A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Salão do Automóvel de SP

Ford anuncia Mustang no Brasil em 2018 e traz o novo GT e F-150 Raptor para o Salão

No estande da Ford a comissão de frente é sua linha de esportivos. O Focus RS não veio, mas o Mustang, o Shelby GT350R, a F-150 Raptor e o todo-poderoso GT estão lá seduzindo os visitantes que também conhecerão uma nova versão do Ka. A estratégia não é nova — os esportivos da marca já vieram em edições anteriores, mas não chegaram ao mercado nacional —, e por isso achávamos que eles tinham vindo novamente apenas a passeio. Mas desta vez a Ford reservou uma surpresa para o final.

O presidente das operações da Ford na América do Sul, Lyle Watters, subiu ao palco elogiando o Mustang, sua história e todo aquele papo corporativo até que, finalmente, anunciou a grande notícia que ninguém esperava ouvir: “For the first time Mustang is coming to Brazil”.

salao-sao-paulo-flatout-ford-mustang-convertible-1

Sim: o Ford Mustang finalmente será vendido oficialmente no Brasil, depois de várias promessas — e da popularização de seu principal rival, o Chevrolet Camaro. O executivo não entrou em detalhes de versões e preços, mas considerando que o Camaro é trazido apenas na versão SS com motor V8, é provável que o Mustang chegue por aqui na versão GT, equipada com o motor Coyote 5.0 V8 de 441 cv.

salao-sao-paulo-flatout-ford-mustang-convertible-2

A chegada do muscle está prevista para o início de 2018, com as vendas iniciando no último trimestre de 2017. Os preços também não foram comentados, porém espere um valor próximo dos R$ 300.000, como o Camaro SS.

salao-sao-paulo-flatout-ford-gt350r-4

Quem também está no Salão é o Shelby GT350R (que poderia ser a escolha da Ford para o mercado brasileiro não?). A versão mais radical do GT350 usa um V8 de 5,2 litros com virabrequim plano que entrega 533 cv a 7.500 rpm e gira até 8.200 rpm.

salao-sao-paulo-flatout-ford-gt350r-1

O modelo exibido por aqui não está equipado com as belas rodas de fibra de carbono, mas ao menos está vestido para matar com carroceria e rodas pretas e um ronco digno dos supercarros mais tradicionais da Europa.

salao-sao-paulo-flatout-ford-gt-4

Ao seu lado está o pornográfico GT. Vestido de amarelo com faixas pretas e exibindo orgulhosamente seu V6 biturbo de 600 cv, ele é praticamente Beatrix Kiddo sobre rodas.

salao-sao-paulo-flatout-ford-gt-2

E ainda que você não ache a srta. Kiddo tudo aquilo em termos de beleza, é impossível não se render aos seus atributos técnicos: os enormes discos de carbono cerâmica, os contrafortes aerodinâmicos que ligam a porção central da carroceria aos seus para-lamas — e de quebra canalizam o ar para usá-lo a favor do desempenho — o V6 exposto pela janela traseira, as tomadas de ar delgadas nos para-lamas e suas lanternas vazadas ladeando as saídas de escape (que também têm função aerodinâmica).

salao-sao-paulo-flatout-ford-gt-7

Por último, temos a Ford F-150 Raptor, que trocou o V8 6.2 pelo mesmo V6 biturbo 3.5 do GT porém com 450 cv, e veio conhecer o Brasil em sua versão cabine dupla. A picape, que perdeu o sobrenome SVT depois que a divisão foi integrada à Ford Performance, é toda feita de alumínio e usa chassi de aço de alta resistência para reduzir o peso. Em relação à geração passada são 220 kg a menos — de 2.720 para 2.500 kg.

salao-sao-paulo-flatout-ford-outros-5

salao-sao-paulo-flatout-ford-outros-4

Quem também deu as caras foi a Ford Ranger Wildtrak, que é vendida como topo-de-linha do modelo na Austrália e na Tailândia. O modelo também veio somente a passeio para testar a reação do público no mesmo ambiente que a Renault Alaskan e a Mercedes-Benz Classe X.

salao-sao-paulo-flatout-ford-outros-2

Ela é caracterizada pela grade, para-choques, rodas de alumínio e demais detalhes pintados de cinza chumbo, e por sua pintura laranja. Os motores são os mesmos 2.2 Duratorq de 160 cv e 39,3 mkgf e o 3.2 Duratorq de 200 cv e 47,9 mkgf — ambos combinados ao câmbio automático de seis marchas.

salao-sao-paulo-flatout-ford-outros-1

Se você chegou ao fim deste post ainda curioso sobre a nova versão do Ka, ela se chama “Trail” e tem inspiração aventureira, com suspensão mais elevada, rack no teto, rodas pretas e adesivos com o nome da versão na lateral. Os motores são os mesmos 1.0 e 1.5 oferecidos nas demais versões do compacto.

 

Matérias relacionadas

Ford traz Mustang para o Salão e quer vendê-lo no Brasil a partir de 2016

Leonardo Contesini

Nissan traz GT-R e um rival para o EcoSport ao Salão de São Paulo

Leonardo Contesini

Mercedes-AMG One no Brasil: os detalhes do supercarro como você nunca viu

Leonardo Contesini