A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Sessão da manhã

Este onboard com um Superkart em Isle of Man atualizou nossa definição de insanidade

Quem nos acompanha sabe que uma das nossas maiores motivações é encontrar a forma de automobilismo mais absurdamente insana do planeta. É uma busca que nunca acaba, e hoje encontramos mais uma: as corridas de Superkart — que são como karts normais, mas usam motores de até 500 cm³ com arrefecimento líquido, câmbio sequencial e têm até carenagens que produzem downforce. Você não tem noção da loucura que é até vê-los em ação… na Isle of Man.

Para quem não lembra, o circuito de Snaefell Mountain, em Isle of Man, é um dos mais perigosos do planeta. Nas ruas da ilha de mesmo nome, o circuito é estreito, espremido no meio das casas e cheio de curvas traiçoeiras com piso irregular. No Tourist Trophy, que pode ser considerado o equivalente das 24 Horas de Le Mans para motos, os pilotos chegam a 300 km/h em diversos trechos e acontecem em média duas fatalidades a cada edição. A corrida só não foi proibida porque é a principal atração turística de Manx e sem ela a economia do lugar definharia.

De qualquer forma, não estamos falando de motos, mas de karts. Deve ser mais tranquilo, certo? Errado, como mostra este onboard com um Superkart de 250 cm³ em Manx… na chuva:

Quem já andou de kart indoor sabe que, apesar da pouca potência — dificilmente passa de 8 cv —, eles são bem emocionantes e não é fácil controlá-los, além do fato de não existir qualquer tipo de suspensão. Então você consegue imaginar como é pilotar um kart até dez vezes mais potente, com carenagem capaz de produzir downforce, câmbio sequencial, capaz de chegar aos 100 km/h  em menos de três segundos e com máxima de quase 250 km/h, não é? O domínio sobre a máquina — que tem uma relação peso/potência de apenas 2,2 kg/cv — precisa ser impecável e brutal.

super-kart--04

Não é à toa que boa parte dos pilotos de Superkart também corre em categorias de elite sobre duas rodas, como a MotoGP. São caras que já conhecem boa parte dos circuitos que fazem parte do calendário dos campeonatos de Superkart, como o Britânico e o Europeu. Também existem campeonatos regionais nos EUA. Sendo assim, não é raro ver Superkarts correndo em circuitos consagrados como Le Mans, Silverstone ou Laguna Seca.

Antigamente, porém, a Comission Internationale de Karting (CIK-FIA), divisão da FIA que supervisiona as provas oficiais de kart em todo o planeta, organizava o Campeonato Mundial de Superkart. A competição foi realizada pela última vez em 1995, e o vídeo abaixo, também filmando na Ilha de Man em 1990, dá uma noção do nível dos pilotos e dos karts.

Não é à toa que os Superkarts são considerados “a Fórmula 1 dos karts”, e seu custo relativamente baixo em relação às categorias de entrada dos monopostos — é possível comprar um Superkart usado partindo de US$ 5.000, ou R$ 14 mil — têm se tornado bastante populares entre pilotos jovens, talentosos e corajosos.

 

Matérias relacionadas

NSX: o melhor de todos os Honda em dose tripla na pista

Dalmo Hernandes

Este Lamborghini Countach dragster não é um Lamborghini Countach, mas não importa: ele é animal!

Dalmo Hernandes

Nismo 400R: o Skyline GT-R mais famoso de Gran Turismo ainda é incrível mesmo depois de vinte anos

Dalmo Hernandes