A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #85

Fuscabaru – os detalhes do motor de 300 cv do Project Cars #85

Olá galera do FlatOut! Hoje estou aqui para falar da segunda parte do meu projeto. Percebi um pouco de frustração do pessoal no meu primeiro post por ter sido apenas uma introdução, mas hoje vamos falar de técnica e detalhar um pouco mais alguns assuntos.

Também gostaria de deixar claro que o meu carro não está pronto, ou seja, a cada post eu conto um pouco do que eu realizei nos últimos meses e mostro as dificuldades e desafios do meu projeto.

Gostaria de aproveitar a introdução do segundo post para agradecer algumas pessoas. Ao meu amigo Gabriel Amabile que que me escoltou até São Paulo quando comprei o Fusca, ao meu amigo Marcelo Bosnich, que me deu ideias e me inspirou a comprar o motor do WRX (ele anda meio sumido da oficina, mas tá valendo), ao Carlão que trabalha comigo e está cedendo um espaço na sua oficina particular para que eu possa fazer meu motor, ao Rafael da Street Solution que importa peças de Subaru e me ajudou na aquisição das peças, ao Henrique da oficina Nihon (especialista em Subaru) que sempre tem paciência em me ouvir e tirar algumas duvidas que surgem sobre o meu motor e ao Teco Caliento, que me recebeu na sua oficina e me deu muitas ideias sobre como montar meu Fusca…

Pronto, parei de agradecer.

Apenas fiz questão de citar o nome dessas pessoas pq é muito, mas muito difícil mesmo construir um carro sozinho e essas pessoas que me ajudaram e me receberam foram muito importantes para a formatação do meu projeto.

Muitas oficinas, me receberam com má vontade, não querendo compartilhar conhecimento e é justamente por esse motivo que resolvi escrever como se faz tudo para adaptar esse motor e dividir conhecimento.

 

Como tudo começou

Como comentei no meu primeiro post, a ideia inicial para esse Fusca era montar motor turbo com dois Solex 32 e uma turbina pequena que já tinha em casa, algo como na foto abaixo.

???????

Aos poucos fui conversando com pessoas entendidas do assunto e como estava indo para a Califórnia decidi que iria montar um motor a ar turbo “zero km”, e comecei a pesquisar.

Carcaça nova da Autolinea, cabeçotes Scatt, Kit interno do motor Scatt, bomba de óleo Schadek, radiador de óleo, alternador, distribuidor, bobina etc.

Fui fazendo a soma de tudo isso e percebi que o valor para montar um motor a ar de qualidade sai muito caro!! Fora a chance de eu ser parado com todas essas peças na alfandega e ter elas apreendidas pela receita, aí sim o projeto se tornaria inviável

Eis que então o Marcelão disse: “Por que você não monta um motor de Subaru nessa m**** velha?”

Comecei a pesquisar, vi que várias pessoas de fora do Brasil já haviam montado e algumas poucas aqui no Brasil também. Fiz uma pesquisa rápida no Mercado Livre mas só encontrei motores  EJ18 1.8 litro — fora de questão para mim, pois a essa altura eu já queria montar algo fodástico na faixa de 230 cv.

Quando já estava desanimado e com dificuldade de achar o motor certo, apareceu um anúncio no Mercado Livre de um motor de Subaru WRX 2.5 DOHC de um veículo 2007!!

Show!

Na mesma semana fui ver o motor no desmanche, ele ainda estava montado no carro que havia batido o para-lama direito e arrancado a roda. Olhei bem o carro com ajuda do Marcelão e deu para perceber que o carro havia ficado parado em um pátio por um bom tempo e também havia tido princípio de incêndio na região da roda que foi arrancada e a polia do comando de baixo estava quebrada dando a possibilidade das válvulas terem sido atropeladas.

Fui para casa, liguei para o pessoal da Nihon, e para Street Solution, verifiquei o preço das peças (polia, válvulas e kit de junta) e decidi topar essa empreitada. Pedi um belo desconto baseado nas peças que poderiam estar danificadas e fechamos negócio!!!

foto2 (1024x768)

 

Ficha técnica do meu projeto

  • Motor: Quatro cilindros Boxer, 2.5 DOHC (Double Overhead Camshaft), 16v
  • Alimentação: Bomba de combustível original, gasolina
  • Potência: 300 cv (aproximadamente)
  • Transmissão: Manual, 4 Marchas, tração traseira.
  • Suspensão Dianteira: Suspensão dianteira do tipo Duplo A
  • Suspensão traseira: Suspensão IRS de Variant II com amortecedores do tipo coil over.
  • Freios: A disco na dianteira e traseira
  • Rodas: à definir

 

Dividindo o projeto

Todos que vão montar um FuscaBaru ou Fubaru (gostei desse nome que alguém jogou no comentários do meu primeiro post) tem que saber que o grande projeto tem que ser divido em vários outros pequenos projetos e que isso demanda tempo, dedicação e dinheiro. Por isso dividi o projeto em cinco partes: motor, transmissão, chassi, carroceria e elétrica.

 

Motor

foto7 (1024x768)

 

O motor estava bem feio por fora, então logo comecei a desmontagem para limpeza do bloco e definição das peças que eu deveria comprar para deixá-lo “novo”.

foto8 (1024x768)

Comprei todos os rolamentos da correia dentada, quatro velas novas, capas de correias novas e os parafusos de fixação das polias dos comandos. Nos demais componentes eu apenas fiz limpeza e pintei alguns deles de preto conforme o meu gosto.

Nessa primeira avaliação o teste de vazão de cilindros se mostrou satisfatório não acusando empeno nas válvulas porém algumas dúvidas surgiram pois as válvulas apresentavam carbonização. Decidi então que vou montar todo o motor, abastecer de óleo etc, para então fazer o teste final e ter a certeza de que nada aconteceu ao motor após a quebra da polia. Este teste será feito nos próximos meses.

Durante a desmontagem do motor, tive dificuldade para remover a polia quebrada do comando. Ela estava tão difícil de sair que tive que remover o comando e levar para o pessoal da Nihon me ajudar a soltá-la do comando com o auxílio de uma ferramenta especial da Subaru.

foto4 (1024x768)

Na parte de desempenho do motor, nesse primeiro momento fiz pequenas modificações que foram remoção dos TGV (Tumble Generator Valve) que possuem borboletas que acabam restingindo o fluxo de ar de admissão e também removi a bomba de ar secundária pois ambos são apenas utilizados na faze fria do motor e não são itens necessários em um carro de performance.

foto6 (640x480)

Para remover o TGV, é necessário soltar as borboletas externas para depois puxar o eixo pela extremidade. Após remover o eixo, é necessário preencher os seus furos com solda ou massa epóxi para que não ocorra entrada de ar falso na admissão. Eu optei por preencher com solda.

Já para remover a bomba de ar secundária o trabalho é um pouco menor, basta remover a bomba e fazer duas tampas para tamparem as entradas do bloco. Assim que montar as minhas eu posto fotos.

foto9 (1024x768)

Em paralelo a tudo isso, comecei fazer pesquisas para saber como ia colocar esse motor dentro do Fusca. Entre minhas pesquisas, achei essa foto abaixo que faz uma comparação das dimensões do motor do Fusca e é ideal para saber o tamanho da encrenca. A imagem sobrepõe o motor do Subaru WRX sobre o motor do Fusca.

foto10 (1024x425)

Nos próximos posts irei detalhar as modificações de carroceria necessárias para que esse motor entre no cofre do Fusca.

Junto com as pesquisas do motor, decobri a necessidade de fazer uma flange + um volante de motor para ser possível a ligação do cambio original VW com o motor Subaru.

Pesquisei na internet e encontrei alguns fabricantes nacionais e estrangeiros que já possuiam esse kit à venda. O melhor que encontrei foi o da marca Kennedy produzido nos EUA, que tinha referência de pessoas que já usaram no mundo todo sobre a qualidade dele. Porém ao consultar o preço de importação “oficial” (pois um componente como esse pesa cerca de 5 kg) com certeza seria parado na alfândega e percebi que não era viável importá-la.

foto11 (1024x768) foto12 (1024x768)

Flange e volante do motor marca Kennedy

Procurei as marcas nacionais, mas elas não me inspiraram confiança ainda mais quando fiquei sabendo de um volante de motor quebrado. Quando um volante de motor quebra em alta rotação, é um estrago muito grande fora a possibilidade dele cortar o carro inteiro e ainda atingir alguém. Por causa disso decidi fazer minha própria flange e volante do motor. As peças estão em processo de produção pelo meu torneiro de confiança e assim que ficarem prontas posto as fotos para que conheçam.

Ufa… por enquanto é isso aí, pessoa. Espero que tenham gostado. No próximo post pretendo colocar a foto do motor totalmente montado e começar a detalhar os aspectos das outras partes do projeto (transmissão, chassi, suspensão e elétrica). Abraços e até lá!

Por Fabio Purgailis, Project Cars #85

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #498: a história da Valdirene, minha Kombi 1965

Leonardo Contesini

Pickup Chevrolet Hot Rod: escolhendo e preparando o motor V8 do Project Cars #346

Leonardo Contesini

Project Bikes #379: a montagem da Honda CG Marlboro Café Racer

Leonardo Contesini