A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Governo pode mudar forma de cobrança do IPI, BMW diz que câmbios automatizados vão acabar, Dwayne Johnson e Jason Stathan em spin off de “Velozes e Furiosos” e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

BMW diz que câmbio manual e automatizados estão com os dias contados

BMW-Says-Manuals-And-DCTs-Will-Die-1-

Os entusiastas das antigas certamente lembram de como um câmbio automático “matava” o desempenho dos esportivos até meados dos anos 2000. Contudo, com o desenvolvimento de sistemas semi-automáticos, de embreagem dupla e a modernização dos câmbios automáticos, o desempenho dos carros que trocam as marchas por conta própria acabou superando os modelos com câmbio manual. O Camaro ZL1 com seu câmbio de 10 marchas e os Porsche 911 com o câmbio PDK são exemplos disso.

A BMW, contudo, arriscou dizer que nem mesmo os automatizados resistirão à evolução tecnológica. O vice-presidente de marketing da divisão M, Peter Quintus, acredita que os câmbios DCT também acabarão em desuso como os sistemas manuais.

Em entrevista ao site Drive, Quintus disse que a vantagem das trocas mais rápidas dos câmbios DCT está diminuindo em relação ao tempo de troca dos câmbios automáticos. “É mais uma questão de quanto tempo os DCT ainda têm. Quanto tempo eles irão durar? Estamos vendo câmbios automáticos com nove e até dez marchas, então há muita tecnologia nos automáticos modernos”, disse ao site americano. “O DCT tinha duas vantagens: era leve e trocava de marchas mais rapidamente. Agora essa vantagem dos tempos de troca desapareceu à medida em que os automáticos ficaram melhores e mais inteligentes”, completou.

Quintus ainda disse que não sabe se a próxima geração do M3/M4 terá a opção de câmbio manual. Será o fim de um dos últimos bastiões das trocas manuais?

 

Hipercarro da Mercedes-AMG será lançado em setembro com 1.020 cv

Mercedes AMG Project One -1

O hipercarro com motor de Fórmula 1 da Mercedes-AMG está se mostrando um dos grandes segredos da indústria neste ano. Até agora tudo o que sabemos até agora foi fornecido pela própria fabricante, e o modelo ainda não parece ter iniciado seus testes em vias públicas ou em Nüburgring, uma vez que até agora ele não foi flagrado.

A revista AutomobileMag, contudo, parece ter conseguido algumas informações de suas fontes nos bastidores. Segundo a publicação, o modelo será apresentado no Salão de Frankfurt em setembro e até já foi apresentado a clientes selecionados.

Como a Mercedes-AMG havia dito, ele terá um motor 1.6 V6 biturbo combinado a um sistema elétrico auxiliar, exatamente como no modelo de Fórmula 1 da divisão esportiva. A diferença é que ele será recalibrado para uso nas ruas, o que significa que ele terá mais torque em baixas rotações, marcha lenta abaixo das 1.000 rpm e rotação máxima limitada a 11.000 rpm.

A diferença é que ele terá quatro motores elétricos: um em cada roda dianteira, outro no virabrequim e outro auxiliando o turbocompressor (os dois últimos exatamente como no carro de F1). Juntos, o V6 biturbo e os motores elétricos deverão produzir juntos 1.020 cv. Além disso, o Mercedes-AMG Project One deverá ser capaz de rodar cerca de 50 km usando somente eletricidade.

A produção será limitada a 250 ou 275 carros, ainda não se sabe exatamente, e 225 deles já estão encomendados por nada menos que US$ 2,3 milhões cada.

 

Governo quer mudar forma de cobrança do IPI sobre automóveis

automoveis2

 

Com o programa Inovar-Auto chegando ao final em 31 de dezembro deste ano, conforme previsto desde sua criação, o governo federal já começou a planejar o programa que irá sucedê-lo. Batizado Rota 2030, o novo programa pretende fazer mudanças significativas para estimular a produção nacional de veículos e também pode mudar a forma de cobrança do IPI sobre automóveis.

Segundo o jornal Estadão, atualmente a indústria automotiva brasileira opera com mais de 50% de ociosidade, e o setor corresponde a quase um quarto do PIB industrial, por isso, os fabricantes e o governo estão discutindo um plano de longo prazo (daí o nome 2030) para colocar o Brasil entre os seis maiores produtores mundiais de veículos em 12 anos.

Entre as medidas estão o investimento maciço em pesquisa e desenvolvimento, para que o Brasil possa produzir conjuntos eletrônicos — hoje todos importados e desenvolvidos no exterior —, que são uma tendência cada vez mais evidente na indústria automotiva. Além disso, também há planos de federalizar a inspeção veicular para retirar de circulação veículos antigos. Segundo o Estadão, há mais de 250 mil caminhões com mais de 30 anos circulando no Brasil.

A cobrança do IPI, por sua vez, poderá ser alterada para considerar o nível de consumo de combustível dos veículos, em vez de usar a cilindrada — um método que deixou de fazer sentido com a evolução tecnológica das últimas décadas. Com a mudança, carros mais econômicos pagariam menos IPI, o que também pode finalmente encerrar a era dos veículos 1.0 no Brasil, permitindo a adoção de motores de maior cilindrada e consumo de combustível semelhante aos 1.0.

Por último, o programa também visa adotar uma série de medidas para ampliar a informação ao consumidor. Uma delas poderá ser um sistema de notas de segurança, de forma semelhante ao programa de etiquetagem do Inmetro, que mede o consumo de combustível dos veículos.

A intenção do governo é definir os detalhes do Rota 2030 até o dia 30 de agosto, quatro meses antes do encerramento do Inovar-Auto.

 

Jason Statham e Dwayne Johnson serão protagonistas do spin-off de “Velozes e Furiosos”

landscape-1492800583-gallery-1492597790-js-fast-8

Foi no final de 2015 que Vin Diesel falou pela primeira vez sobre spin offs e prequels de “Velozes e Furiosos”. Sim, a franquia se tornou uma mina de ouro, como ficou claro com o recorde de bilheteria de US$ 532,5 milhões na primeira semana de “Velozes 8”, e é evidente que os produtores (Diesel é um deles) e a Universal Studios vão explorar ao máximo o valor da marca.

Agora, depois de um ano e meio desde a declaração de Diesel, um dos spin offs já parece estar encaminhado, como revela o site Deadline. O filme ainda não tem nome, mas terá como protagonistas Jason Statham e Dwayne Johnson e será escrito por Chris Morgan, o roteirista da franquia desde “Tokyo Drift”.

O filme será baseado na clássica fórmula de parceiros policiais: Luke Hobbs (Johnson) e Deckard Shaw (Statham) serão forçados a confiar um no outro quando eles acabam juntos em uma missão. Johnson já havia deixado escapar que Hobbs seria o protagonista deste spin off na semana passada, durante as entrevistas de lançamento de “Velozes e Furiosos 8”, mas depois desconversou e disse que primeiro quer “entregar Velozes 8 e deixar o mundo curtir o filme”, e somente depois conversaria sobre spin offs. 

Matérias relacionadas

Outubro Rosa 2018: Este carro salvou um entusiasta da depressão e deixou uma mensagem importante sobre o câncer

Juliano Barata

Pagani Zonda Fantasma Evo: quase falecido em um acidente, renascido muito mais brutal

Dalmo Hernandes

Mustangs, Dodges, Cobras e picapes: conheça os carros da coleção pessoal de Carroll Shelby

Leonardo Contesini