A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Notícias Vídeo

Helio Castroneves saiu ileso deste acidente impressionante nos treinos para a Indy 500

O brasileiro Helio Castroneves sofreu um acidente impressionante no oval de Indianapolis nesta última quarta-feira (13). Durante os treinos para a Indy 500 o piloto perdeu o controle do carro, bateu no muro do oval e acabou decolando e voando por dezenas de metros antes de aterrissar sobre o santantônio e depois cair sobre as quatro rodas. É difícil de acreditar, mas o piloto saiu ileso.

Marcada para o dia 24 de maio, a Indy 500 de 2015 será a sexta de dezesseis corridas na temporada, e a 99ª edição realizada em toda a história da prova. Helio Castroneves vem conseguindo destaque no campeonato, tendo conquistado duas pole positions (Long Beach e Birmingham) e dado a volta mais rápida em São Petersburgo (na Flórida, não na Rússia), corrida que abriu a temporada. O brasileiro é o terceiro na classificação geral do campeonato, atrás do líder Juan Pablo Montoya e Will Power, o segundo colocado.

Sendo assim, é plausível esperar nos treinos de classificação dos dias 16 e 17, Castroneves consiga outra pole. Mas isto só será possível porque ele escapou sem um arranhão do acidente na última quarta-feira (13).

Castroneves perdeu o controle de seu Penske com motor Chevrolet na primeira curva do circuito, logo no início da sessão de treinos. O vídeo abaixo, divulgado pela IndyCar, dá boas pistas do que provavelmente aconteceu.

Aparentemente Helio tenta aplicar uma leve dose de contra-esterço na entrada da curva — contrariando a recomendação típica dos circuitos ovais, de evitar ao máximo o contra-esterço em curvas inclinadas (bankings): o risco de os pneus dianteiros ganharem aderência repentinamente e travarem o carro é alto. Nesse caso, o curso natural e praticamente inevitável é rodar o carro e beijar o muro. O vídeo traz a pancada de diversos ângulos e o fenômeno é visível.

castroneves-helio

Também é possível ver a reação de Helio assim que ele se dá conta da situação: ele larga o volante e fica com os braços colados contra o corpo. É tudo o que o piloto pode fazer para reduzir a chance de lesões nas mãos, pulsos e braços pelos contra-golpes do volante, e na coluna cervical — esta, sujeita a uma desaceleração imensa na ocasião de um impacto em alta velocidade. O carro de Castroneves bate de lado no muro e a aerodinâmica inversa (de repente a pressão que incide sobre o assoalho do carro é muito maior) faz com que ele decole, sendo possível observar o carro sendo “carregado” pelo ar como uma folha de papel.

Por outro lado, também dá para perceber como a célula de segurança onde o piloto fica permanece intacta. Castroneves saiu do carro sem a ajuda de ninguém e foi caminhando, ileso, até a ambulância. De acordo com a IndyCar, ele foi examinado e liberado pelo centro médico de Indianápolis. Poucas horas depois, já cedia entrevistas como a que colocamos abaixo, na qual ele comenta a experiência desagradável e, mais tranquilo, até brinca com a situação.

“Foi uma aterrissagem suave, porque quando você fica de ponta cabeça no carro, nunca é suave. Mas a minha equipe estava até fazendo piada, porque eu vi as imagens e achei que fui muito bem, merecia pelo menos um 10. Eles me deram 9,5 e disseram que se eu saísse do carro e fizesse uma dancinha, aí mereceria um 10”, brinca. “Foi realmente inesperado. Eu acho que foi uma combinação de vários fatores, e ainda temos o novo kit aerodinâmico. A gente sempre tenta alguma coisa para ir mais rápido, mas ainda não temos dados suficientes para saber o que esperar de uma situação como esta”, diz o piloto ao canal Racer no YouTube.

castroneves-helio

O entrevistador até compara o acidente de Castroneves com o que ocorreu há 12 anos, em 2003, com Mario Andretti. Foi uma situação parecidíssima: Andretti perdeu o controle depois de atingir os destroços de um carro que havia batido e acertou o muro a mais de 300 km/h. O carro decolou e deu várias piruetas naquele que foi um dos acidentes mais dramáticos da história da Fórmula Indy, e Andretti (que já estava com 63 anos) saiu caminhando, apenas com um hematoma no pescoço.

Por outro lado, nem sempre o piloto que se envolve em um acidente como este tem tanta sorte: em 1982, Gordon Smiley bateu exatamente da mesma maneira que Castroneves no dia da pole position, mas seu carro explodiu no momento do impacto e o americano morreu na hora. O vídeo em câmera lenta mostra o momento exato do ganho súbito de grip, quando o carro perde o controle e bate no muro.

[ Fotos: AP ]

Matérias relacionadas

Motorista embriagado capota a 200 km/h e filma tudo com o celular em Minas Gerais

Dalmo Hernandes

Rolls-Royce Cullinan: esta é a cara do novo SUV da marca britânica

Leonardo Contesini

Novos extintores de incêndio serão obrigatórios a partir de 2015. Saiba se você precisará trocar o seu

Leonardo Contesini