FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Este Peugeot 205 “Rallye” pode ser seu próximo project car

Muito se fala sobre o Peugeot 205 GTI. O hot hatch francês foi lançado em 1984 para brigar com o Golf GTI, que nos anos 80 já era referência em dinâmica. Para isto, a Peugeot se esforçou em criar um dos melhores hot hatches de todos os tempos, juntando dinâmica impecável para um tração-dianteira; visual exclusivo de muito bom gosto; e um excelente motor 1.6 8v com injeção eletrônica e 117 cv. Era o suficiente para ir de zero a 100 km/h em 8,9 segundos, com máxima de 195 km/h – um verdadeiro foguetinho de bolso.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

Agora, o Peugeot 205 Rallye não tem o mesmo reconhecimento do grande público. Ele veio quatro anos depois do 205 GTI e foi criado como uma alternativa de baixo custo, com uma lista básica de equipamentos, acabamento mais simples e um motor menos potente. Mas ele também era mais leve e tinha uma pegada mais crua – e tudo isto o tornava uma excelente base para modificações. Não por acaso, entre 1988 e 1992, mais de 30.000 exemplares do 205 Rallye foram vendidos.

Nosso Achado meio Perdido de hoje é um tributo ao Peugeot 205 Rallye – um exemplar recém reformado, muito bem cuidado e cheio de potencial. Ele está anunciado no GT40, e nós vamos conhecê-lo em detalhes agora!

O Peugeot 205 Rallye, como já dissemos, era o esportivo acessível da linha. Para isto, ele apostava em uma roupagem frugal, que servia à dupla função de reduzir custos e aliviar peso. O interior era bem básico, sem rádio, ar-condicionado ou outros itens de conforto, porém trazia bancos com excelente apoio e carpete vermelho. Praticamente não havia isolamento acústico. Com isto,o 205 Rallye pesava apenas 794 kg.

O motor de 1,3 litro (1.294 cm³) tinha comando simples no cabeçote e um carburador Weber de corpo duplo, sendo capaz de entregar 103 cv a 6.800 rpm. Embora não fosse tão potente quanto o 205 GTI, o Rallye era quase tão rápido quanto ele: o zero a 100 km/h era cumprido em 9,6 segundos, e a velocidade máxima era de 190 km/h.

Por fora, a carroceria do Peugeot 205 era pintada apenas de branco, com rodas de aço estampado na mesma cor. A decoração ficava por conta de faixas nas cores da Peugeot-Talbot Sport e de alargadores de para-lama com contorno mais quadrado.

O carro anunciado no GT40 pertence a Maykon Buss, de Joinville/SC. Trata-se de um Peugeot 205 XSi, como a maior parte dos exemplares importados para o Brasil nos anos 90. Fabricado em 1994, o carro é equipado com um motor 1.4 8v com injeção eletrônica e 76 cv.

Maykon conta que comprou o carro há cerca de um ano, e foi o responsável por colocar o carro em ordem e realizar todas as modificações. De acordo com ele, a carroceria foi pintada na tonalidade de branco original, assim como os para-choques, que originalmente eram pretos. Foram também instalados adesivos e emblemas da versão Rallye.

As rodas de aço estampado são um jogo de Fumagalli de 15 polegadas, também pintadas de branco, e calçadas com pneus Momo Outrun M2 195/50 novos. Elas também receberam calotinhas originais Peugeot, compradas em concessionária. Para completar o visual do Rallye, só faltam as molduras dos para-lamas, que precisam ser importadas da Europa. A carroceria também recebeu um tratamento acústico com manta asfáltica ao longo de todo o assoalho, dos bancos dianteiros ao porta-malas.

Por dentro, os bancos foram restaurados e revestidos em couro sintético e veludo, mesmos materiais usados nos revestimentos das portas. Parte do painel também foi forrada com veludo, e foi instalado um rádio com porta USB e estilo retrô. O volante é um Lotse Dakar com revestimento de camurça, e a alavanca de câmbio é uma Lotse Competition, feita de alumínio.

Também foram realizados alguns upgrades e serviços mecânicos. Os freios dianteiros receberam discos ventilados de 266 mm com pastilhas Ecopads, e os freios traseiros foram revisados. Diversos itens são novos, como a embreagem, correia dentada (e tensor), correia do alternador, sonda Lambda, sensor de posição da borboleta (TPS), TBI e atuador da marcha lenta.

Maykon também mandou instalar um abafador final HKS de aço inox, um filtro de ar cônico e um sistema antifurto. Os sistemas de suspensão e direção também receberam cuidados, com novas balanças de suspensão dianteira, novos terminais de direção, braços axiais e coifas, e a troca da cruzeta da barra de direção.

De acordo com Maykon, o carro tem 123.500 km rodados e está com a mecânica toda em dia. No entanto, incluso no valor anunciado está um motor parcial 1.6 16v, o mesmo usado nos Peugeot 206, 207 e 307 brasileiros, originalmente com 110 cv. Contudo, é possível negociar o valor sem o motor, caso se deseje.

Este carro nos parece uma boa oportunidade para quem gosta dos hot hatches franceses e pretende dar início a um project car bastante promissor. Se você ficou interessado, pode clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do dono.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Este Mazda RX-7 pode ser sua oportunidade de ter um esportivo com motor Wankel no Brasil

Dalmo Hernandes

Um BMW E36 conversível com câmbio manual, um Volvo 850 T5R de único dono, um ícone JDM e mais no GT40

Dalmo Hernandes

Este VW Golf MK3 tem um motor VR6 sob o capô. E está à venda no Brasil!

Gustavo Henrique Ruffo