FlatOut!
Image default
Lançamentos Zero a 300

Fiat Argo revelado! Conheça todos os detalhes, preços, versões, itens de série e opcionais do novo hatchback

Na noite de ontem, o Fiat Argo finalmente foi revelado para a imprensa e para o público, por meio de um evento que foi transmitido ao vivo no Youtube. Agora, portanto, temos todos os detalhes do hatch que veio com a missão de substituir, de uma vez só, o Fiat Palio em suas versões mais caras e o Fiat Punto, mas até o Bravo entrou na dança e, para a Fiat, foi substituído pelo Argo também.

Se você estava esperando uma versão brasileira do Fiat Tipo, sucessor do Bravo lançado em 2016 na Europa, o Argo vai lhe parecer um tanto diferente; ele é menor, mais vertical e tem uma “cara” mais agressiva. Isto porque, no fim das contas, o Argo é um modelo desenvolvido especialmente para o mercado latino-americano, com uma plataforma própria (sobre a qual já falaremos mais a respeito) e visual apenas inspirado no Tipo.

imagem-40

Olhando para o Argo de frente, a primeira impressão é a de um Fiat Mobi crescido – com proporções mais vistosas e harmônicas que o subcompacto, porém a mesma identidade visual. Os faróis bi-parábola são horizontais, baixos e largos, avançando bastante em direção às laterais e têm LEDs diurnos nas versões mais caras; a grade apresenta um desenho complexo e tridimensional e o para-choque conta com tomadas de ar nas extremidades inferiores.

imagem-39

A lateral tem perfil alto, com janelas relativamente pequenas e, dependendo da versão, molduras pretas nas caixas de roda, além de alguns vincos marcantes. Já a traseira tem lanternas elevadas, no formato de um “C”, com pontas avançando em direção ao letreiro da Fiat no centro da tampa do porta-malas. A placa fica no para-choque, que traz refletores vermelhos e a área inferior em plástico preto, a fim de aumentar a percepção de largura.

imagem-3

O interior do Argo apresenta um desenho bastante agradável e materiais mais refinados que no Punto. O painel em três níveis traz o cluster de instrumentos com cobertura vazada, uma central multimídia de sete polegadas na parte superior, com “aspecto flutuante” e, logo abaixo dela, três saídas de ar circulares complementando as duas nas extremidades do painel.

imagem-26imagem-20

Sob elas, os comandos do sistema de ventilação e ar-condicionado. Vale notar que o painel é integrado ao revestimento interno das portas, o que dá uma sensação de envolvimento e refinamento, reforçada pelo revestimento emborrachado como era no Bravo. Já o desenho do console central varia de acordo com o câmbio escolhido.

imagem-18

A Fiat diz que o interior do Argo é surpreendentemente espaçoso, com volume útil de 2.806 litros e espaço de sobra para as cabeças e pernas dos ocupantes, com ênfase para quem vai atrás – fala-se até que ali é possível viajar de pernas cruzadas com pessoas de estatura média nos bancos da frente. Vamos ter que dar um rolê no Argo para descobrir (na verdade estamos fazendo isso nesta manhã!). E, falando em espaço, o porta-malas comporta até 300 litros de bagagem sem rebater o banco traseiro, e tem formato retangular, quase sem interferência das caixas de roda.

imagem-4

O Argo é construído sobre a plataforma MP1 que, de acordo com a Fiat, é inédita, ainda que aproveite 20% dos componentes usados no Fiat Punto, com 80% de componentes novos. A Fiat diz que a estrutura do Argo usa 25% de aço convencional, 55% de aço de alta resistência, 10% de aço de ultra alta resistência (nas colunas A e B, além do assoalho na dianteira) e 10% de aço estampado a quente, ou hot stamping. O resultado é um carro com rigidez à torção 7% maior e rigidez à flexão 8% maior.

Dito isto, o Argo curiosamente tem praticamente as mesmas dimensões e o mesmo peso do Punto em versões equivalentes. O Argo mede 4.000 mm de comprimento, 1.750 mm de largura e 2.521 mm de entre-eixos, enquanto o Punto tinha 4.065 mm de comprimento, 1.687 mm de largura e 2.510 mm de entre-eixos.

O peso de ambos também é bem semelhante: em suas versões mais leves ele fica na faixa dos 1.100 kg, enquanto nas versões de topo com câmbio manual (pois o Punto não tinha o automático, mais pesado) o Argo tem cerca de 50 kg a mais — são 1.220 kg do Punto Blackmotion vs. 1.276 kg do Argo HGT. A diferença pode ser explicada pelo acabamento mais refinado e mais equipamentos, como os sidebags e sistema start-stop.

imagem-23

Quanto aos motores, o Argo será disponibilizado com três opções: o Firefly 1.0, de três cilindros (72 cv com gasolina e 77 cv com álcool, a 6.000 rpm em ambos os casos, e 10,4 mkgf e 10,9 mkgf de torque respectivamente, sempre a 3.250 rpm); o Firefly 1.3, de quatro cilindros (101 cv com gasolina e 109 cv com etanol, a 6.250 rpm, com torque de 13,7 mkgf e 14,2 mkgf respectivamente, a 3.500 rpm com os dois combustíveis),  e o E.torQ VIS de 1,8 litro, o único com quatro válvulas por cilindro, com 139 cv a 5.750 rpm e torque máximo de 19,3 kgfm a 3.750 rpm. O VIS se refere ao coletor de admissão com geometria variável, e a Fiat diz que se trata do mais potente do segmento.

Os motores podem ser acoplados a três câmbios diferentes: manual de cinco marchas; automatizado GSR, também de cinco marchas; e automático de seis marchas, igual ao usado pela picape Toro e pelos modelos nacionais da Jeep. Tanto o GSR quanto o automático trazem borboletas para trocas de marcha atrás do volante. O câmbio GSR é combinado ao motor Firefly 1.3, enquanto o automático de seis marchas está disponível apenas para o motor E.torQ 1.8.

Com estas opções de conjunto mecânico, a Fiat pretende abocanhar um espaço entre uma gama ampla de rivais. A marca cita diretamente o Volkswagen Fox, o Chevrolet Onix, o Toyota Etios e o Hyundai HB20, destacando que o carro é maior ou igual a estes rivais em todas as dimensões, porém por sua faixa de preços — que vai de R$ 46.800 a R$ 70.600 — ele também deverá encarar indiretamente o up! TSI, o Ford Ka, o Ford Fiesta e até mesmo o Fiat Palio em suas versões de topo.

imagem-21

Veja a seguir a lista de versões, preços e equipamentos de série e opcionais, seguidas de um pequeno comparativo entre o Argo e os rivais em cada uma das versões.

 

Drive 1.0 – R$ 46.800 (básico) a R$ 52.700 (completo)

Itens de série: ar-condicionado, rodas de aço de 14 polegadas, sistema Isofix para cadeirinha infantil, direção elétrica, travas elétricas, vidros elétricos nas portas dianteiras, preparação para rádio, regulagem de altura no banco do motorista, sistema start-stop.

Opcionais: Kit Multimídia (R$ 1.900), composto pela central multimídia com touchscreen de 7 polegadas e volante com comandos do rádio e telefone; Kit Parking (R$ 1.200), que inclui sensor de estacionamento e câmera de ré; o Kit Convenience (R$ 1.200), com ajustes elétricos dos retrovisores externos (além de repetidores de setas e função tilt-down) e vidros traseiros elétricos ; e o Radio Connect (R$ 1.300), com conectividade Bluetooth e USB, que é uma opção mais acessível à central multimídia; pintura metálica ou perolizada (R$ 1.600). 

Pontos positivos e negativos em relação aos rivais: comparado com HB20 Confort Plus, Onix LT 1.0 e Fox Trendline 1.0, o Argo é o único com sistema start-stop e três cintos traseiros retráteis, porém é o único a não oferecer rádio e alarme. HB20 e Fox também oferecem vidros elétricos na traseira, e retrovisores com ajuste elétrico, um opcional no Drive 1.0.

 

Drive 1.3 Manual – R$ 53.900 (básico) a R$ 59.800 (completo)

imagem-11

Itens de série: acrescenta aos itens do Drive 1.0 a central multimídia Uconnect com touchscreen de 7 polegadas e porta USB adicional no console central.

Opcionais: Kit Parking (R$ 1.200), que inclui sensor de estacionamento e câmera de ré; o Kit Convenience (R$ 1.200), com ajustes elétricos dos retrovisores externos (além de repetidores de setas e função tilt-down) e vidros traseiros elétricos; Kit Stile (R$ 1.900), com rodas de liga leve de 15 polegadas e faróis de neblina; pintura metálica ou perolizada (R$ 1.600). 

Pontos positivos e negativos em relação aos rivais: nesta versão o Argo está mais equilibrado em termos de equipamentos quando comparado aos rivais Onix LT 1.4, Fox Trendline 1.6, HB20 Confort Plus 1.6 e Onix LTZ 1.4. Ele é o único a oferecer cintos traseiros retráteis, sistema start-stop e abertura elétrica do porta malas. Faróis de neblina, retrovisores elétricos e vidros elétricos traseiros, contudo, são de série somente no Onix LTZ, que custa R$ 2.750 a mais.

 

Drive 1.3 GSR – R$58.900 (básico) a R$ 63.600 (completo)

imagem-15

Itens de série: os mesmos do Drive 1.3 manual, mais câmbio automatizado de cinco marchas com aletas para trocas de marcha no volante, assistente de partida em rampas, controles de tração e estabilidade, luz ambiente na cabine, vidros elétricos traseiros e retrovisores externos com repetidores de setas e função tilt-down.

Opcionais: Kit Parking (R$ 1.200), que inclui sensor de estacionamento e câmera de ré; Kit Stile (R$ 1.900), com rodas de liga leve de 15 polegadas e faróis de neblina; pintura metálica ou perolizada (R$ 1.600). 

Pontos positivos e negativos em relação aos rivais: Pelo preço inicial o Argo 1.3 GSR fica ligeiramente mais caro que seus rivais Onix LT 1.4, Fox Trendline 1.6, HB20 Confort Plus 1.6 e Onix LTZ 1.4. O Onix LTZ 1.4 também oferece retrovisores elétricos e vidros elétricos traseiros de série, mas vai além do Fiat ao oferecer rodas de liga leve e faróis de neblina, embora não ofereça Isofix, start-stop e abertura elétrica do porta-malas.

 

Precision 1.8 Manual – R$ 61.800 (básico) a R$ 72.800 (completo)

Itens de série: acrescenta à lista do Drive GSR as rodas de liga leve de 15 polegadas, faróis de neblina, LEDs nos faróis principais, coluna de direção com regulagem de profundidade e banco traseiro bipartido.

imagem-32

Opcionais: airbags laterais (R$ 2.500); Kit Tech (R$ 3.500), composto por sistema de chave presencial, ar-condicionado digital, sensor de chuva, sensor crepuscular, computador de bordo com tela de sete polegadas e retrovisor interno eletrocrômico; o Kit Parking (R$ 1.200), com sensor de estacionamento e câmera de ré; Kit Stile (R$ 2.200), que nesta versão é composto por bancos de couro e rodas de liga leve de 16 polegadas; e pintura metálica ou perolizada (R$ 1.600). 

 

Precision 1.8 AT6 – R$ 67.800 (básico) a R$ 78.800 (completo)

Itens de série: a versão automática acrescenta cruise control, volante de couro com aletas para trocas de marcha, descanso de braço para os bancos dianteiros e luzes ambiente.

Opcionais: airbags laterais (R$ 2.500); Kit Tech (R$ 3.500), composto por sistema de chave presencial, ar-condicionado digital, sensor de chuva, sensor crepuscular, computador de bordo com tela de sete polegadas e retrovisor interno eletrocrômico; o Kit Parking (R$ 1.200), com sensor de estacionamento e câmera de ré; Kit Stile (R$ 2.200), que nesta versão é composto por bancos de couro e rodas de liga leve de 16 polegadas; e pintura metálica ou perolizada (R$ 1.600). 

Pontos positivos e negativos em relação aos rivais: nesta versão a Fiat compara o Argo ao Onix LTZ automático, ao HB20X Premium AT, ao Fox com câmbio i-Motion e ao Etios Cross 1.5 AT. Em sua faixa de preço o Argo fica posicionado acima de Onix e Etios, que oferecem motores de menor cilindrada e potência, e abaixo de Hyundai HB20X e Fox i-Motion. O HB20X, contudo, supera o Argo em itens de série ao oferecer bancos de couro, ar-condicionado digital, rodas de liga leve e airbags laterais de série cobrando pouco mais de R$ 1.000 mais caro que o Argo. A vantagem do Fiat pode estar no fato de não ser um “aventureiro urbano”.

 

HGT 1.8 Manual – R$ 64.600 (básico) a R$ 75.200 (completo)

Itens de série: todos os itens da versão Precision mais rodas de liga leve de 16 polegadas, volante de couro, suspensão com calibragem esportiva, computador de bordo com tela de 7 polegadas, molduras nos arcos dos para-lamas, escape esportivo, aplique vermelho na grade dianteira inferior, spoiler e retrovisores pintados de cinza e moldura tipo difusor no para-choque traseiro

imagem-34

Opcionais: airbags laterais (R$ 2.500); Kit Tech (R$ 2.800), composto por sistema de chave presencial, ar-condicionado digital, sensor de chuva, sensor crepuscular, computador de bordo com tela de sete polegadas e retrovisor interno eletrocrômico; o Kit Parking (R$ 1.200), com sensor de estacionamento e câmera de ré; Kit Stile (R$ 2.500), que nesta versão oferece rodas de 17 polegadas no lugar das rodas de 16 polegadas da Precision; e pintura metálica ou perolizada (R$ 1.600).

 

HGT 1.8 AT6 – R$ 70.600 (básico) a R$ 81.200 (completo)

imagem-33

Itens de série: mesma lista do HGT 1.8 Manual, mais câmbio automático de seis marchas, aletas para trocas de marcha no volante, cruise control, apoio de braço e luz ambiente.

Opcionais: airbags laterais (R$ 2.500); Kit Tech (R$ 2.800), composto por sistema de chave presencial, ar-condicionado digital, sensor de chuva, sensor crepuscular, computador de bordo com tela de sete polegadas e retrovisor interno eletrocrômico; o Kit Parking (R$ 1.200), com sensor de estacionamento e câmera de ré; Kit Stile (R$ 2.500), que nesta versão oferece rodas de 17 polegadas no lugar das rodas de 16 polegadas da Precision, e pintura metálica ou perolizada (R$ 1.600).

Série especial Opening Edition Mopar – R$ 75.200

imagem-37

Limitada a 1.000 unidades, todas pintadas com a exclusiva cor Azul Portofino (que, aliás, lembra um STI da Subaru, não?). A base é o HGT 1.8 AT6, o que significa que a lista de itens de série é a mesma, acrescida de teto, retrovisores externos e spoiler traseiro pintados de preto. O modelo também traz uma série de acessórios Mopar: rodas de alumínio escurecidas (16 polegadas), protetor de soleira das portas, tapetes de borracha e carpete, kit de alto-falantes de 60W e emblema Mopar nas colunas traseiras. Além disso, a versão especial vem com as três primeiras revisões gratuitas.

Matérias relacionadas

Tata Nano: chega ao fim a trajetória do carro errado na hora certa

Dalmo Hernandes

IMSA GT: a história da categoria de turismo mais popular dos EUA

Dalmo Hernandes

Chris Evans está fora de Top Gear, Chevrolet Onix flagrado em testes, a rede social de Clarkson Hammond e May e mais!

Leonardo Contesini