A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Estes caras querem manter o legado do Land Rover Defender vivo – e usam um V8 de Corvette para isso!

Até segunda ordem, a morte mais sentida de um automóvel neste ano será a do Land Rover Defender. O utilitário britânico ganhou no mês passado três séries especiais de despedida que marcam o fim de uma era iniciada há 67 anos — ainda que o primeiro utilitário a ser chamado de Defender tenha sido lançado em 1983, o projeto original data de 1948 (você pode ler mais sobre esta história aqui).

Ainda não se sabe muito a respeito do sucessor do Defender — apenas que ele deverá ser lançado em algum momento de 2016 e que, segundo a companhia, será o Land Rover mais capacitado da história —, mas há quem se esforce para não deixar a lenda morrer. Os caras Twisted Automotive, por exemplo. Este é um dos Defender modificados por eles:

defender

Não parece muito diferente de um Defender original, não é? Pois a ideia é exatamente esta: à primeira vista, trata-se de um Defender como outro qualquer. Contudo a Twisted faz com o Defender o que a Singer faz com os Porsche 911 antigos: os transforma em máquinas mais luxuosas, melhor acabadas, ainda mais bonitas e, claro, mais rápidas.

Eles até colocam um V8 de 6,2 litros vindo direto do Chevrolet Corvette, se você quiser — e tiver como pagar, claro.

Neste vídeo do canal /DRIVE, Charles Fawcett, fundador da Twisted, conta um pouco sobre a história da companhia e de sua paixão não só pelo Defender, mas por todos os modelos da Land Rover desde que era criança. Sua família cuidava de uma oficina especializada em Land Rover e, antes dos 20 anos, ele já havia comprado e modificado o seu próprio Defender. Ele é uma das milhões de pessoas no mundo que acreditam que nenhum veículo é capaz de fazer o que um Defender faz e, bem, ele não está totalmente errado.

Sendo assim, sua dedicação a transformar o Defender em um utilitário ainda melhor é compreensível. Cada um dos Defender modificados pela Twisted foi comprado novo ou com quilometragem baixíssima, desmontado, melhorado e montado novamente — ele sabe que, apesar de sua capacidade offroad e robustez, o Defender ainda é um utilitário britânico construído de forma quase artesanal, e por isso há muito o que ser melhorado, especialmente em termos de construção e acabamento.

defender-v8 (3)

Com materiais melhores, novas soldas, diversos itens opcionais de conforto — de bancos concha forrados com Alcantara a sistemas multimídia — e até ajustes nos vãos entre os painéis da carroceria, além de modificações mecânicas que incluem, polimento nos dutos e reprogramações nos módulos eletrônicos, a Twisted cria uma versão mais confortável, rápida e bem feita do Defender. E, claro, personalizada de acordo com o gosto de cada cliente — e, desde 2009, já foram mais de 300, totalmente satisfeitos.

O Defender com o motor V8 LS3 do Corvette foi um projeto pessoal — ele pegou um dos exemplares topo-de-linha da Twisted e decidiu colocar um motor com quase 400 cv a mais que o original: o turbodiesel do Defender 110 tem 130 cv, e o motor do Corvette, modificado com novo comando e coletores, entrega mais de 520 cv. Obviamente que a troca do conjunto mecânico não foi a única modificação. “Não sobrou muito do Defender original. Nós pegamos o Defender, desmontamos e montamos de novo”. Ele não detalha as modificações, mas reforços estruturais e modificações na geometria da suspensão são o mínimo que se precisa fazer.

icon-v8 (5)

Como sabemos disso? Simples: os caras da Twisted obviamente não foram os primeiros a colocar um LS3 no Defender. Lembra da Icon 4×4, que transforma o Ford Bronco, o Toyota Land Cruiser e as picapes Chevrolet Advance Design em carros mais rápidos e modernos? Pois eles fizeram exatamente a mesma coisa.

icon-v8 (4)
icon-v8 (2) icon-v8 (3)

No vídeo abaixo, Jonathan Ward, fundador da Icon, conta que chamou uma empresa britânica para ajudá-los a desenvolver um sistema de suspensão que usa o arranjo original do Defender como base, porém com novas molas, amortecedores e geometria revisada (especialmente na dianteira, para lidar com o peso extra do propulsor). Que empresa britânica era esta? A Twisted.

Jonathan Ward também dá alguns detalhes que nos ajudam a entender melhor as modificações necessárias para se colocar um V8 LS3 no Defender, incluindo o reposicionamento da caixa de direção e adaptações na parede corta-fogo. No mais, o chassi e a carroceria não precisam ser muito modificados — a não ser que o cliente queira, claro.

Agora, como já dissemos, a Twisted trabalha com exemplares novos ou quase novos do Defender (diferentemente da Icon, que também restaura veículos em mau estado) — mas eles estão com os dias contados. Fawcett garante, contudo, que em seu estoque de peças e com os Defender que ainda serão produzidos,  será possível continuar construindo utilitários por alguns anos. O que importa, para ele, é manter o Defender vivo.

 

Matérias relacionadas

Esta picape Chevrolet acabou de ser restaurada… pela Honda! Mas por quê?

Dalmo Hernandes

NAIAS 2019: o Salão de Detroit segundo um entusiasta brasileiro

Autor Convidado

O Brasil inventou mesmo o carro a álcool (e o carro flex)?

Leonardo Contesini