar o DunBee em uma projeto comercial. “O DunBee é fácil e divertido de guiar, ao mesmo tempo em que é confiável graças à mecânica VW TDI, que para nós é fiel o bastante ao Fusca original e não custa caro. Nosso objetivo com ele é oferecer um carro pronto para correr e dar apoio máximo aos competidores que estão descobrindo o rali”, Stéphane contou ao site francês Le Spécialiste de l’Automobile.

10917794_911808575510106_1950361028162013422_o

Nós estamos torcendo para que o DunBee consiga chegar ao fim do Rali Dakar, de preferência entre os dez primeiros — e sabemos que Stéphane e seu navegador têm totais condições para tal. Talvez assim o belga consiga transformar o DunBee em um produto viável e, quem sabe, não tenhamos vários outros Fuscas correndo no Dakar em 2016. Não seria demais?

[ Agradecimento especial ao camarada Cacá Clauset! ]

Matérias relacionadas

Acredite: isto é um Subaru Impreza original de fábrica – e tem mais de onde ele veio

Dalmo Hernandes

Enriqueça seu domingo com estas aulas de pilotagem vintage – estrelando Rob Slotemaker e Sir Jackie Stewart

Dalmo Hernandes

Lendas do WRC: Peugeot 205 T16, o maior vencedor da curta história do Grupo B

Leonardo Contesini