FlatOut!
Image default
Zero a 300

GM anuncia medidas de redução de custos no Brasil, Ford confirma picape rival da Fiat Toro, Uber alvo das empresas de ônibus e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

 

General Motors anuncia pacote de medidas para recuperação financeira

Mais um capítulo da novela General Motors do Brasil desenrolou-se ontem (23). Após negar veementemente sua saída do País e esclarecer, em parte, o tom fatalista do comunicado aos funcionários, a companhia divulgou um pacote de medidas para conter sua crise financeira.

As medidas abrangem as unidades de São José dos Campos e São Caetano do Sul. Em São José, foi entregue aos trabalhadores uma lista com 28 itens, incluindo redução do piso salarial de R$ 2.300 para R$ 1.600; congelamento de aumentos salariais; cancelamento da participação nos lucros e resultados (PLR); aumento na jornada de trabalho, com turnos de 12 horas por 36 de descanso; criação de banco de horas; terceirização de funções e o fim da estabilidade no emprego para funcionários que sofreram lesões no trabalho ou desenvolveram doenças ocupacionais. Os funcionários de São Caetano receberam uma lista semelhante, com 24 itens.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos classificou as medidas como absurdas, e afirmou que negociará as cláusulas com a diretoria da GM – lembrando que a lista de medidas é provisória e que uma proposta final será apresentada aos trabalhadores, em um processo que pode levar pelo menos 20 dias. (DH)

 

Uber se torna alvo das empresas de ônibus

Depois da polêmica relação com os táxis, o Uber agora se tornou alvo das empresas de ônibus. Mesmo regulamentado, o serviço está sendo questionado pela modalidade Uber Juntos, que permite o compartilhamento de um único carro por pessoas com trajetos e/ou destinos próximos.

Nessa modalidade, os usuários podem compartilhar a corrida, dividindo o valor a ser pago ao motorista, algo semelhante a um grupo de amigos dividindo a conta do táxi. Contudo, para as empresas de ônibus, o fato de não haver relação pessoal entre os passageiros configura “transporte coletivo irregular”. Por essa razão, as empresas já acionaram o poder público em 15 cidades para impedir o Uber de oferecer o Uber Juntos.

Para as empresas, o Uber Juntos faz concorrência direta e predatória sem estar submetido às mesmas regras — sem necessidade de contrato por licitação, regulação, preços fixos e manutenção de linhas com baixa demanda, bem como a gratuidade beneficiários de passe livre e meia-passagem. O argumento das empresas é que o serviço pode evoluir para veículos com maior capacidade de passageiros, como na China, o que tornaria os carros uma “lotação travestida de nova tecnologia”, como disse o presidente da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos, Otávio Cunha, em entrevista ao portal G1. 

No outro lado, o Uber diz que a modalidade Juntos não é transporte coletivo, e sim um sistema que “combina viagens individuais com trajetos convergentes para compartilhar o mesmo veículo para colocar mais pessoas em menos carros e complementar o transporte público”. (LC)

 

Ford confirma picape intermediária abaixo da Ranger

O segmento de picapes médio-compacta está bem aquecido no Brasil, e a partir de 2020 deverá ganhar mais uma representante. Isto porque, conforme mencionamos no fim de 2018, a Ford está planejando um modelo abaixo da Ranger para mercados emergentes. E o Brasil deverá ser o primeiro a recebê-la.

A confirmação veio de Jim Farley, diretor de mercados globais da Ford, em entrevista ao site Automotive News. Farley disse que a companhia está investindo em modelos mais acessíveis, abaixo dos que estão à venda hoje.

Na cola de Fiat Toro e Renault Duster, a nova picape da Ford deverá usar construção monobloco e ser oferecida apenas com cabine dupla. A opção mais lógica é que seja aproveitada a plataforma modular do Ford Focus de quarta geração. Visualmente, contudo, a caminhonete deverá ficar mais próxima do que se vê na Ranger e nos SUVs da fabricante.

Segundo o site Top Speed, a picape provavelmente será fabricada no México, com foco nos mercados da América Latina, e lançamento marcado para algum momento entre 2020 e 2021. Uma possibilidade é que ela seja apresentada no Salão do Automóvel de São Paulo. Apesar disto, a Ford optou por não falar em prazos. O site ainda diz que a picape tem chances de ser vendida nos Estados Unidos e na Europa, trilhando um caminho parecido com o percorrido pela atual geração do Ford Ecosport. (DH)

 

Hyundai Creta volta a ser oferecido para PCD

Depois de uma suspensão de quase seis meses, a Hyundai voltou a oferecer a versão PCD do Creta nesta semana. O modelo é tabelado a R$ 69.990, e pode chegar aos R$ 54.662,19 com as isenções totais do IPI e ICMS previstas na lei.

O modelo, como as demais versões, usa o motor 1.6 de 130 cv combinado ao câmbio de seis marchas. Já o pacote de itens de série é o básico para se ter alguma dignidade e segurança em 2020: direção com assistência elétrica, controles de tração e estabilidade, ar-condicionado e cruise control. (LC)

 

G-Power anuncia BMW M850i com 660 cv

Nos últimos anos a BMW M e a Mercedes-AMG construíram um duelo velado de potência em seus modelos de topo. A Mercedes foi a primeira a ultrapassar os 600 cv com o S65 AMG da geração passada e os atuais Classe E63 S e AMG GT 63 S, que têm 612 e 639 cv, respectivamente.

A BMW chegou aos 600 cv no M5 30 Jahre da geração passada, no atual M5, e passou dos 600 no atual 760i (610 cv). O novo BMW Série 8 deverá ser o próximo, com cerca de 610 cv produzidos pelo V8 de 4,4 litros atualmente usado pelo M5. Enquanto isso não acontece, a preparadora alemã G-Power deu um jeito no atual M850i.

A G-Power desenvolveu dois pacotes de preparação para aumentar a potência do 850i dos 523 cv para 611 cv no Stage 1 e 660 cv no Stage 2. Infelizmente a preparadora não deu detalhes sobre como o aumento de potência foi conseguido, mas suspeitamos que tenham seguido a receita básica das preparadoras atualmente, com aumento de pressão do turbo, remapeamento da ECU do motor, sistema de escape menos restritivo e, quem sabe, um novo par de turbos.

A preparadora também não divulgou uma data para o lançamento do kit, mas considerando que já o está divulgando, ele deve aparecer nas próximas semanas. (LC)

 

Carlos Ghosn renuncia ao cargo de CEO da Renault

Conforme amplamente especulado pela imprensa, após perder o posto na Nissan e na Mitsubishi, Carlos Ghosn renunciou ao cargo de CEO da Renault na última quarta-feira (23). De acordo com os britânicos da Autocar, o governo francês – que é dono de 15% da companhia – anunciou que Ghosn tomou a decisão na noite de ontem, após serem divulgados relatos de que ele deixaria o cargo.

Já faz dois meses que Ghosn está preso, sob a acusação de infrações administrativas. Sua situação piorou na semana passada, com novas denúncias por parte da Nissan e da Mitsubishi. As companhias dizem que o executivo recebeu o equivalente a R$ 34 milhões em pagamentos irregulares sem consultar a cúpula da empresa. Ainda não há a certeza de que novas reuniões serão convocadas para definir a sucessão de Carlos Ghosn. (DH)

 

Mexicana Vuhl apresenta novo 05RR, com 400 cv e 660 kg

Em maio do ano passado falamos aqui no FlatOut a respeito do Vuhl 05, esportivo com foco em track days feito no México. O carro segue a fórmula consagrada de modelos como o Caterham Seven, o Ariel Atom e o BAC Mono, contando apenas com o essencial para uma pilotagem orgânica e veloz, sem abrir mão da possibilidade de rodar nas ruas.

Sua versão mais potente, a 05RR, foi apresentada em 2013 e era movida por um um motor turbo Ford Ecoboost de 2,3 litros e 385 cv. Agora, o Vuhl 05RR foi atualizado e rendeu-se ao downsizing: o modelo 2019 usa um Ford Ecoboost de dois litros com 400 cv – 15 cv a mais que o anterior. E continua sendo absurdamente leve: com construção monocoque de fibra de carbono, dois lugares e nenhum para-brisa ou capota, ele pesa só 660 kg.

Além de ficar mais potente, o novo Vuhl 05RR também perdeu peso graças à adoção de rodas e bancos de fibra de carbono – antes eram 725 kg, ou 65 kg a mais. Faça as contas, e você descobrirá que a relação peso potência é de impressionantes 1,65 kg/cv – para se ter ideia, o Porsche 911 GT2 RS 991 tem 1.470 kg e 700 cv, ou seja, 2,1 kg/cv.

De acordo com a Vuhl, o 05RR é capaz de ir de zero a 100 km/h em 2,7 segundos – tão veloz quanto alguns hipercarros, diga-se. Eles também destacam que o motor recebeu novos suportes e agora fica mais perto do chão, abaixando o centro de gravidade do carro. O Vuhl 05RR também ganhou modificações na geometria da suspensão e oferece como opcional um jogo de pneus slick da Pirelli – para, de acordo com os mexicanos, oferecer “aderência em excesso”. (DH)

 

Novitec Rosso apresenta modificações para a Ferrari 812 Superfast

A Ferrari 812 Superfast é um dos últimos bastiões dos V12 naturalmente aspirados. Seu gigantesco motor de 6,5 litros entrega estapafúrdios 800 cv a 8.500 rpm sem a ajuda de turbocompressores ou motores elétricos, e só por isto ela já merece ao menos a sua consideração. Mas talvez o visual da  812 te incomode tanto a ponto de te tornar incapaz de gostar dela. Nesse caso, o pessoal da Novitec Rosso está aí para te ajudar.

A preparadora alemã (pois é, eles não são italianos) especializada em carros exóticos anunciou o lançamento de um pacote de modificações para a 812, incluindo alterações estéticas e funcionais. A carroceira ganhou novos elementos aerodinâmicos de fibra de carbono, incluindo novos spoilers no para-choque dianteiro e na asa traseira, e novas capas para os retrovisores. O capô também ganha duas entradas de ar, e as rodas originais são trocadas por um jogo de Vossen forjadas, com 21 polegadas na dianteira e 22 polegadas na traseira. Para acompanhar, a suspensão recebe um novo acerto e fica 35 mm mais baixa.

Além disso, a 812 Superfast pode receber da Novitec um sistema que eleva a suspensão dianteira em 40 mm ao toque de um botão, para subir e descer rampas sem danificar o para-choque dianteiro. Já o sistema de escape ganha tubulação de Inconel e uma válvula ativa, que se abre ou se fecha para tornar o ronco mais alto ou mais discreto ao toque de um botão. Os alemães também oferecem uma boa variedade de revestimentos de couro ou Alcantara para o interior.

A Ferrari 812 Superfast só não recebeu modificações no motor – ainda. A Novitec, porém, já está dando conta disso e não deverá demorar para apresentar os costumeiros pacotes de reprogramação eletrônica, que geralmente dão conta de aumentar a potência em 40 ou 50 cv. (DH)

Matérias relacionadas

As Ferrari de corrida que não foram pintadas de vermelho – e a história de cada uma delas

Leonardo Contesini

O ronco do novo BMW M8 em Nürburgring, Renault Megane R.S. sem disfarces, AMG GT3 ganha edição especial de 50 anos e mais!

Leonardo Contesini

Dear Father: um tributo emocionante à Porsche e aos fãs da marca – e outros vídeos épicos

Dalmo Hernandes