A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Ford revela o crossover Mustang Mach-E, BMW revela especificações do i4, Audi Q3 começa a ser vendido no Brasil e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Ford Mustang Mach-E: crossover elétrico inspirado pelo pony car é apresentado

Ontem (17) foi o dia em que a Ford apresentou seu novo Mustang – o Ford Mustang Mach-E. Esperávamos que ele fosse se chamar só Mach-E, o que a nosso ver seria mais apropriado e respeitoso. Mas não foi o que aconteceu: agora, além do Mustang original, o cupê esportivo que todos nós adoramos, existe também o Mustang crossover elétrico.

O visual do Mach-E não é exatamente uma surpresa, com todos os flagras e projeções que já havíamos visto. Na dianteira, a inspiração no Mustang é relativamente sutil – faróis e grade (falsa) são posicionados de forma semelhante, mas os faróis são mais largos e baixos, enquanto a grade possui um contorno mais arredondado e trapezoidal.

 

Na traseira, a referência ao Mustang fica mais forte, com as lanternas triplas sequenciais – exceto que, no Mach-E, elas são traspassadas por uma linha luminosa horizontal. Olhando o carro de perfil, porém, é que fica clara a intenção da Ford: com exceção das quatro portas, o Mach-E parece, de fato, um Mustang que ficou mais alto e “musculoso” em sua nova interpretação. Mas há um truque: note que há uma “extensão” do teto pintada de preto – ela cria a ilusão de que a linha do teto tem caimento mais suave.

Do lado de dentro as coisas são um pouco diferentes: com exceção do volante e seu emblema do cavalinho (igual ao externo), não há muito que diga que este carro é inspirado pelo Mustang. Na verdade, as linhas minimalistas, o acabamento premium e a presença de uma enorme tela vertical de 15,5 polegadas deixam bem claro que o principal rival do Mach-E é o Tesla Model Y, o mais recente crossover lançado por Elon Musk.

O Mustang Mach-E chegará ao mercado norte-americano no final de 2020, com as opções de bateria padrão ou de longo alcance e tração traseira ou nas quatro rodas, sempre com motores de ímã permanente. Com bateria de longo alcance e tração traseira (com um motor no eixo traseiro) o Mach-E tem cerca de 255 cv autonomia de pelo menos 480 km. Na versão com tração integral, que tem um motor em cada eixo, o SUV elétrico tem por volta de 336 cavalos e torque de 57 kgfm, com aceleração de 0 a 100 km/h “mais rápida que a versão básica do Porsche Macan”, segundo a Ford. Ou seja, em menos de 6,7 segundos.

A Ford vai oferecer também duas versões especiais de performance do SUV. O Mustang Mach-E GT deve acelerar de 0 a 100 km/h em menos de 4 segundos – mais rápido que um Porsche Macan Turbo. Já o GT Performance Edition deve chegar aos 100 km/h em cerca de 3 segundos, mesmo tempo de um Porsche 911 GTS. Ambos os modelos GT terão uma potência estimada de 465 cv e torque de 84,6 kgfm. Curioso como a Ford usa a linha Porsche como benchmark para o Mach-E.

Mais curiosa ainda é a possibilidade de que o Mach-E não seja o único modelo a usar o nome Mustang – além do próprio Mustang. De acordo com os britânicos da revista Autocar, o designer-chefe da Ford na Europa, Murat Gueler, disse que a fabricante está pensando em expandir a família. Contudo, a companhia diz que não se decidiu quando ao powertrain: existe a possibilidade de que novos modelos com o emblema do Mustang sejam apresentados com conjuntos híbridos ou mesmo motores a combustão puros. (DH)

 

Audi inicia pré-venda do novo Q3 por R$ 180.000

A Audi anunciou ontem (17) a chegada do novo SUV Q3 ao Brasil a partir de fevereiro de 2020. O modelo já pode ser encomendado junto à fabricante por R$ 179.990, equipado com o motor 1.4 turbo TSI de 150 cv, acoplado a uma caixa de dupla embreagem e seis marchas S-Tronic, com tração dianteira. A Audi não diz quais serão as outras versões, mas não descarta a possibilidade de disponibilizar no Brasil o modelo com motor 2.0 e tração quattro.

A principal novidade do novo Q3 é a adoção da plataforma modular MQB, que propociona um aumento de 9,7 cm no comprimento do carro e de 7,8 cm no entre-eixos, que chega a 2,68 metro e favorece o espaço interno. Além disso, o porta-malas aumenta 460 litros para 530 litros, em um ganho de 70 litros.

O interior também ganha novo design, inspirado pelo Audi Q8, incluindo o painel de instrumentos digital e a nova central multimídia. Outros recursos do novo Q3 são o sistema de cruise control adaptativo, e a suíte de recursos de segurança como frenagem automática de emergênia e assistente de permanência em faixa. (DH)

 

BMW revela especificações técnicas do i4

A BMW revelou novos detalhes de seu próximo modelo elétrico, o i4. O modelo chega somente em 2021, mas a marca já divulgou as especificações do powertrain que irá embalar o rival da BMW para o Tesla Model 3. Ele terá 390 kW/530 cv e terá uma nova bateria com capacidade de 80 kWh, suficientes para uma autonomia máxima de 600 km e uma velocidade superior a 200 km/h.

Ainda de acordo com a BMW, este powertrain elétrico é a quinta geração do sistema eDrive, que irá estrear em 2020 com o iX3 — a versão elétrica do X3 como você deve ter notado — e combina motor, transmissão e controles eletrônicos em um único conjunto. As baterias pesam 550 kg e podem ter 80% de sua carga máxima feita em 35 minutos. (LC)

 

Último Corvette C7 é fabricado e também é o último com câmbio manual

O Chevrolet Corvette C7 finalmente chega ao seu fim, a última unidade do Corvette de motor dianteiro saiu da linha de montagem de Bowling Green (Kentucky) na última quinta (14). A unidade final foi um Z06 preto com o pacote de opcionais mais alto. Além de ser o último Corvette de motor dianteiro, a última unidade veio equipado com cambio manual de sete marchas, opção que não será disponível no C8.

O carro foi arremato em 28 de junho em um leilão, pela quantia de US$ 2,7 milhões (R$ 11.288.430 em conversão direta). O dinheiro arrecadado no leilão foi destinado a Stephen Siller Tunnel to Towers Foundation, uma organização sem fins lucrativos que auxilia policiais e bombeiros feridos em serviço. A fundação também paga a hipoteca desses oficiais feridos e constrói casas acessíveis para eles.

Com o fim da produção do Corvette C7 a linha de produção será adaptada para a produção do novo C8. A produção do Corvette está programada para começar em fevereiro, correndo riscos de atrasos devido a greves do sindicato de operários da indústria automotiva que trabalham para a General Motors. (ER)

 

Bloodhound LSR ultrapassa 1.000 km/h em sessão de teste

As sessões de testes do Bloodhound LSR quebram novos recorde. Se na sessão anterior ele atingiu velocidade suficiente para ficar em decimo na lista dos veículos mais rápidos em terra, na última o Bloodhound atingiu 1.010 km/h, o que coloca ele em quarto colocado na lista.

Segundo o piloto Andy Green a estabilidade do carro passou confiança a 1.000 km/h, isso mantém o foco da equipe em produzir o novo recorde mundial em 2020. O recordista atual é o ThrustSSC, que atingiu 1.227 km/h em 1997, o objetivo do Bloodhound é de atingir 1.600 km/h. (ER)

Matérias relacionadas

Como eram as atualizações de carros antigos nos anos 1980 e 1990?

Leonardo Contesini

Alfa Romeo apresenta 4C Spider, Rússia proíbe transsexuais de dirigir, os novos Mercedes AMG e mais!

Leonardo Contesini

De carona na Ferrari F50: todos os detalhes do supercarro como você nunca viu!

Leonardo Contesini