A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Notícias

Governo australiano irá acabar com a “autobahn” local – e até a Porsche reclamou

Não é só a Alemanha que tem rodovias sem limites de velocidade, a Ilha de Man não liga muito se você quiser dirigir a 200 km/h por lá e há vários países menos desenvolvidos que não se importam em fiscalizar a velocidade, como a Líbia ou a Índia. Há também um trecho rodoviário australiano chamado Stuart Highway, que se estende por cerca de 320 km pelo Território do Norte, onde os limite de velocidade foram abolidos em 2011. Só que esta história pode mudar em breve.

OpSZP

Desde sua criação até 2007, a Stuart Highway não teve nenhum tipo de limite de velocidade. Contudo, em 2006, quando o partido trabalhista chegou ao poder no Território do Norte, o novo governo decidiu adotar um limite de 80 km/h, semelhante ao do resto do país.

Mas contrariando a lógica popular, após a imposição dos limites o número de acidentes aumentou. Por isso, quando o partido de oposição chegou ao poder em 2011, o ministro dos transportes do Território do Norte, analisou os acidentes de 2001 a 2011 e percebeu que eles não eram relacionados à alta velocidade. Diante dos fatos, ele concluiu que abolir os limites era seguro e assim o fez.

Só que agora o partido trabalhista voltou ao poder no Território do Norte e, baseado no aumento dos acidentes na rodovia (aqueles que, em tese, não são ligados às altas velocidades), decidiu voltar a impor limites naquele trecho da Stuart Highway. Sim: parece que Mr. Han mudou para a Austrália.

Desta vez os limites serão mais altos, de 130 km/h, mas assim mesmo a decisão vem sendo criticada. Os críticos da decisão afirmam que os limites aumentam o tempo de viagem pelo trecho ermo, o que pode aumentar o número de acidentes causado por fadiga. No outro lado da discussão, os médicos traumatologistas alertam que, com velocidades maiores, os acidentes serão mais letais.

A ausência de limites de velocidade na Stuart Highway tem sido um atrativo para produtoras de cinema/vídeo e fabricantes, que usam o trecho deserto como locação para filmes comerciais e promocionais e até testes em climas quentes. Uma delas é a Porsche, que aproveitou o fim dos limites de velocidade para levar o 918 Spyder à sua velocidade máxima de 350 km/h em um vídeo promocional.

Talvez seja por isso que a fabricante alemã tenha se manifestado publicamente contra o aumento dos limites. Segundo o jornal The Telegraph, o diretor de relações públicas da Porsche, Paul Ellis, criticou a decisão dizendo: “Parece que o governo do Território do Norte está fazendo seu melhor para impedir a ida de fabricantes estrangeiros à Austrália gastar dinheiro e investir na economia local. A velocidade não mata, mas sim a imprudência ao volante. É uma vergonha que o estado queira fazer o papel de babá”.

Michael Gunner, o novo ministro-chefe do território, disse que as fabricantes e programas de TV ainda poderão solicitar autorização para filmar ou conduzir testes sem limites de velocidade. Contudo, para a maioria dos motoristas o limite será realmente de 130 km/h. Ao menos até o partido de oposição voltar à situação.

Matérias relacionadas

Placas do Mercosul podem ser suspensas até a metade de 2019 – entenda de uma vez por todas a controvérsia

Leonardo Contesini

Brian O’Conner pode voltar nos próximos “Velozes e Furiosos”

Leonardo Contesini

Governo anuncia novo acordo com caminhoneiros, mas manifestantes estão divididos sobre o fim da paralisação

Leonardo Contesini
error: Direitos autorais reservados