Ford terá Edge ST, drama da McLaren-Honda vira minissérie na internet, Land Rover restaura seu primeiro protótipo perdido e mais!

Leonardo Contesini 11 janeiro, 2018 0
Ford terá Edge ST, drama da McLaren-Honda vira minissérie na internet, Land Rover restaura seu primeiro protótipo perdido e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Ford apresenta o Edge ST, o primeiro SUV com a sigla esportiva

2019-Ford-Edge-ST-4 copy

Ford ST é um nome que você normalmente associa a hot hatches leves, compactos e potentes. Até agora. A Ford decidiu adotar uma abordagem semelhante à das marcas premium alemãs, e irá expandir sua linha esportiva intermediária também para outros modelos além do Focus e do Fiesta. O primeiro deles é o novo Edge ST.

2019-Ford-Edge-ST-3 copy

Ele não substitui o Edge Sport. Em vez disso ele será posicionado acima da versão. O motor será o mesmo 2.7 V6 biturbo do Edge Sport, mas em vez de 320 cv e 48,3 kgfm, ele terá 340 cv e 52,4 kgfm — isso é mais potência que o Fusion Sport, o que dá margem para imaginarmos que a Ford também pensa em fazer um Fusion ST. O motor é combinado a um câmbio automático de oito marchas, que é ligado às quatro rodas. Os números de desempenho ainda não foram divulgados, mas considerando que o Edge Sport vai de zero a 100 km/h em 5,7 segundos, é seguro dizer que o modelo ST faça o mesmo na casa dos 5 segundos. A velocidade máxima deverá ser limitada a 250 km/h.

2019-Ford-Edge-ST-2 copy

Além do motor mais potente o Edge ST ganhou suspensão recalibrada, remapeamento do acelerador e do câmbio, um novo sistema de escape e, claro, um visual mais esportivo, com para-choques mais agressivos, grade preta, saias laterais, duas saídas de escape, rodas de 21 polegadas, e um spoiler traseiro.

 

Land Rover irá restaurar seu primeiro protótipo

nydlyh4xjb8rruibnbkn

A Land Rover completa 70 anos neste ano, e para comemorar o aniversário a marca irá restaurar seu primeiro protótipo, que estava praticamente perdido desde 1988. O modelo foi construído para o Salão de Amsterdã em 1948, onde a Land Rover foi apresentada ao mundo pela primeira vez.

u7mi3a6i7mfm9dsr31vy

Depois disso, o carro foi vendido junto com outros 47 exemplares da pré-série em 1955. O primeiro proprietário o revendeu em 1961. Seu segundo proprietário o vendeu em 1965. O terceiro proprietário ficou mais dois anos com o carro antes de vendê-lo em 1967 para o homem que o vendeu a uma fazenda galesa em 1968. Ali o Land Rover passou os 20 anos seguintes como transporte interno. Em 1988 seu motor foi removido e o carro foi comprado por um homem que pretendia restaurá-lo, voltando para a Inglaterra.

O projeto nunca saiu do papel, mas a Land Rover conseguiu localizá-lo e agora ele finalmente voltará a ser como era em 1948. Diferentemente do que se recomenda fazer com carros de valor histórico porém deteriorados como ele, a Land Rover irá entregá-lo à sua divisão histórica para que ele seja praticamente reconstruído usando as mesmas técnicas, materiais e ferramental da época.

 

Ginetta irá disputar Le Mans (e o WEC) na LMP1

p1-016_main

Em seus 60 anos de história a Ginetta nunca produziu um grande sucesso, sempre se manteve como uma opção esportiva purista para quem estivesse mais interessado na experiência do que em nomes de marcas e imagem comercial. Você talvez lembre da marca graças ao G4 de 1964, que foi incluído nos games “Gran Turismo”. Mas isso pode mudar neste ano. A pequena fabricante britânica irá disputar as 24 Horas de Le Mans na categoria LMP1, que ficou esvaziada depois da saída da Audi e da Porsche.

O carro será o G60, que foi assim batizado em comemoração aos 60 anos da Ginetta, completados neste ano. Trata-se de um LMP1 não-híbrido, como praticamente todos os protótipos da categoria não inscritos por grandes fabricantes. A Ginetta acredita que o carro tem potencial e velocidade suficiente para disputar a vitória — especialmente se considerarmos os problemas de confiabilidade que os Toyota TS050 enfrentaram nos últimos anos. “Nossos testes dizem que o carro terá ritmo. Começamos literalmente com uma página em branco, e acreditamos que este seja o único carro com chassi e pacote mecânico otimizados especificamente para 2018”, disse Lawrence Tomlinson, o manda-chuva da Ginetta.

p1-014_support

A incursão francesa da Ginetta será terceirizada: os carros serão vendidos à equipe TRS-Manor, que irá inscrever dois G60 no WEC, e a fabricante britânica ainda está negociando com uma segunda equipe para aumentar as chances de vitória em Mans.

Outro ponto favorável é a simplicidade mecânica do Ginetta G60 (comparado ao híbrido da Toyota, claro). Seu motor é um V6 biturbo com injeção direta fornecido pela Mecachrome, uma variação dos motores usados na GP2. A estreia do carro acontece em 5 de maio, nas 6 horas de Spa. Com as mudanças no calendário do WEC, a temporada 2018-19 terá duas 24 Horas de Le Mans: a primeira em junho deste ano, a segunda em junho do ano que vem, que será a última prova do campeonato. Para a temporada 2019-20, a prova inaugural acontecerá em outubro e será encerrada novamente em Mans. Faz sentido a mais longa e mais famosa das provas ser o encerramento, não?

 

 

Drama da McLaren será retratado em minissérie da Amazon

A McLaren passa por uma crise sem precedentes em sua história na Fórmula 1. Desde que se tornou uma das maiores equipes da categoria, ela jamais passou mais de três temporadas sem vitórias (isso aconteceu entre 1978 e 1980), mas ao final do campeonato de 2017 a equipe britânica chegou à sua quinta temporada sem um mísero triunfo. Nem mesmo um pódio eles conseguiram depois do GP da Austrália de 2013, quando Kevin Magnussen ganhou a segunda posição e Jenson Button chegou em terceiro.

O drama coincide com a chegada dos motores Honda, e causou um desgaste tão grande entre as marcas que o acordo foi encerrado antes do previsto. E ele agora será retratado em uma nova minissérie do Amazon Prime chamada “Grand Prix Driver”, que terá quatro capítulos e está disponível com legendas em português no serviço de streaming.

A produção promete “acesso jamais visto” aos pilotos, à equipe e à direção da equipe para mostrar todos os aspectos dos preparativos para a temporada de 2017, desde o condicionamento físico dos pilotos até a busca por patrocinadores para a equipe — que já não conta com um “main sponsor” desde 2014, após o fim da parceria com a Vodafone.

O documentário estreia em 9 de fevereiro.

 

 

Kia divulga primeiras imagens do novo Cerato

2019-kia-forte

Se há um modelo que ilustra muito bem a velocidade das mudanças nos modelos coreanos, este modelo é o Kia Cerato. Normalmente o ciclo de vida de uma geração de automóvel dura sete anos, mas nos últimos 10 anos, o Cerato já passou por três gerações, e agora está prestes a ganhar sua quarta geração, que será apresentada no Salão de Detroit na próxima semana e já teve suas primeiras imagens reveladas pela Kia.

Captura de Tela 2018-01-11 às 13.31.18

Elas ainda são apenas sketches altamente estilizados, mas já dão uma boa ideia de como o modelo ficará mais agressivo que a atual geração — que praticamente desapareceu do Brasil depois que a Kia não conseguiu os benefícios previstos pelo Inovar-Auto. A silhueta do modelo será inspirada pelo Stinger, e deverá ter o mesmo estilo fastback. Lá fora ele será oferecido também na versão hatchback, porém o cupê foi descartado nesta nova geração.

2019-kia-forte2

Os detalhes sobre desempenho e motorizações serão revelados somente no próximo dia 14, quando começa o Salão de Detroit.