A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

Gobstopper III: o novo monstro da Roger Clark Motorsports (que não é um Impreza)

Nos primórdios do FlatOut, em meados de 2014, fizemos um post sobre um dos Subaru Impreza mais incríveis já feitos – o Gobstopper, monstro de time attack da Roger Clark Motorsports. Na época, a chamada que fizemos dizia que a RCM transformou o Impreza em um supercarro ao dar a ele um motor EJ20 preparado para render quase 900 cv.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

No mesmo ano, meses depois, a Roger Clark Motorsports deu forma ao Gobstopper II, outro Impreza, porém um hatchback da terceira geração – o Gobstopper II, que era menos potente com seus “apenas” 780 cv, porém um conjunto mais equilibrado e mais rápido. Além disso, desde que ficou pronto, em 2013, o Gobstopper III foi melhorado e hoje entrega mais de 900 cv.

Acontece que, de lá para cá, muita coisa mudou. Números de potência perto dos quatro dígitos já não impressionam tanto, e equipes grandes e pequenas já criaram toda sorte de projetos insanos que parecem se superar a cada dia. E foi neste cenário que a Roger Clark Motorports revelou, há alguns dias, o terceiro membro da linhagem. O Gobstopper III, que não é um Impreza.

Olhando para ele, você pode até achar que se trata de um Subaru BRZ. Mas também não é o caso: trata-se de um carro feito sob medida, com estrutura tubular e a bolha de um BRZ. Chega uma hora em que o monobloco original não dá mais conta, não é?

Por conta disto, quando começou a trabalhar no Gobstopper III, no fim de 2017, Roger Clark definiu de cara uma coisa: o projeto seria totalmente diferente dos dois primeiros Gobstopper.

Para começar, o carro foi construído sobre uma estrutura tubular em aço T45 com espessura de 1 a 1,5 mm, usando tubos usinados em CNC e soldas TIG, a fim de criar um chassi de apenas 130 kg – nada menos que 220 kg mais leve que a estrutura do Gobstopper II, e muito mais rígido. O desenvolvimento do chassi foi todo computadorizado, incluindo crash tests simulados, para garantir a segurança do piloto e o certificado da FIA para provas de time attack oficiais.

O chassi recebeu suspensão do tipo duplo wishbone nos quatro cantos, em um arranjo relativamente simples e direto, com amortecedores Nitron na dianteira e na traseira. Um toque interessante está no amortecedor extra instalado horizontalmente na traseira – peça que, de acordo com a RCM, serve apenas para lidar com a pressão aerodinâmica em alta velocidade e evitar que o GSIII “dê batente” sem precisar de molas com carga extremamente alta. Já os freios usam discos de carbono-cerâmica da Alcon, com 380 mm de diâmetro na dianteira e pinças de seis pistões, feitas em billet de alumínio.

A aerodinâmica, aliás, é um ponto que recebeu mais atenção no GSIII em comparação aos dois carros anteriores. Usando uma bolha inspirada no formato do Subaru BRZ, feita sob medida em fibra de carbono, a Roger Clark Motorsports fez o possível para manter a silhueta próxima da original do cupê, ao mesmo tempo em que buscava máxima eficiência aerodinâmica. Isto implicou até mesmo em limitar dimensões, estipulando um limite de dois metros para a largura do carro a fim de não quebrar a harmonia do design, e de não limitar o carro em circuitos mais estreitos.

Na prática, porém, a silhueta mudou bastante: um bico mais longo foi moldado em fibra, os para-lamas ficaram mais volumosos (e receberam saídas de escoamento) para acomodar os pneus maiores, e no geral as proporções do carro ficaram mais “espalhadas” e horizontais. E dá só uma olhada neste chin spoiler obscenamente grande (acima).

Atrás, um difusor ainda mais absurdo foi posicionado no lugar do para-choque, casado a uma asa traseira inacreditavelmente grande, presa à estrutura.

Agora, o motor: trata-se, mantendo a tradição, de um EJ20. Mas apenas o projeto básico é Subaru – o boxer foi feito sob medida, recuado e rebaixado no cofre, todo atrás do eixo dianteiro. O bloco do tipo closed deck recebeu camisas de cilindro em Nikasil, componentes internos em billet de aço (virabrequim, bielas, pistões e mancais) e um turbocompressor Precision 6466. Equipado com  módulo de injeção Motec e injetores ASNU de alta vazão (1.400cc), o motor entrega ao menos 900 cv (números não importam tanto, lembra?). Estes são canalizados para um sistema de tração nas quatro rodas com diferencial central e autoblocante.

Outro módulo eletrônico Motec, acessível ao piloto por um painel de controle, permite que se altere diferentes aspectos do carro instantaneamente, incluindo o nível do controle de tração, o anti-lag do turbo, a abertura do diferencial central e a pressão do turbo, a fim de ajustar o carro facilmente para diferentes circuitos e condições climáticas.

Quando dizemos que o Gobstopper III é um carro totalmente diferente dos Impreza anteriores, portanto, não estamos exagerando. Agora, só falta vê-lo em ação – ele literalmente acabou de ficar pronto, e ainda precisa passar por seu primeiro shakedown, a fim de que a equipe da RCM encontre quaisquer arestas que precisem ser aparadas. E depois, claro, receber a clássica livery branco-e-vermelho da equipe, como visto nos GS anteriores.

Matérias relacionadas

Ferrari F1 Clienti: quando os fãs (milionários) da marca vão para a pista em seus próprios carros de Fórmula 1 da Scuderia

Dalmo Hernandes

Kraken: o mini-big-foot com motor Hemi 5.7 que destrói sedãs velhos

Dalmo Hernandes

Como a Ford colocou um Mustang no topo do Empire State Building (de novo)

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados