FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Zero a 300

Este Mitsubihi Pajero TR4 com histórico nos ralis está pronto para competir – só precisa de um novo dono

O Pajero é um dos modelos mais longevos e bem sucedidos da Mitsubishi. Lançado em 1982 como um 4×4 old school, com entre-eixos curto, carroceria de duas portas e opção por teto de metal ou lona, com o passar dos anos ele foi evoluindo e a família foi crescendo para incorporar versões maiores, mais potentes e melhor equipadas, além de diferentes versões de carroceria – como o kei car Pajero Mini, o compacto Pajero iO/TR4 e o mais refinado Pajero Sport. Boa parte dos exemplares do Pajero não sai do asfalto, como é o caso com muitos SUVs atualmente.

Dito isto, já em 1983 o Pajero foi colocado para competir em ralis – mais precisamente no Paris-Dakar daquele ano. Em 1985 veio a primeira vitória na prova, feito repetido outras duas vezes em 1992 e 1993. E em 1997 a Mitsubishi até fez uma versão especial de homologação para participar do mais desafiador rali de resistência do planeta. O chamado Pajero Evo, ou “PajEvo” para os íntimos, teve 2.500 exemplares de rua para homologação produzidos entre 1997 e 1999.

Se você curte a ideia de honrar o histórico do Pajero nos ralis, nosso Achado meio Perdidos está sob medida: trata-se de um TR4 totalmente modificado para ralis de velocidade e regularidade, anunciado no GT40 e, segundo o proprietário, no jeitinho para competir. Só precisa de um novo dono.

img_302840_4_6cb317f6-32d5-474c-9747-415f90da3470

O Pajero Full começou a ser importado para o Brasil em 1992, com motor V6 de três litros e 150 cv a gasolina ou turbodiesel de quatro-cilindros, neste caso com 125 cv. Havia versões com entre-eixos curto e duas portas ou entre-eixos longo e quatro portas – esta última, com opção por uma terceira fileira de bancos. Em 1999, visando atender à demanda por um modelo mais urbano e acessível, começou a ser importado do Japão o Pajero iO, SUV compacto com motor 1.8 16v de 117 cv, além de tração integral com reduzida.

O sucesso levou a Mitsubishi a dar início, em 2003, à produção nacional do Pajero iO, rebatizado Pajero TR4 e equipado com um motor 2.0 16v de 131 cv, além de tração integral. O Pajero TR4 foi fabricado até 2014, sem grandes alterações de projeto – houve duas reestilizações, em 2006 e e 2009, sendo que nesta última foi adotado um motor mais potente, com 140 cv. Em 2011 começou a ser oferecida uma versão com tração apenas traseira.

img_302888_4_6cb317f6-32d5-474c-9747-415f90da3470 img_302892_4_6cb317f6-32d5-474c-9747-415f90da3470

Esta características faziam do Pajero TR4 opção única no segmento – tamanho compacto, motor de quatro-cilindros e tração 4×4 com reduzida ou traseira só eram oferecidos por ele. Nos últimos anos, porém, o Pajero perdeu espaço para SUVs compactos com apelo mais urbano (incluindo opções da própria marca, como o Mitsubishi ASX) e por isso saiu de linha. O pessoal do off-road, porém não esqueceu dele.

É comum ver exemplares do Pajero TR4 modificados para ralis, incluindo a Copa Mitsubishi de rali de velocidade, tradicional competição para proprietários organizada pela própria marca já há 18 anos. O exemplar anunciado no GT40 é um deles.

img_302880_4_6cb317f6-32d5-474c-9747-415f90da3470

O carro pertence a Felipe Vieira, de Botucatu/SP. Ele conta que comprou o carro no ano passado, mas que o mesmo tem história: em 2015 e 2016 o piloto André Miranda foi campeão da Mitsubishi Cup. Na época o carro era azul e prata – Felipe comprou o Pajero e mandou pintá-lo de branco.

img_302864_4_6cb317f6-32d5-474c-9747-415f90da3470

O motor continua sendo o 2.0 16v de 140 cv original, acoplado a uma caixa manual de cinco marchas com tração integral. Dito isto há diversas modificações: uma gaiola de proteção integrada ao monobloco, portas e capô em compósito além suspensão recalibrada com amortecedores Öhlins. O Pajero também usa pneus Pirelli MTR Mud, que segundo o dono estão com meia vida.

img_302872_4_6cb317f6-32d5-474c-9747-415f90da3470 img_302900_4_6cb317f6-32d5-474c-9747-415f90da3470

O interior tem bancos concha OMP com cintos de quatro pontos Sparco e volante revestido em camurça, também da Sparco. O painel de instrumentos original, com ar-condicionado, continua no lugar. Felipe diz que o carro está com a documentação toda regularizada e pode rodar nas ruas normalmente.

img_302908_4_6cb317f6-32d5-474c-9747-415f90da3470 img_302856_4_6cb317f6-32d5-474c-9747-415f90da3470 img_302852_4_6cb317f6-32d5-474c-9747-415f90da3470

No documento consta que o carro tem cor fantasia – necessário para que se possa envelopar o carro com qualquer cor e emblemas de patrocinadores sem burocracia.

img_302844_4_6cb317f6-32d5-474c-9747-415f90da3470

Felipe diz que o carro passou por uma revisão mecânica completa, incluindo motor, câmbio, suspensão, fluidos e freios. E observa que o Pajero está de acordo com o regulamento da CBA tanto para provas de velocidade quanto de regularidade. E o preço está bem interessante para um projeto de rali já pronto.

Se você ficou interessado, basta clicar aqui para acessar o anúncio e entrar em contato com o dono.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

BMW M4 GTS flagrado em Nürburgring, calor derrete asfalto na Índia, Fórmula 1 terá novas equipes e mais!

Leonardo Contesini

Quer vencer? Coloque um finlandês para correr!

Dalmo Hernandes

BMW X7: maior SUV da marca é revelado com sete lugares e motor V8 4.4 biturbo de 460 cv

Dalmo Hernandes