FlatOut!
Image default
Automobilismo Zero a 300

GTP ZX-Turbo: o protótipo de 1.000 cv que ajudou a Nissan a triunfar nos Estados Unidos há 30 anos

Começa hoje a 31ª edição da ZCON (Z Convention), que vai até o dia 20 de outubro. E do que se trata a ZCON? Simplesmente de um encontro que acontece todos os anos nos EUA para celebrar os Z-Cars da Nissan – a linhagem de esportivos que inclui alguns dos carros mais adorados já feitos pela Nissan, conhecidos por suas participações em categorias de ponta no automobilismo e aparições em games de corrida clássicos – caras como o o Datsun 240Z, o 300ZX e o 370Z. É quase como um Wörthersee Treffen para os carros da Nissan, exceto que o evento sempre é realizado em um circuito de corridas, com hot laps para os participantes. E, como acontece no Wörthersee, a própria fabricante participa ativamente das festividades.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

Todos os anos a Nissan leva alguns carros de seu acervo para o ZCON, e desta vez não vai ser diferente. E você sabe qual vai ser a estrela em 2018? O GTP ZX-Turbo, primeiro protótipo criado pela Nissan para competir nos Estados Unidos que, há 30 anos, concedeu à Nissan sua primeira vitória no campeonato de protótipos-esporte da IMSA, em 1988. E, tecnicamente, ele também é um Z-Car.

A história começa em 1984, quando a Nissan decidiu participar do campeonato da IMSA para tornar a marca mais conhecida nos Estados Unidos. Desde o fim da década de 1960 os carros da fabricante faziam sucesso na terra do Tio Sam, mas eles eram vendidos sob a marca Datsun. A entrada em um campeonato de alto escalão nos EUA era uma estratégia para gravar o nome da Nissan na mente do público.

Para tal, a Nissan contratou uma companhia norte-americana chamada Electramotive Engineering, que ficaria encarregada de construir o carro. A própria fabricante forneceria o conjunto mecânico – um V6 de três litros baseado no motor VG30ET utilizado pela geração Z31 do Nissan 300ZX – e a Electramotive também ajudaria no processo de tornar o motor apropriado para provas de longa duração. Desta forma, a Nissan poderia usar o GTP ZX-Turbo em campanhas publicitárias para o 300ZX, dizendo que ele tinha o “mesmo” motor do carro de corrida.

De fato, o projeto usado como ponto de partida para o motor do GTP ZX-Turbo foi o V6 do 300ZX, com deslocamento de 2.960 cm³ e comando simples nos cabeçotes. No entanto, extensas modificações foram realizadas para garantir um verdadeiro salto de potência: enquanto o mais forte dos 300ZX Z31 entregava 200 cv, a potência declarada do protótipo era de 800 cv. Depoimentos dos pilotos que conduziram o carro na época, porém – como Geoff Brabham, que é o filho mais velho de Jack Brabham e que fazia parte do time que conquistou o título da IMSA GTP em 1989 – sugerem que, na prática, a potência do Nissan GTP ZX-Turbo ficava entre 900 cv e 1.000 cv, dependendo do acerto.

952168

No início do programa, a Nissan e a Electramotive “terceirizaram” o desenvolvimento da estrutura e da carroceria do protótipo para a Lola Cars, uma das mais tradicionais construtoras de carros de corrida, que executaria o projeto de acordo com as especificações de seus clientes. Assim, os protótipos utilizados nas temporadas de 1985, 1986 e 1987 receberam chassis Lola.

Era uma questão financeira: eram estruturas parcialmente montadas, que precisariam apenas de adaptações aerodinâmicas feitas pela Electramotive – o que também trazia a vantagem de reduzir o tempo gasto na fabricação de cada carro. Dito isto, houve alguns exemplares que aproveitaram chassis previamente utilizados por outro carro de corrida, o Lola T710, também conhecido como Chevrolet Corvette GTP.

CorvetteGTP

As provas da IMSA GTP eram disputadas em circuitos como Laguna Seca e Road Atlanta, e também incluiam as etapas das 24 Horas de Daytona e 12 Horas de Sebring. Nas três primeiras temporadas o desempenho da Nissan como GTP ZX-Turbo foi apenas mediano: em 1985 a equipe ficou com o nono lugar; em 1986, em sétimo; e em 1987, em sexto. Ao menos em 1987, na etapa disputada nas ruas de Miami, o Nissan GTP ZX-Turbo de Elliot Forbes-Robinson e Geoff Brabham conquistou sua primeira vitória.

Foi apenas em 1988 que a sorte da equipe virou. E pode ser coincidência, mas foi exatamente na temporada de 1988 que a Electramotive colocou em prática diversas alterações desenvolvidas ao longo do programa. Uma nova carroceria foi desenvolvida pelo designer da Nissan, Yoshi Suzuka e um novo monocoque, completamente diferente do projeto “emprestado” da Lola e projetado internamente.

nissan_gtp_zx-turbo_1 nissan_gtp_zx-turbo_3 nissan_gtp_zx-turbo_4Nissan_GTP_ZX-Turbo_cockpit

Desvencilhar-se da Lola talvez fosse o que a Nissan precisava, porque o desempenho do GTP ZX-Turbo mostrou-se muito superior aos anos anteriores. Prova disto foi uma sequência inacreditável de vitórias: em um grid que contava com verdadeiros monstros, como o Jaguar XJR-9 e o Porsche 962C, os japoneses conseguiram vencer nove das 17 etapas, com oito vitórias em sequência. Embora não tenha ficado com o título dos construtores por apenas um ponto (a vencedora foi a Porsche), a Nissan viu seu piloto principal Geoff Brabham abocanhar o título dos pilotos.

nissan_gtp_zx-turbo_8

Era toda a motivação de que a equipe nipo-americana precisava para 1989, que foi um ano matador. A Nissan só não havia sido campeã no ano anterior porque, temerosa pela confiabilidade dos carros, optou por não disputar as duas provas mais longas do calendário – as 24 de Daytona e as 12 Horas de Sebring. Em 1989, porém, a Nissan participou de ambas as corridas e, embora não tenha chegado ao fim da corrida em Daytona, conseguiu vencer em Sebring. Com outras nove vitórias em 20 etapas (contra apenas três da Jaguar, para se ter noção do tamanho da conquista), a Nissan faturou o título da IMSA GTP em 1989 e Geoff Brabham sagrou-se bi-campeão. O desempenho se repetiu em 1990, e a missão do GTP ZX-Turbo nos EUA estava cumprida.

nissan_gtp_zx-turbo_7

Na verdade o carro tinha um conjunto mecânico tão eficiente que seu sucessor, o Nissan NPT-90, tinha um design totalmente novo na carroceria, mas conservou o motor V6 VG30ET. E venceu novamente em 1991.

Nada mais justo, então, que homenagear o Nissan GTP ZX-Turbo no ZCON deste ano. Aliás, não estamos falando de um carro que passa o tempo todo guardado em no museu da Nissan: ele costuma sair regularmente para aparições em eventos de pista como o Goodwood Festival of Speed. Seria um pecado se ele não o fizesse.

 

 

Matérias relacionadas

As incríveis perseguições de Rémy Julienne, o campeão de motocross que virou piloto-dublê

Dalmo Hernandes

BMW M3 GTR E46: este foi o primeiro M3 com motor V8 já feito – e é o mais raro de todos

Dalmo Hernandes

Simuladores voltam a ser obrigatórios em auto escolas, Koenigsegg One:1 quebra recorde de Spa, Fiat Toro flagrada com menos camuflagem e mais!

Leonardo Contesini