FlatOut!
Image default
Vídeo

Fúria sobre rodas made in Brazil: a que ponto o descontrole dos motoristas pode chegar

Não é raro mostrarmos no FlatOut vídeos de desentendimentos entre pessoas no trânsito — seja em rodovias, cidades ou lugares fechados — que nos fazem esfregar os olhos e pensar “caramba, isto aconteceu mesmo?”. Às vezes é até engraçado, mas também preocupa, especialmente quando deixamos de ver este tipo de coisa apenas nos EUA ou na Rússia e passamos a ver também dentro de casa, no Brasil. Dois incidentes recentes envolvendo atitudes agressivas e aparentemente inexplicáveis ilustram o que estamos dizendo de maneira muito eficiente.

O primeiro caso aconteceu no estacionamento de um shopping center em Recife (PE): o vídeo abaixo se espalhou pelo Facebook e mostra o motorista de um Land Rover discutindo com o dono de um Volkswagen Gol. Instantes depois, o dono do Gol entra no carro, toma distância e dá a ré a toda velocidade em direção ao Land Rover, quase atropelando seu dono e outro homem. Em seguida, ele tenta fugir. A agressividade da manobra em um lugar fechado impressiona:

A direção do shopping RioMar diz que a briga começou por causa de uma vaga no estacionamento e que foi contida pelos seguranças e, em um primeiro momento, parece que foi o dono do Gol quem perdeu a razão e tomou a atitude extrema. Contudo, um comentário de uma usuária do Facebook que diz ter presenciado a cena coloca uma nova luz sobre os acontecimentos: ela diz que tudo começou quando o Gol deu ré e acertou, por descuido, a traseira do Land Rover — um impacto leve e sem danos. O motorista do Land Rover, então, desceu do carro e, com um soco, quebrou o vidro de trás do Gol.

fb

Acontece que no banco de trás do Volkswagen estava a esposa do motorista amamentando a filha de dois meses do casal. Como o vidro traseiro do Gol não era laminado, a mãe e o bebê foram cobertas por estilhaços, e a mulher saiu do carro desesperada. Com a situação, o motorista do Gol aparentemente perdeu a cabeça — a partir daí, o que aconteceu está no vídeo.

O usuário que postou o vídeo no Facebook atualizou a descrição à medida que novas informações foram surgindo — e diz que, de fato, o dono da Land Rover reconheceu ter sido o causador da confusão, resolvendo tudo com o dono do Gol e prometendo pagar a franquia do seguro, sem que nenhum dos dois prestasse queixa na delegacia.

O segundo caso aconteceu na rodovia Castelo Branco, altura de São Roque (segundo o leitor Claudio Takeshita Neto, que passava pelo local e viu o táxi capotado). O vídeo, filmado de uma câmera no painel (como na Rússia) e mostra um Fiat Idea branco — um táxi — que toma uma fechada repentina de um Citroën C3 preto. Com o susto, ele perde o controle, sai da pista e tomba, levantando uma nuvem de poeira que cobre a visão do carro de trás, que filmava tudo.

Contudo, assistindo novamente, dá para perceber que na verdade o Citroën acertou o Idea ao virar o volante abruptamente, porque um pedaço de plástico se desprende de um dos carros com o impacto — nos levando a crer que a manobra não foi mal calculada, e sim mal intencionada. Não há como saber o contexto da situação — o motorista do Idea pode ter feito algo ao condutor do C3 alguns quilômetros antes e nem percebido, o dono do Citroën pode ter tido um dia ruim ou as duas coisas juntas — ou nenhuma delas.

O vídeo foi postado na manhã de segunda-feira (13) no Facebook mas a data no canto inferior direito é de setembro de 2013 — pode ser um vídeo antigo ou erro na data da câmera. Mas isto também não importa muito — o vídeo começou a se espalhar imediatamente e é bastante impressionante.

Embora apresentem locais diferentes e contextos diferentes, os dois vídeos mostram reações extremas de motoristas que agem por impulso sem pensar nas consequências (ainda que, no primeiro caso, saibamos qual foi o “estopim”) — situação cada vez mais frequente que, certamente, é um reflexo do caos do trânsito brasileiro, que é considerado violento e inseguro pela população e mata 46 mil pessoas por ano.

Matérias relacionadas

Este smart ForTwo quase devorou um Shelby GT500 na arrancada

Dalmo Hernandes

Explícita e gráfica: assim é a campanha de conscientização no trânsito deste carnaval

Leonardo Contesini

Touro manso: será que o Lamborghini Huracán não é um supercarro feito para as pistas?

Dalmo Hernandes