A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Este raro BMW 635CS preparado pela Hartge está à venda no Brasil

Foto: Felipe Vaiano

Se você é um verdadeiro fã de qualquer marca, é provável que considere os automóveis fabricados por ela praticamente perfeitos por si só. Com a BMW, não é exceção — os admiradores da companhia da Baviera rasgam elogios ao visual, à mecânica e ao comportamento dinâmico de seus modelos clássicos.

Isto não significa, porém, que eles não possam ficar melhores (ou ao menos “diferentes”) — é esta a filosofia de diversas preparadoras tradicionais europeias. Como a Hartge, por exemplo, que na década de 1970 dedicou-se a criar modelos como o Achado Meio Perdido de hoje: este BMW 635CS, com um seis-em-linha de 3,5 litros e 290 cv.

Haartge - 2-11

Foto: Felipe Vaiano

A Hartge surgiu em 1971, quando os irmãos Herbert e Rolf Hartge, que eram competidores nas categorias de turismo alemãs da época, decidiram levar sua experiência nas pistas para os carros de rua. Enquanto seus BMW 2002 preparados competiam em subidas de montanha e ralis, sua oficina em Merzig, no oeste da Alemanha, preparava os carros de rua com deslocamento ampliado, carburadores maiores, comandos mais agressivos e suspensão preparada, entre outras melhorias. Em 1974, a Hartge mudou-se para a cidade vizinha de Beckingen, onde permanece até hoje.

Haartge - 2

Foto: Felipe Vaiano

Dois anos depois, em 1976, a BMW lançava a primeira geração do Série 6, conhecido como E24. Idealizado por Bob Lutz e projetado por Paul Bracq, o E24 era um elegante cupê com capô longo, perfil baixo e traseira curta — um legítimo grand tourer, que era movido por motores de seis cilindros em linha e vendido em duas versões: 630CS, com motor de três litros carburado de 185 cv; e 633CSi, cujo motor deslocava 3,2 litros e, alimentado por um sistema de injeção Bosch L-Jetronic, entregava 197 cv.

Haartge - 2-31

Foto: Felipe Vaiano

Não demorou para que a Hartge colocasse as mãos no modelo e, usando como base o 630CS, criou o 635CS. A receita de preparação inclui o aumento no deslocamento do motor para 3,5 litros, instalação de um novo cabeçote com duplo comando de válvulas (originalmente, o motor M30 tem comando simples) e a instalação de três carburadores Weber 45. O câmbio é um Getrag manual de cinco marchas do tipo dogleg — a primeira marcha fica para trás, como nos carros de competição. A suspensão recebia molas e amortecedores mais firmes e barra estabilizadora, e as rodas normalmente eram fornecidas pela BBS.

Haartge - 0115

Fotos: Felipe Vaiano

Não há muitas informações disponíveis sobre esta primeira leva de E24 preparados pela Hartge — sabe-se que, mais tarde, a própria BMW lançou o 635CSi com motor de 3,5 litros que, com comando simples e injeção Bosch, entregava 218 cv. A Hartge também mexeu nestes carros, instalando cabeçotes de comando duplo para conseguir até 330 cv.

Isto torna o Achado Meio Perdido, anunciado no site O Acervo, de hoje bastante especial. O atual proprietário encontrou o 635CS Hartge em São Paulo, parado havia muito tempo, porém bastante íntegro e com o interior em couro creme restaurado nos padrões originais. Em seguida, o carro recebeu uma extensa revisão mecânica — algo indispensável em um carro antigo com preparação de época — na famosa Oficina do Coruja, em São Paulo, e recebeu uma nova pintura. De acordo com o proprietário, a potência de 290 cv foi aferida em dinamômetro.

Haartge - 2-17

Foto: Felipe Vaiano

Outros detalhes do carro são as rodas BBS de 16 polegadas (ou 415 mm), os amortecedores Bilstein, o volante e o pomo do câmbio, que vieram do BMW M1, o body kit M Technik de época, e os itens de conforto como trio elétrico, ar-condicionado e teto solar.

É um carro bastante raro até mesmo na Europa (as versões com injeção eletrônica, lançadas pela Hartge no início dos anos 1980, são bem mais comuns) e é quase certo que trata-se de um exemplar único no País.

Haartge - 0030

Foto: Felipe Vaiano

Por esta razão, o preço pode assustar: R$ 165 mil — valor que pode ser alto para um carro com quase quarenta anos de idade, mas precisamos levar em conta que este carro é bastante raro, tem preparação de época por uma oficina de renome e encontra-se em estado excelente. O que você nos diz?

[ O Acervo ]


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! na qual selecionamos e comentamos anúncios de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de uma reportagem aprofundada e não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios – todos os detalhes devem ser apurados com o anunciante.

 

Matérias relacionadas

Esta Parati GTi 16v é uma perua esportiva brazuca de respeito – e está à venda

Dalmo Hernandes

Um dos únicos Volkswagen Jetta MK3 no Brasil está à venda

Dalmo Hernandes

Este Chevrolet Calibra pode ser seu novo cupê esportivo com preço de popular 0km

Dalmo Hernandes