A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

A fantástica coleção de carros da BMW M de Masakuni Hosobuchi

“Masa-quem?”, talvez você pergunte. Masakuni Hosobushi é o presidente do BMW Club do Japão e, como tal, é de se esperar que ele tenha uma fantástica coleção de BMW. E ele tem. Na verdade, Hosobushi intitula-se o maior colecionador de modelos da divisão M do mundo — e temos motivos para acreditar que ele realmente o seja.

A coleção de Hosobuchi tem mais de 60 carros — 20 deles ficam guardados nas garagens e salões de sua enorme casa em Tóquio, onde vive com a mulher e a filha de 13 anos. E ele diz que a filha, além de conhecer seus carros melhor que ele (o que é estranho vindo de um colecionador), é a única capaz de dar o número exato. Sua mulher nem viu todos os carros ainda.

m-colecao (8)

Como quase tudo “underground” que vem do Japão, não é exatamente fácil encontrar informações e imagens dos carros de Hosobuchi. Talvez os japoneses prefiram passar o tempo livre dirigindo seus carros em vez de ficar tirando fotos ou, como já dissemos algumas vezes, prefiram guardar as coisas mais legais para si mesmos. Ou não.

O fato é que as informações que conseguimos sobre a coleção do presidente do maior clube de entusiastas japoneses de BMW vieram, curiosamente, de sites alemães. Com o que encontramos, ficamos sabendo que a paixão de Hosobuchi começou em 1981, quando ele ainda era jovem e foi a Munique com sua equipe para representar o Japão no Campeonato Mundial de Canoagem.

m-colecao (4)

“Meu pai dirige BMW desde que eu consigo me lembrar”, ele contou em 2010 à revista Auto Motor Und Sport. “Foi na Alemanha que eu entendi o que aqueles carros tinham de tão bom que faziam meu pai gostar tanto deles.” Selando esta descoberta, seu pai deu a ele um BMW Série 3 antes de morrer, o que tornou sua paixão ainda maior.

Paixão esta que passou de geração a geração e foi compreendida pelas esposas: “Minha avó, minha mãe e agora minha esposa sempre foram muito compreensivas com nossa admiração pelos carros da BMW”. E, como não poderia ser diferente (ou poderia, mas eles talvez não se dessem tão bem), sua mulher também aprendeu a admirar os carros da marca bávara, tendo um BMW Série 3 1994 como seu principal daily driver.

m-colecao (17)

Acontece que o gosto pela Bayerischer Motoren Werke só não é maior que a paixão pela divisão Motorsport do grupo. Como já dissemos, Hosobushi guarda em sua garagem exemplares preciosos, como dois BMW Z1 — um deles preparado pela Alpina, além de alguns exemplares antigos como um 2002 tii, um 501 dos anos 50 e até um 3.0 CSL que competiu no campeonato europeu de turismo na década de 1970.

m-colecao (5)

Contudo, como toda boa coleção, esta também tem alguns favoritos. Hosobushi tem uma afeição especial por seu BMW “M7” — um BMW 750 Li F01 que recebeu para-lamas alargados e modificações no interior similares à dos M3, M5 e M6. Não foram reveladas as especificações técnicas, mas o V8 turbo de 4,4 litros e 407 cv, se não traz desempenho alucinante, também não deve ser nenhum uma lesma.

m-colecao (6)

Hosobushi também gosta muito do Z1 Alpina e do M1 — e é mais um dos que aguardam sem perder a esperança por uma reedição moderna do esportivo.

É justamente um M1 sua adição mais recente à coleção. Trata-se de um dos 54 M1 Procar construídos para o campeonato monomarca de apoio à Fórmula 1 que foi realizado em 1979 e 1980. Contudo, no fim daquele ano a BMW anunciou que seria a nova fornecedora de motores para a Brabham na Fórmula 1 e, por isso, decidiu que a divisão M deixaria de se focar no Procar.

m1 (1)

Boa parte dos M1 foram vendidos para equipes independentes para competir no Mundial de Endurance, e este carro, que se chama Ja Zum Nürburgring (ou “Sim ao Nürburgring”), foi um deles. Decorado com várias seções do circuito mais desafiador do mundo (e que visitamos recentemente!), o M1 foi usado por Hans Joachim Stuck e Nelson Piquet, que venceram em sua categoria nos 1000 km de Nürburgring em 1980 (terceiro lugar na classificação geral) com este carro.

Este mesmo carro em Nürburgring Nordschleife, 2011. O ronco do seis-em-linha não mudou nada!

O  M1 “Sim ao Nürburgring” foi totalmente restaurado pela BMW Classic e pela divisão Motorsport e foi entregue no último fim de semana a seu novo proprietário, em uma breve cerimônia no museu da BMW em Munique — em uma feliz coincidência, a mesma cidade onde Hosobushi descobriu sua paixão pela BMW. Nada mais justo!

m1 (2) m1 (3)

[ via Auto Mortor und Sport e BMWBlog ]

Matérias relacionadas

O relato de alguém que viu Le Mans de um helicóptero: guia curva a curva!

Juliano Barata

Câmeras, armas, motocicletas e… macarrão: as criações da Italdesign que não são carros

Dalmo Hernandes

Este Porsche 912 esconde o boxer turbo de 300 cv de um WRX STi

Dalmo Hernandes