A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Vídeo

Este piloto de arrancada Top Fuel caiu a 320 km/h, ficou preso na moto do adversário e sobreviveu

Os europeus também curtem arrancadas! E, acredite, em termos de emoção elas não ficam devendo nada às disputas nas dragstrips dos EUA. Uma prova? Este vídeo impressionante que mostra um piloto caindo a 320 km/h — e ficando preso na moto Top Fuel de seu adversário. Você tem que assistir isso.

A primeira coisa que você nota é a brutalidade da largada — as motos Top Fuel usam motores de quatro cilindros (muitas vezes baseados em motores encontrados em motos de rua) com compressor mecânico e potência entre 1.000 e 1.500 cv, queimando nitrometano. O 0 a 100 km/h é feito na casa dos 0,7 segundos — e parece quase instantâneo. Elas só não são mais rápidas do que os dragsters Top Fuel.

As dragbikes também chegam a 320 km/h em cerca de seis segundos e costumam virar o quarto-de-milha pouco depois, na casa dos sete segundos, a mais de 400 km/h. Só que o piloto grego Filippos Papafilippou, que participava das finais do campeonato europeu de arrancada no último fim de semana em Santa Pod, Reino Unido, não pode fazer isso — não desta vez. Contudo, ele demonstrou o que acontece quando alguém cai durante uma puxada a mais de 300 km/h e tem muita, mas muita sorte mesmo.

Controlar uma dragbike Top Fuel exige muita experiência e força — normalmente a roda dianteira empina, e por isso os pilotos não podem contar com o guidão o tempo todo e jogam o corpo para os lados para manter a moto na trajetória. Nem sempre dá certo, e Papafilippou parece ter caído por isso. O que impressiona é o fato de ele ter caído em cima da moto de seu adversário, Steve Woollatt, e ficado preso na wheelie bar — o aparato atrás da moto, instalado para impedir que ela empine demais.

Papafilippou fica sentado na wheelie bar como se estivesse pegando uma carona. Habilidades ninja? Não — assim que percebe o que aconteceu, Woollatt reduz imediatamente e, quando a moto para, vemos que Papafilippou tinha ficado com a perna presa nas barras de metal.

aftermath

Foi a wheelie bar que impediu que o piloto grego se machucasse muito mais — ele saiu do acidente apenas com algumas queimaduras. E sabem o que é o mais incrível? Temos certeza de que, assim que ficar totalmente recuperado, Papafilippou vai voltar a correr. É isto o que estes caras fazem.

 

Matérias relacionadas

Três anos sem Paul Walker: relembre a coleção do astro de “Velozes e Furiosos”

Dalmo Hernandes

Policial é atropelado por um Mini Cooper roubado em São Paulo — e ainda consegue deter os ladrões

Dalmo Hernandes

BMW M4 enfrenta o Porsche 911 na pista! Quem leva esta?

Dalmo Hernandes