Great News: as camisetas do FlatOut “Stripe” chegaram (update: veja nos comentários)

Juliano Barata 17 novembro, 2017 0
Great News: as camisetas do FlatOut “Stripe” chegaram (update: veja nos comentários)

Fala galera, tudo beleza? Na madrugada tem novidade quente na loja do FlatOut: acabamos de inserir no estoque as camisetas Stripe, que exibem as clássicas “racing stripes” no peito. Junto com este lote, chegou uma reposição das Fujiwara (que estavam praticamente esgotadas) e um pequeno lote das FlatOut Type – se você está pensando nela, dê um gás! Se o seu tamanho não aparecer disponível (P, M, G, GG), é porque esgotou.

Como sempre, pedimos para que, antes de você realizar a compra, conferir a tabela de medidas das camisetas, presentes na página de cada produto. Meça o comprimento da junção da gola até a barra, e o torax entre as axilas (bem na junção). Não estique a peça pra medir, apenas a repouse sobre uma superfície plana e meça! Para dar uma referência, elas lembram bastante as camisetas de lifestyle da Nike. Em algumas semanas chegarão os tamanhos XG e XXG, maiores e com modelagem mais generosa no tórax e barriga.

tabelamedidas-outubro-de-2017-novanova

O endereço da loja do FlatOut é bico, clique para acessar: loja.flatout.com.br

 

Camiseta FlatOut Stripe

flatout-stripe

Clássica e elegante, apresenta o nosso logo do FlatOut com as racing stripes descendo do ombro esquerdo até o peito. No braço direito, o n. 1 serigrafado e a etiqueta “F!” bordada balanceiam a arte. Algodão levíssimo de fiação japonesa, corte entre o slim e o regular. Clique aqui para a Stripe preta ou então aqui para a Stripe branca.

 

Camiseta Fujiwara

flatout-camiseta-fujiwara

Nosso tributo ao lendário Takumi Fujiwara! Logo da loja de Tofu no peito, insígnia Akina Speed Stars no braço direito e um acabamento especial nas mangas homenageando a pintura do Trueno AE86 de Takumi. Etiqueta bordada “F!” na barra. Algodão 30.1 leve de fiação japonesa, corte entre o slim e o regular. Clique aqui para acessar o produto.

 

Camiseta FlatOut Type

carrossel-flatout-type-preta-01

Versão “billboard” do nosso logo, exibe a tipografia do FlatOut grande no peito, com nossas racing stripes e o n. 1 serigrafados no braço direito. Etiqueta bordada “F!” na barra. Algodão 30.1 leve de fiação japonesa, corte entre o slim e o regular. Clique aqui para a Type preta ou então aqui para a Type branca.

 

O que mais temos disponível na loja hoje?

interna-sticker-flatout-01flatout-mediumflatout-smallflatout-oil

Além das camisetas, temos quatro produtos adesivos de altíssima qualidade, fabricados pelo mesmo fornecedor OEM de diversas marcas, como Mercedes-Benz, Fiat, Ford e VW, e que atendem às especificações e materiais usados pela indústria automotiva. Não são adesivos de qualidade genérica feitos com impressão a laser. Além do acabamento de alto nível e corte customizado, eles aguentam chuva e sol por muitos anos a fio, sem desbotar.

Optamos por este caminho de qualidade extremada porque, além de sentirmos que a qualidade dos produtos precisa seguir a qualidade das matérias do site, nós somos entusiastas exigentes como vocês. Não gostaríamos de colocar algo “mais ou menos” nos nossos Project Cars, e sentiríamos vergonha de vender algo “mais ou menos” para vocês colocarem nos carros que vocês amam.

É só clicar nas imagens acima para visitar a página do produto. Ou então, vá por aqui: Badges FlatOut (2 ud.) | FlatOut Type Medium (2 ud.) | FlatOut Type Small (2 ud.) | Etiqueta de Troca de Óleo (4 ud.)

 

Sua compra permite que o FlatOut continue existindo

Nota: este texto continua sendo divulgado para que novos leitores entendam a razão da loja existir.

flatout-team-pagina

Pessoal, acreditamos que a verdade feia é muito melhor que a mentira bonitinha. Por isso, se você gosta do FlatOut, puxe uma cadeira e sirva-se conosco para este papo.

Direto e reto: o jornalismo em todo o mundo está passando por uma crise econômica que não possui mais volta. A publicidade nos veículos de mídia, principal (na maioria das vezes, a única) fonte de renda, se tornou escassa e rasa de forma geral: na disputa de foice entre o Google (lembrando que o YouTube é deles) e o Facebook, ambos acabaram retendo pra lá de 90% dos investimentos de publicidade na área digital. Com isso, o jornalismo, que já vinha cambaleando no impresso, deixou de ser um negócio economicamente viável até no digital. Para se ter uma ideia, estes banners de Adsense (que é, adivinha de qual empresa) que você vê no site mal pagam um repórter, mesmo com nossa audiência de 2 milhões de visitas por mês. No YouTube, temos registros do mesmo tipo de rendimento. O Facebook não rende um real a ninguém, pelo contrário: há uma certa coação para que você pague para impulsionar o seu conteúdo, fazendo uso de estrangulamentos por meio de algoritmos. No pay, no gain.

akiranakaismaller

O nine-eleven de pista Rotana, preparado por Akira Nakai, tem um badge nosso. Instalado pelo próprio Nakai!

Nós temos a independência para poder escancarar isso com todas as letras – e temos certeza que muita gente graúda do setor vai acenar a cabeça positivamente ao ler isso, mas publicamente jamais poderão se manifestar. O público de forma geral não sabe disso. O fato é que todas as editorias estão à beira do colapso, sejam as pertencentes a grandes grupos de mídia, sejam as independentes. Pegue sua revista favorita e compare a espessura com a de 10 anos atrás. Agora, procure pelas propagandas. No digital, este problema é idêntico, mas transparece menos.

Curiosamente, a própria mídia acaba sendo vítima de si mesma: quase nenhum veículo de mídia fala disso porque não quer se expor. Então o setor está morrendo de dentro pra fora, de forma velada.

A crise do Brasil deixa este efeito de crise mais agudo, mas a situação emergencial mesmo em economias sadias como a dos EUA deixa claro que o jornalismo está esfarelando economicamente. Anote isso: nos próximos meses, mais e mais revistas, canais de vídeo e sites continuarão a ficar cada vez mais magros, até ficarem moribundos (com redução de produção crescente) e encerrarem suas atividades, aqui e lá fora, grandes e pequenos.

O fato de nosso barquinho do FlatOut ser pequeno (e mesmo assim custa muita grana, pois é uma equipe de seis pessoas e nossa audiência de 2 milhões de visitas por mês custa uma bala em hospedagem) dá uma certa margem de manobra. Nos permite tomar saídas ousadas, como a de criar uma loja para tentar subsidiar a operação jornalística do FlatOut. E a loja custa caro, pois é feita todo do jeito certo na parte fiscal, contábil, técnica e logística. Isso sem falar na qualidade dos produtos.

09 - 2017 - Gabriel Simões

O capacete de Gabriel Simões carrega o nosso adesivo FlatOut Type Medium! Clique para ampliar

Cada carro decorado com nossos badges ou adesivos, cada pessoa que você vir vestindo nossas camisetas, todos carregam esta mensagem de que interessa a eles nos ajudar a suportar esta bandeira. Não é apenas a aquisição de um produto. Veja-os como entusiastas que decidiram botar uma gasolina na nossa Minardi para ela continuar acelerando. Em muitos sentidos é algo parecido com o crowdfunding, mas entregando um produto de alta qualidade como um “token”.

Nossa missão a partir daqui é lançar produtos cada vez mais legais e interessantes, de forma que a galera continue comprando periodicamente e não fique apenas numa empolgação inicial. Tudo isso é para que nós mesmos continuemos fazendo aquilo que nós gostamos de fazer. Enquanto tivermos lenha pra queimar, continuaremos acelerando fundo.

09 - 2017 - Irvin 1

O Kadett GSi conversível do leitor Irwin, com o nosso badge no para-lama dianteiro