A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Projetos Gringos

Este Hot Wheels da vida real tem um 2JZ turbo de 635 cv – e pesa 750 kg

Muitos entusiastas que já estão bem grandinhos para brincar com carrinhos colecionam Hot Wheels – eles são a forma mais barata de montar um belo acervo de automóveis, mesmo que em escala 1:64. No meu caso, o único critério é que aquele carrinho exista de verdade – e se tiver faróis e lanternas pintados, melhor ainda. As rodas não precisam ser do mesmo tamanho, mas se forem, é melhor.

Chatice, não? Porque, quando paramos para pensar, boa parte da graça dos Hot Wheels está nos carrinhos mais loucos e criativos – alguns modelos já existem há décadas e são verdadeiros clássicos entre os fãs das miniaturas em escala 1:64.

E, de vez em quando, alguém faz o caminho oposto: enquanto a Mattel transforma carros de verdade em miniaturas, gearheads criam project cars que parecem Hot Wheels. E o resultado pode ser bem mais interessante do que a gente imagina.

O americano Luis Rodriguez, por exemplo, sempre gostou dos Hot Wheels fictícios – os carrinhos mais ousados e surreais que se pode comprar nas lojas de brinquedos. Ele também é fã dos recordistas de velocidade que aceleravam no deserto de sal em Bonneville na década de 1950; e nutre uma enorme admiração pelos aviões a jato usados pelos exércitos do mundo todo.

A ambição de Luis era juntar estas influências em um esportivo feito por conta própria, na garagem de casa, que fosse legalizado para as ruas e causasse uma impressão marcante onde quer que fosse. Podemos dizer que ele conseguiu, com certeza.

O nome desta insanidade sobre rodas é 2JetZ – e esta é a primeira pista a respeito da natureza do veículo: ele é movido por um motor Toyota 2JZ, de três litros, com turbo e preparado para render até 635 cv operando com a pressão máxima. E isto é só o começo.

O projeto começou por volta de 2016. Inicialmente, Luis queria fazer um belly tank racer – um hot rod aerodinâmico feitos a partir do tanque de combustível de um avião. Estes carros eram populares entre os entusiastas dos hot rods na década de 1950, que aproveitavam tanques de aviões de guerra aposentados. Contudo, logo Luis percebeu que a empreitada exigiria uma porção de adaptações, e chegou à conclusão de que seria mais vantajoso começar o projeto do zero.

 

O ponto de partida foi um subchassi dianteiro de Nissan 300ZX, que foi usado como suporte para o motor e para os componentes da suspensão traseira. A partir dali, Luis construiu uma estrutura tubular de cromo-molibdênio (também conhecido como chromoly) para acomodar a carroceria de alumínio com rebites à mostra – que, na verdade, não é muito mais que um invólucro bem apertado para o motorista. As rodas são expostas, como em um monoposto de corrida – ou em um Ariel Atom, por exemplo –, há uma tomada de ar ao estilo dos Fórmula 1 sobre o motor central-traseiro. Toda a mecânica fica completamente exposta.

O design do carro, na verdade, é de autoria de um artista chamado Dwayne Vance, que posta vídeos no Youtube mostrando o processo de criação e finalização de seus projetos. Um deles era um conceito chamado “Face Peeler 2” (abaixo), e Luis gostou tanto que pediu permissão a Dwayne para transformá-lo em realidade. Dwayne deixou, desde que os devidos créditos fossem dados. As proporções do carro de Luis são menores e mais truncadas, mas é evidente que o Face Peeler 2 serviu como referência no look do carro.

Apesar da ousadia nas formas, o 2JetZ é um carro 100% funcional e capaz de rodar nas ruas, embora sua situação legal não fique clara – não se vê placas nas fotos e vídeos, e nem lugar para colocá-las, na verdade. No entanto, pode-se notar que ele tem faróis, piscas e lanternas.

De todo modo, na pista ele deve ser um monstro. Com cabeçote todo refeito, bloco aliviado, componentes internos forjados e um turbocompressor PTE 6262 com wastegate Tial, o 2JetZ dispõe de 524 cv com o turbo operando na pressão mínima, podendo chegar aos já citados 635 cv na pressão normal. Esta força é levada para as rodas traseiras por uma transmissão de Impreza WRX STi, manual de seis marchas, com diferencial Quaife de deslizamento limitado. Tudo isto em um carro que pesa só 750 kg. Ou seja, são apenas 1,18 kg/cv.

 

A suspensão utiliza o arranjo original do Nissan 300ZX na traseira, com amortecedores ajustáveis Speedway. Na dianteira, há braços triangulares sobrepostos feitos de chromoly, com barras estabilizadoras nos dois eixos e amortecedores do tipo pushrod. Cubos de roda e freios também vieram do 300ZX. As rodas, aliás, são um jogo de RAYS Volk CE28 de 17 polegadas, calçadas com pneus Sumitomo HTR 225/50 na frente, e drag radials M&H Racemaster 275/50 atrás.

O interior, apertado e aconchegante, é abrigado por um canopi de acrílico que também serve como porta – e é aberto remotamente. O habitáculo conta com um banco concha feito sob medida, mostradores analógicos, volante de cubo rápido e partida por botão.

Jay Leno, que é dono de uma das coleções de carros mais extensas e variadas que o mundo vê todos os dias pelo Youtube, deu uma volta no 2JetZ e ficou em êxtase. Para ele, a sensação de voar em um jato foi perfeitamente recriada por Luis, porém no chão. E era exatamente esta a ideia de Luis.

O 2JetZ foi inscrito em uma competição promovida nos EUA pela Hot Wheels, chamada Legends Tour. O evento itinerante passará por 15 estados norte-americanos ao todo, reunindo project cars de vários estilos, todos feitos por entusiastas. O vencedor de cada um dos estados passará para a próxima segunda fase, na qual o melhor projeto será eternizado na forma de um novo Hot Wheels. O 2JetZ foi o vencedor do estado de Nevada – ou seja, há uma chance de ele se tornar um Hot Wheels que existe de verdade.

E, com isto, eu provavelmente vou incluí-lo na minha coleção.

Matérias relacionadas

Volkswagen Tarek: o buggy a diesel com cara de supercarro que disputou o Dakar

Dalmo Hernandes

Carro do Darth Vader? Não: essa preparadora contra-ataca com um BMW M6 inspirado nos Stormtroopers

Dalmo Hernandes

Você já pensou em ter um Fusca elétrico (ou uma Vespa elétrica)?

Leonardo Contesini