A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Este Gol GTS é mais um clássico esportivo nacional a um preço justo

O Gol GTS é um desses carros que trazem um equilíbrio perfeito entre visual, história e desempenho, e por esta razão ele é um carro muito procurado. É difícil encontrar um exemplar bem conservado a um preço justo — já perdemos as contas de quantas vezes dissemos isso de formas diferentes —, mas o nosso Achado Meio Perdido de hoje é uma agradável exceção.

O Gol GTS foi lançado em 1987, ano em que o Gol sofreu sua primeira reestilização. O carro ganhou lanternas maiores, para-choques de plástico envolventes e uma nova frente. Naturalmente, a versão esportiva GT também mudou — e bastante.

4788547855

Na prática, o Gol GTS é um GT atualizado, porque o motor 1.8 e o câmbio de cinco marchas são praticamente idênticos. Visualmente, contudo, as mudanças eram bem maiores do que a adição de um “S” ao emblema: o carro ganhou um aerofólio na traseira, soleiras escurecidas nas laterais, os faróis mais largos usados na Parati e no Voyage e novas rodas — as famosas “pingo d’água”.

Agora, aos números: o motor 1.8 tinha 99 cv declarados (na prática, a potência ficava na casa dos 105 cv) e era capaz de levar o GTS de 0 a 100 km/h em 11 segundos, com máxima de 166 km/h — no mínimo empolgante, embora não exatamente uma máquina capaz de te matar de emoção. Contudo, o visual diferenciado do GTS conquistou muita gente, além de dar uma prévia de como seria o Gol GTi, lançado no ano seguinte — este sim, um Gol rápido de verdade, com motor 2.0 de 125 cv com injeção eletrônica — o primeiro no Brasil.

47135506904747927527

4728959895

O Gol GTS das fotos é um dos exemplares fabricados em 1987, algo que o torna naturalmente mais raro. O ano é identificável visualmente pelo painel, que ainda é do modelo antigo —a  Volkswagen só introduziu os dois painéis distintos (o normal e o chamado “satélite”) para o ano/modelo de 1988.

O carro, anunciado no Bom Negócio, está bem conservado e bastante original por fora e por dentro. O interior traz até mesmo os tecidos originais, algo raro de se ver hoje em dia, embora o banco do motorista precise de reparos. O dono afirma que a lataria está em perfeitas condições, bem como a suspensão e o motor, que “viaja para qualquer lugar”. Um dos poucos detalhes não-originais é o conta-giros no painel, que é uma peça aftermarket — o anunciante diz que, apesar disso, este carro ainda pode ser um forte candidato à placa preta, estando apto a recebê-la a partir de 2017.

4759280265

O preço, contudo, é a melhor notícia deste post: R$ 14.900 — mais do que normalmente se aceitaria pagar por um carro de quase 30 anos, mas bem menos do que a média do mercado para esportivos nacionais clássicos. Você encararia?

[ Bom Negócio. Sugestão de Neidaril Ruthes Junior ]


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! na qual selecionamos e comentamos anúncios de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de uma reportagem aprofundada e não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios – todos os detalhes devem ser apurados com o anunciante.

Matérias relacionadas

Este Peugeot 406 Coupé com motor V6 e câmbio manual está à venda

Dalmo Hernandes

Alguém está vendendo um Buick GNX com menos de 600 km rodados

Dalmo Hernandes

Hot Hatch ou Muscle Car? Este Ford Focus agora tem um V8 5.0 sob o capô!

Dalmo Hernandes