A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Top

Estes são os dez carros mais caros leiloados em 2019

Estamos apenas nos primeiros dias de 2020, então ainda há tempo para retrospectivas sobre o ano que passou. Hoje, vamos com mais uma: a lista dos carros mais carros arrematados em leilões durante o ano de 2019. O tipo de lista que, dependendo do seu humor, pode fazer seus pensamentos voarem ou seu sangue ferver.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

Desta vez, os carros estão especialmente interessantes – claro, há a cota obrigatória de Ferrari da década de 1960, mas nós percebemos que há mais variedade do que de costume em termos de fabricantes e eras. O carro mais caro do ano, por exemplo, não é italiano, nem tão antigo assim. Sem mistérios desnecessários: é o McLaren F1 que usamos na foto de abertura. Mas, para descobrir quanto ele custou – em dólares e em reais, usando conversão direta sem impostos – você vai ter que ler tudo até o final. Sem trapacear, hein?

 

10. Ferrari F2002 2002– US$ 6.643.750 (R$ 27.089.890)

 

 

Só mesmo em uma lista como esta o carro mais barato (ou melhor, menos caro) poderia ser um monoposto de Fórmula 1. E não estamos falando de qualquer um, mas da Ferrari F2002 usada por Michael Schumacher na conquista do quinto de seus sete títulos – com Rubens Barrichello como vice-campeão, em um excelente ano para a Scuderia.

O F2002 estreou na terceira etapa da temporada, o Grande Prêmio do Brasil, em Interlagos, com vitória de Schumacher – e, com seu motor V10 naturalmente aspirado de três litros e até 900 cv, é um dos carros mais bem sucedidos de toda a história da Fórmula 1. Em 2002 Schumi não desceu do pódio, praticamente alternando entre primeiro e segundo lugar ao longo de todo o ano. Seu pior resultado foi o terceiro lugar no GP da Malásia.

 

9. Ferrari 250 GT Series 1 Cabriolet 1958 – US$ 6.800.000 (R$ 27.743.320)

No nono lugsar da lista, para não perder o costume, temos uma Ferrari 250 – mais precisamente, uma GT Series 1 Cabriolet, com carroceria projetada pela Pininfarina e entre-eixos de 2,6 metros. Após a apresentação do esportivo no Salão de Genebra de 1957, algo entre 36 e 40 unidades foram produzidas até 1959, todas com motor V12 de três litros e 243 cv.

O carro leiloado pela Gooding & Company em 2019 é um dos quatro a contar com saídas de ar cromadas nos para-lamas dianteiros – e o público que geralmente paga milhões por este tipo de automóvel é bastante ligado neste tipo de detalhe.

 

8. Pagani Zonda Aether 2017 – US$ 6.812.500 (R$ 27.794.318)

Um dos carros “diferentões” que constam nesta lista é o Pagani Zonda Aether, um dos muitos one-offs que a fabricante italiana construiu depois da morte oficial do primeiro Pagani. O carro, equipado com um V12 AMG de 7,3 litros e 760 cv, foi encomendado por Ronnie Kessel, proprietário de uma rede de revendas de carros de competição. Além do motor, ele tinha como características especiais a ausência quase total de pintura, a carroceria aberta e o plenum de admissão inspirado pela Fórmula 1.

Kessel recebeu o carro em 2018 e, como é comum neste mercado, decidiu leiloá-lo pouco depois, em 2019. O pessoal da RM Sotheby’s foi o responsável pela venda, que aconteceu em agosto de 2019.

 

7. Ferrari 250 GT SWB 1963 – US$ 7.595.000 (R$ 30.986.840)

Outra Ferrari 250, a GT SWB 1963, foi leiloada em Scottsdale, nos EUA, pela Gooding & Company. O carro é um dos 176 carros que foram feitos entre 1959 e 1963, e um dos últimos a deixar a linha de produção da Carrozzeria Scaglietti em 1963.

Como toda 250 GTO, ela é equipada com um V12 de três litros e cerca de 240 cv. A diferença principal estava no entre-eixos, que tinha por volta de 22 cm a menos para garantir um comportamento dinâmico mais urgente e afiado.

 

6. Ford GT40 1965 – US$ 7.650.000 (R$ 31.211.235)

E à frente de uma Ferrari, temos um Ford – nada menos que um GT40 1965. E não é qualquer GT40, ainda por cima: trata-se de um dos cinco protótipos com carroceria aberta usados como plataforma de testes após a chegada de Carroll Shelby à equipe de desenvolvimento.

O roadster é provavelmente o único dos cinco a não ter recebido um teto fixo depois do período de testes. Entre os pilotos que o testaram estavam o próprio Carroll Shelby e Jim Clark. O motor era um V8 289 (4,7 litros) igual aos que eram colocados no Shelby Cobra, ligado a um transeixo Colotti T-37.

 

5. Ferrari 250 GT SWB 1962 – US$ 8.145.000 (R$ 33.230.785)

Como você deve ter percebido, é impossível fazer uma lista de carros mais caros vendidos em leilões sem citar a Ferrari 250 algumas vezes. Outro exemplar da versão GT SWB, porém fabricado em 1962, ocupa a quinta posição.

Este exemplar foi todo restaurado e certificado pela Ferrari Classiche mas, antes mesmo de o serviço ser realizado, a 250 GT SWB já havia participado de dezenas de concursos de elegância nos EUA e na Europa, tudo registrado na documentação.

 

4. Lamborghini Veneno Roadster 2014 – US$ 8.514.141 (R$ 34.766.643)

Outro carro moderno a figurar entre os mais caros do ano em leilões é o raríssimo e extremamente ousado Lamborghini Veneno Roadster. Quando foi apresentado, em 2013 no Salão de Genebra, o Veneno era o mais veloz e caro automóvel já feito pela Lamborghini.

Usando o Aventador como base, o Lamborghini Veneno usava uma versão de 750 cv de seu V12 6.5, trazendo também uma carroceria de fibra de carbono com aerodinâmica sofisticada e design agressivo; velocidade máxima de 356 km/h e zero a 100 km/h cumpridos em 2,9 segundos. A versão aberta foi mostrada em 2014, e custava o equivalente a US$ 3,6 milhões. No leilão de 2019, ele foi arrematado por quase três vezes este valor.

 

3. Ferrari 250 GT LWB 1958 – US$ 9.905.000 (R$ 40.446.077)

A quarta Ferrari 250 desta lista também é uma 250 GT, mas a versão de entre-eixos longo (LWB), com 2.600 mm. A carroceria aberta estilizada pela Pininfarina esconde um chassi parecidíssimo com o que se vê nas outras 250, e a mecânica também é idêntica, com um V12 de três litros e cerca de 240 cv.

O que fazia estes carros exclusivos eram o design e os detalhes de cada encomenda, além do fato de cada uma delas ser feita à mão. Assim, não existem dois carros idênticos, por mais que a versão seja a mesma.

 

 

2. Alfa Romeo 8C 2900 1939 – US$ 18.581.838 (R$ 75.747.004)

O segundo carro mais caro da lista é BEM mais caro que o terceiro – duas vezes mais. E bem mais antigo, também: trata-se de Alfa Romeo 8C 2900 Touring Berlinetta de 1939, um carro de mais de 80 anos. Naquela época, para se ter ideia, os motores de oito cilindros em linha ainda eram populares. E, no caso, estamos falando de um oito-em-linha de 2,9 litros com supercharger e capacidade de entregar 220 cv – número excelente para a década de 1930.

Além de ser o segundo carro de leilão mais valioso de 2019, este exemplar também tornou-se o terceiro carro fabricado antes da Segunda Guerra Mundial mais caro de todos os tempos.

 

1. McLaren F1 “LM-Specification” 1994 – US$ 19.805.000 (R$ 80.733.102)

Por fim, o mais caro da lista – não muito mais caro que o Alfa Romeo 8C 2900, porém bem mais novo, bem mais veloz e bem mais potente. Este McLaren F1 foi um dos dois exemplares de rua do McLaren F1 (de 64 no total) a receberem a conversão “LM-Spec”, inspirada no carro que venceu as 24 Horas de Le Mans de 1995.

Ele recebeu o pacote High Downforce, que incluía uma grande asa traseira fixa e um spoiler maior na dianteira. Além disso, o motor V12 de 6,1 litros recebia fôlego extra para chegar aos 780 cv, sem qualquer tipo de restrição – ao contrário do carro de corrida, que tinha apenas 600 cv.

Matérias relacionadas

Os conversíveis usados mais legais que se pode comprar no Brasil

Dalmo Hernandes

Anti-Super Trunfo: os carros que são divertidos mesmo sem números impressionantes – parte 1

Dalmo Hernandes

Os desenhos e quadrinhos que não são sobre carros, mas usam carros de verdade – parte 2

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados