FlatOut!
Image default
Car Culture Zero a 300

Ford lança EcoSport sem estepe na traseira, Toyota Yaris ganha versão X-Way, Fiat Argo flagrado em versão “adventure” e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

 

Ford EcoSport sem estepe na traseira chega às lojas por R$ 104.000

Depois de apresentá-lo no Salão do Automóvel em novembro de 2018, a Ford finalmente lançou o EcoSport sem estepe no Brasil – na Europa, o suv compacto é assim desde 2015. O pneu reserva foi suprimido apenas na versão Titanium, como parte da linha 2020 (e janeiro de 2019 ainda nem acabou!). Agora, o EcoSport Titanium é equipado com pneus run flat, que podem rodar vazios por até 80 km a no máximo 80 km/h. Caso a distância não seja suficiente para chegar a uma borracharia, o proprietário pode usar o kit de reparo que acompanha o veículo – ele permite que se rode por até 280 km sem trocar o pneu furado.

Sem o estepe e seu suporte, o EcoSport Titanium ficou 5 kg mais leve. A Ford também afirma que o EcoSport recebeu revisões no sistema de direção elétrica, na suspensão e nos freios.

O Ford Ecosport Titanium é equipado com o mesmo motor três cilindros de 1,5 litro e 137 cv usado em todas as versões, acoplado a uma transmissão automática de seis marchas – agora, apenas a versão Storm, com apelo off-road e tração nas quatro rodas, vem com o motor 2.0 DirectFlex de 176 cv.

O Ecosport Titanium ainda é equipado com sete airbags, teto solar elétrico, sistema multimídia Ford Sync 3, alerta de pontos cegos, sensores de chuva, faróis de xenônio, luzes diurnas de LED e partida sem chave.

A linha 2020 do EcoSport já está nas lojas, e o Titanium sem estepe na traseira custa R$ 103.890. As demais versões partem de R$ 78.990 (1.5 SE manual) e chegam aos R$ 108.390 (2.0 Storm 4×4 automático). (DH)

 

Toyota Yaris X-Way chega por R$ 79.000

Outro modelo antecipado no Salão que chega às ruas agora é o Toyota Yaris X-Way, versão “aventureira” do hatchback fabricado em Sorocaba/SP. Seguindo a receita já tradicional das versões com apelo off-road, o Yaris X-Way recebeu elementos em plástico preto espalhados pela carroceria – apliques nos para-choques, molduras nos para-lamas e frisos nas laterais e rack no teto.

As rodas de liga leve são pintadas de preto. O detalhe é que, diferentemente do que se costuma ver neste tipo de versão, o Yaris X-Way não recebeu sequer suspensão elevada – ele tem exatamente a mesma altura em relação ao solo de qualquer outro Yaris.

As vendas do Yaris X-Way começaram ontem, e o carro custa R$ 78.990, posicionado entre as versões de topo. Por este preço, o carro é equipado com motor quatro-cilindros de 1,5 litro e 110 cv, acoplado a uma transmissão CVT que simula sete marchas.

Entre os equipamentos de série, estão inclusos vidros elétricos, travas elétricas, controles de estabilidade e tração, hill-holder, computador de bordo com tela de 4,2 polegadas, central multimídia Harman, ar-condicionado digital, câmera de ré, partida sem chave e bancos revestidos de couro sintético. (DH)

 

Carlos Ghosn se diz vítima de complô em entrevista

Preso desde novembro sob a acusação de manipular os relatórios financeiros para sonegar impostos, o ex-presidente da Renault Nissan, Carlos Ghosn, se diz vítima de um complô armado para tirá-lo do cargo mais alto da Aliança.

A alegação foi feita durante uma entrevista ao site Nikkei Asian Review, realizada no centro de detenção de Tóquio, onde Ghosn está desde novembro. Na entrevista, o executivo insistiu em sua inocência e disse que a manipulação dos relatórios financeiros foi “uma trama armada para se livrar dele”. Segundo uma matéria publicada pela CNN, Ghosn causou desconforto em alguns executivos da Nissan com a possibilidade de controlar a fabricante japonesa após a formação de uma holding composta pela Renault, Nissan e Mitsubishi. Os planos haviam sido discutidos com o presidente da Nissan, Hiroto Saikawa.

Os procuradores japoneses acusam Ghosn de ter subestimado sua renda em cerca de US$ 80 milhões entre 2010 e 2018, e de abusar de sua posição na empresa para compensar prejuízos de investimentos pessoais. Na entrevista, Ghosn também desmentiu essa acusação, dizendo que todas as ações foram aprovadas pelos executivos da Nissan. (LC)

 

Fiat Argo “Adventure” é flagrado em testes

Falando em hatchbacks aventureiros, a fabricante que introduziu o segmento no Brasil está preparando mais um representante do mesmo: o Fiat Argo, que já está circulando disfarçado pelas rodovias brasileiras. As imagens do flagra foram publicadas pelo site Car.blog.br.

A versão com suspensão elevada e apelo off-road do Argo – que poderá se chamar “Adventure”, mas isto ainda não foi confirmado – passará pelo mesmo tratamento aplicado a outros modelos da Fiat: apliques plásticos na carroceria, molduras nos para-lamas (que já são usadas no Argo HGT, mas no Adventure deverão ser mais pronunciadas) e rack no teto. Além, claro, da suspensão elevada e reforçada, upgrade funcional que dá aos Fiat Adventure mais desenvoltura sobre estradas de terra e asfalto ruim.

O Argo “Adventure” também será equipado com pneus Pirelli Scorpion de uso misto, já acontece com as versões aventureiras da Strada, da Weekend e do Doblò.

Por dentro, é quase certo que o Fiat Argo aventureiro terá revestimentos exclusivos e algumas diferenças no acabamento. O conjunto mecânico ainda não foi detalhado, mas a tendência é que o Argo Adventure use o motor 1.8 E.torQ de 139 cv, acoplado a uma transmissão manual de cinco marchas ou automática de seis marchas.

 

Koenigsegg junta-se a fabricante chinesa para desenvolver supercarro elétrico

A Koenigsegg anunciou nesta semana a formação de uma joint venture com a empresa sino-sueca New Electric Vehicle Sweden, também conhecida como NEVS e famosa por ter tentado dar sobrevida à marca Saab, usando a marca em veículos elétricos com design Saab e tecnologia chinesa.

De acordo com Koenigsegg, a parceria permitirá o desenvolvimento de veículos elétricos em volume médio e também deverá ajudar a fabricante de supercarros a crescer em seu segmento. A NEVS irá investir US$ 170 milhões em troca de 20% da Koenigsegg e 65% da joint venture, enquanto a Koenigsegg fica com 35% da parceria em troca de licenciamento de tecnologias e design. (LC)

 

Range Rover SV Coupé, de duas portas, é cancelado

Anunciado no início de 2018, o Range Rover SV Coupé – edição especial do Range Rover com carroceria de duas portas – foi cancelada. O anúncio à imprensa foi feito ontem (30), e o motivo dado pela companhia foi simples: contenção de custos.

O plano inicial da Jaguar Land Rover era fabricar 999 unidades do Range Rover SV Coupé. A companhia estava aceitando encomendas, e os carros teriam a carroceria especial de duas portas fabricada de forma artesanal pela divisão de veículos especiais da JLR, a Special Vehicle Operations (SCO). Cada exemplar custaria £ 225.000 – o equivalente a R$ 1,08 milhão em conversão direta.

A Land Rover garante que o cancelamento do Range Rover SV Coupé nada tem a ver com uma suposta falta de demanda pelo modelo, embora não tenha revelado quantos exemplares já haviam sido encomendados. Em vez disto, tem a ver com prioridades: a fabricante prefere investir no desenvolvimento de novos modelos de alto volume, com ênfase no aperfeiçoamento de seus powetrains elétricos e híbridos.

Além disso, a JRL não está em posição de esbanjar com um carro altamente exclusivo, cheio de componentes específicos e mão de obra cara: a companhia, abalada pelo Brexit e pela queda na polularidade dos veículos a diesel, anunciou no início do mês que cortará 4.500 empregos como parte de uma estratégia para reduzir gastos. A meta é reduzir as despesas anuais da companhia em £ 2,5 bilhões. E, neste cenário, um SUV cupê de duas portas caríssimo, por mais legal que seja, não tem lugar. (DH)

 

Lamborghini Urus ganha pacote off-road de fábrica e preparação extrema aftermarket

Se você acha que o Lamborghini Urus não honra o talento off-roader de seu antecessor, o LM002, aqui está um pacote que talvez faça você mudar de ideia: o “Off-Road Package”, oferecido como opcional de fábrica pela marca italiana.

O nome é auto-explicativo: ele ajuda o Urus a seguir em frente quando o asfalto acaba. Para isso, ele dá ao SUV taurino novos reforços de aço nos para-choques, maior altura em relação ao solo (24,8 cm ante 21,3 cm do modelo básico), aumento dos ângulos de ataque e saída de 20,3 e 26,8 graus para 28 e 28,3 graus, respectivamente, além de uma reprogramação nos modos de condução Terra e Sabbia, para otimizar a tração em superfícies escorregadias como grama, lama ou areia, além do modo Neve para piso molhado ou pista com neve e gelo.

O pacote ainda inclui um sub-pacote chamado “Washing”, que inclui lavadores para os faróis e para a câmera de ré, e uma modificação no sistema de lavagem do para-brisa para consumir menos água. Por último, o pacote também inclui um rack de teto para transportar bicicletas, caiaques, esquis e afins.

Agora… para quem acha que ele não é rápido e potente o bastante, mesmo sendo um dos SUV mais rápidos do planeta, a Manhart Performance desenvolveu um kit de preparação que eleva a potência do V8 biturbo de quatro litros dos 650 cv para 812 cv e o torque de 86,5 kgfm para insanos 101 kgfm.

A receita consiste em reprogramar a ECU do motor e instalar turbos maiores e um escape esportivo. O câmbio automático de oito marchas foi “reforçado” para lidar com o aumento de potência, mas a Manhart não entrou em detalhes.

Com a preparação, o Urus passa a acelerar de zero a 100 km/h em 3,4 segundos. A velocidade máxima não foi declarada, mas considerando que ele original passa dos 305 km/h, nosso palpite é que ele chegue além dos 310 km/h.

Além do upgrade mecânico, o Urus também ganhou novas rodas de 21 polegadas com pneus Pirelli P-Zero, apliques e elementos de fibra de carbono, um novo difusor traseiro e faixas pretas na carroceria. (LC)

Matérias relacionadas

Fast five: a história do clássico motor cinco-cilindros da Audi

Dalmo Hernandes

McLaren revela 600LT Spider, a nova geração do Chevrolet Tracker e do Nissan Sentra, Golf GTI ganha versão de despedida e mais!

Leonardo Contesini e Dalmo Hernandes

Honda WR-V chega em março com motor 1.5 e CVT, Corvette de motor central-traseiro mostra sua cara (mas não muito), Porsche 911 GTS chega neste ano ao Brasil e mais!

Leonardo Contesini