A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #41

Ford Fiesta Duratec (swap) de Tomás Andrade: a história do Project Cars #41

Fala galera do FlatOut! Meu nome é Tomás Andrade, tenho 24 anos e aqui vou contar um pouco sobre como cheguei ao meu projeto: o “Zetec-S”, meu Fiesta mk5 GLX 1.6 2000 que será preparado com um Duratec 2.0 ou 2.3.

Meu laço com os Ford vem desde a infância: cresci no banco traseiro de alguns modelos da marca e lembro que, em 2000, meu pai levou o Escort dele pra revisão na concessionária – e para variar, eu estava junto. Chegando lá, havia um Fiesta quatro portas diferente dos outros. Ele era vermelho, tinha para-choques esportivos, saias laterais, aerofólio e roda de liga leve. Fiquei admirando o hatch por alguns minutos, especialmente depois que o vendedor falou que só haveria mil unidades do Sport no Brasil (800 com motor 1.0 e 200 com o 1.6).

fiestasport

Em 2006, quando tinha 16 anos, achei um Fiesta Sport 1.6 impecável num preço honesto. O proprietário havia financiado o veículo, não tinha mais condição de manter os pagamentos e estava repassando a dívida. Como eu era menor de idade, uma possibilidade seria transferir a dívida para o nome da minha mãe. Era a oportunidade de ouro de ter meu primeiro carro – e logo o carro que sempre sonhei. Mas o sonho durou pouco: quando liguei, o vendedor já tinha passado o carro para frente. Continuei procurando um Fiesta Sport por muitos meses, mas como não achava nada conservado ou original o suficiente (e os raros impecáveis que encontrei estavam com preços absurdos), acabei desistindo. No último dia dos meus 17 anos comprei meu primeiro carro zero km: um Kia Picanto 1.0. Não era o melhor carro, mas era zero, econômico e bem equipado. Me diverti bastante com ele.

Depois de quase cinco anos com o Kia, resolvi vender o carro – já estava até meio enjoado dele. Queria algo com perfil mais entusiasta. Procurei por Focus Duratec, mas os que estavam bem cuidados eram muito caros e eu sabia que, se comprasse um esculhambado, teria de gastar uma fortuna para deixá-lo em ordem. Foi então que surgiu a ideia. Já que teria de torrar uma grana para arrumar carros deste tipo, porque não pegar algo mais em conta e montar meu próprio esportivo? A partir daquele dia, comecei a procurar por Renault Clio 2004 e 2005 (queria montar um Clio RS) mas a dificuldade de encontrar os componentes e o preço dos carros não estavam me empolgando muito.

zetecseuro

Neste momento lembrei da adolescência. Já sabia que achar um Fiesta Sport inteiraço seria quase impossível – e por isso, decidi procurar pelo body kit do modelo. Nessa pesquisa, descobri o Zetec-S europeu, que usava a primeira geração do motor Sigma 1.6 16V, de 102 cv, e tinha suspensão mais rígida e freios mais potentes. Vi que seria fácil montar meu próprio Zetec-S no Brasil – e assim nasceu a ideia do projeto.

Como o modelo europeu era completo, comecei a procurar pelos modelos GLX 1.6 forrados de opcionais: queria ar-condicionado, direção hidráulica e vidros elétricos. Em Santa Catarina, onde moro, não estava achando muita coisa – comecei a expandir minha busca para Curitiba e São Paulo. Depois de três meses, já estava quase cedendo para minha segunda opção (Mégane Gran Tour) quando topei com um GLX 1.6 duas portas inteiraço e quase completo, com ar, vidros e travas e elétricas, porém sem direção hidráulica, por R$ 7.500! Onde? Na minha própria cidade, em Blumenau. Coisas do destino.

tomas03

Com o carro em mãos, comecei a procurar tudo o que seria necessário para montar o “Zetec S” – e boa parte das peças já está comigo. Comecei pelo volante original do Fiesta Sport/Zetec-S, com saliências para encaixar as mãos e acabamento de borracha perfurada. É uma peça difícil de ser encontrada, mas tive bastante sorte – encontrei o volante já na primeira semana. Logo em seguida veio o coletor dimensionado 4×1 (que acabou aparecendo antes do planejado) e o jogo de rodas TSW Imola 15 x 7 na furação 4 x 108 (original Ford), escolhidas pela semelhança com as originais do modelo europeu. Comprei estas rodas de um amigo que decidiu desmontar seu Fiesta, outro golpe de sorte.

tomas04

Enquanto isso acontecia, o body kit estava vindo da Inglaterra. Não foi nada fácil achar as peças: acessava o eBay britânico todo dia e a oportunidade só surgiu após várias semanas. Arrematei o body kit completo, com para-choques, saias, spoiler, faróis de neblina e o painel, que tem fundo branco com marcação em milhas e quilômetros, além de computador de bordo. Com toda a parte visual praticamente resolvida, chega a hora de pensar na graxa. Mas isso fica para o segundo capítulo…

tomas05

A foto de abertura do post e esta abaixo mostram como ele está hoje em dia. Até a próxima!

tomas02

Por Tomás Andrade, Project Cars #41

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #400: mais dois Alfas para a Garagem Alfa Romeo

Leonardo Contesini

Um Citroën Xsara VTS turbo para track days: conheça a história do Project Cars #227

Leonardo Contesini

Project Cars #491: Pequenas decepções, um belo upgrade e a conclusão do meu Renault Twingo

Leonardo Contesini