A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Hipercarros e Aston Martin confirmados em Le Mans, o novo Alpine A110S, o fim dos simuladores nas auto-escolas e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

WEC confirma categoria Hypercar para 2020

A Federação Internacional do Automóvel (FIA) e o Automobile Club de l’Oest (ACO) anunciaram nesta manhã de sexta-feira a criação da categoria Hypercar para a temporada de 2020-21 do Mundial de Endurance (WEC) e, claro, a 24 Horas de Le Mans.

Ainda não está claro se a LMP1 deixará de existir ou se o nome será mantido e apenas o regulamento modificado. O que se sabe é que o regulamento é mais relaxado e abrangente para atrair mais fabricantes e equipes independentes, de forma que o grid volte a ficar mais competitivo.

Nos últimos anos, o esvaziamento da categoria LMP1 tirou muito da competitividade devido ao desequilíbrio de desempenho entre os protótipos híbridos (LMP1-H), mais caros e, por isso, usados somente por fabricantes, e os LMP1 regulares, usados por equipes independentes. Com a retirada de Audi e Porsche, a Toyota ficou como a única a correr na LMP1-H, o que exigiu uma revisão nos termos de Equivalência de Tecnologia para equilibrar o desempenho dos protótipos da classe.

O regulamento final foi ligeiramente alterado (teremos um post sobre ele mais adiante), mas em termos gerais, os carros poderão ser baseados em hipercarros produzidos em série ou carros construídos do zero para a categoria, desde que tenham 20 unidades em dois anos. O peso mínimo será 1.100 kg, podendo ser híbridos ou não, com potência na casa dos 750 cv. (LC)

 

Aston Martin confirma Valkyrie para Le Mans em 2021

Com a aprovação da categoria Hypercar, a Aston Martin confirmou que irá voltar a Le Mans depois de 20 anos. A marca britânica confirmou que irá inscrever ao menos duas unidades do Valkyrie na 24 Horas de Le Mans de 2021. A data foi escolhida para comemorar os 100 anos da estreia da Aston em Le Mans.

Como era de se imaginar, o carro será baseado no Valkyrie AMR, cujo projeto aerodinâmico ficou a cargo de Adrian Newey — o que o coloca como um dos favoritos desde já, especialmente se o designer estiver novamente envolvido com o projeto de conversão do AMR em carro de corrida. (LC)

 

Alpine A110S é apresentado com 292 cv

Depois de uma dose moderada de suspense, com alguns flagras do carro em testes e apenas dois teasers oficiais, a francesa Alpine ropevelou a nova versão de topo do A110, seu esportivo retrô de motor central-traseiro com mecânica Renault. O chamado A110S usa o mesmo quatro-cilindros emprestado do Mégane RS, porém massageado para entregar 292 cv a 6.400 rpm e 32,6 kgfm de torque entre 2.000 e 6.400 rpm – a versão comum tem 252 cv a 6.000 rpm e os mesmos 32,6 kgfm de torque, porém entre 2.000 e 5.000 rpm. A potência extra é cortesia de um aumento na pressão do turbo de 1,1 bar para 1,5 bar.

A transmissão também é a mesma Getrag de dupla embreagem e sete marchas, ligada às rodas traseiras por um diferencial eletrônico com vetorização de torque. Segundo a Alpine, o conjunto é suficiente para levar o A110S, que pesa 1.114 kg em ordem de marcha, aos 100 km/h em 4,4 segundos, com velocidade máxima de 260 km/h.

Além do motor mais potente, o A110S recebeu um novo acerto de suspensão, com molas 50% mais firmes e barras estabilizadoras com o dobro da rigidez original. Os amortecedores também forma recalibrados. O A110S é 4 mm mais próximo do chão que a versão comum.

As rodas de 18 polegadas calçam pneus 215/40 na dianteira e 245/40 na traseria, abrigando freios com discos de 320 mm na dianteira e na traseira. Na frente, os discos são mordidos por pinças de quatro pistões, enquanto na traseira elas são de apenas um pistão. Freios Brembo são opcionais.

Por fora, o A110S tem alguns detalhes que o diferenciam do modelo de entrada: as rodas “GT Race” são exclusivas da versão, com acabamento escurecido; há emblemas nas colunas posteriores com detalhes me laranja e preto; e a pintura cinza-fosco “Gris Tonnerre” é opcional, e disponível apenas para o A110S.

Por dentro, os detalhes em azul do A110 normal são substituídos por costuras laranja e elementos na mesma cor, como a marca das 12 horas no volante. Os pedais e descansos para os pés são de alumínio. No geral, o carro ganhou um ar mais agressivo e radical, porém ainda ficou discreto.

Agora, só falamos aqui do Alpine A110S para ficar com um pouco de inveja – ele não deverá ser vendido no continente americano, como o A110 comum já não é. Os europeus que decidirem comprá-lo vão começar a receber seus exemplares em outubro, a um preço de € 66.500, ou por volta de R$ 288.000 em conversão direta. Ou seja: ele não sairia por menos de R$ 500.000 por aqui. (DH)

 

Contran retira obrigatoriedade de simuladores no processo de habilitação de motoristas

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) decidiu na última quinta-feira (13) que os simuladores não serão mais obrigatórios no processo de habilitação de motoristas. Segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, o uso do simulador será opcional.

A mudança já havia sido defendida pelo presidente Jair Bolsonaro em fevereiro como uma forma de reduzir o custo elevado da habilitação (que chega aos R$ 2.000 em alguns estados). Segundo o ministro Freitas, somente a desobrigação do simulador deverá reduzir em até 15% o custo do processo, uma vez que quantidade mínima de horas-aula será reduzida de 25 para 20 (o simulador ocupava 5 horas-aula).

Os centros de formação de condutores que desejarem, poderão continuar oferecendo o uso do simulador como opcional ou como treinamento complementar, podendo ser incluído no período mínimo de aulas práticas.

Segundo o ministro, além do custo elevado, o simulador não tem eficácia comprovada e não é utilizado como treinamento obrigatório em nenhum país do mundo, mesmo naqueles que tem baixos índices de acidentes de trânsito. O ministério também espera que os centros de formação que saíram do mercado devido à inviabilidade do uso de simuladores possam voltar a operar, fomentando a concorrência e reduzindo o custo da habilitação. (LC)

 

Mitsubishi pode estar planejando uma rival para a Ford Ranger Raptor

A Mitsubishi apresentou no início do ano um conceito baseado na atual L200 (também conhecida como Mitsubishi Triton em alguns mercados). Chamada Mitsubishi Triton Absolute Concept, a picape trazia elementos off-road bem pronunciados, com pneus lameiros Falken, bead locks nos aros das rodas, suspensão elevada, rack de teto com LEDs e protetor de caçamba, além de alguns detalhes em fibra de carbono na carroceria.

Vista por muitos como uma rival da Mit para a Ford Ranger Raptor, a Triton Absolute pode vir a ser produzida. É o que dizem os australianos do site Car Advice, que conseguiram algumas imagens de registro da picape. Segundo eles, a Triton/L200 Absolute deverá chegar ao mercado com poucas alterações em relação ao conceito.

A ideia, supostamente, é oferecer uma versão com mais capacidade off-road e design mais agressivo, sem alterar o motor e limitando-se a mudanças na suspensão e na estética. Embora a Mitsubishi não comente o assunto, o Car Advice diz que o conceito Absolute vem sendo exibido em diferentes concessionárias australianas, o que pode ser um indício dos planos. (DH)

 

Parceria entre Ford e Volkswagen deve ser fechada em Julho

A nova parceria entre a Volkswagen e a Ford está perto de ser revelada oficialmente. Atualmente as empresas tem um acordo que engloba apenas a plataforma compartilhada para picapes médias e o desenvolvimento de veículos comerciais.

Segundo fonte do Automotive News o acordo entre a Ford e a VW para compartilhamento de tecnologia de carros elétricos e direção autônoma está perto de ser fechado, com previsão de ser divulgado em julho. A Volkswagen tem grande interesse em aumentar sua participação no mercado norte-americano, enquanto a Ford está atrasado em carros elétricos.

A Ford comprou a Argo AI em 2017, empresa de desenvolvimento de veículos autônomos, é esperado que a VW também seja beneficiada pela tecnologia desenvolvida por essa empresa. (ER)

 

Gemballa planeja fazer um supercarro

Depois de se tornar famosa modificando Porsche 911, Mercedes SEC e Ferrari Testarossa com estilo exagerado marcou época nos anos 80, a Gemballa agora quer fazer o seu próprio supercarro e já revelou um sketch dele.

Segundo Steffen Korbach, dono da preparadora, o plano é fazer um esportivo puro-sangue, com estilo agressivo e mais de 800 cv. Poucos detalhes sobre o carro foram revelados, as descrições dadas pela empresa foram feitas com apenas com as palavras “descompromissado”, “radical”, “puro” e “luxuoso”.

Está previsto para o primeiro protótipo ser apresentado em 2020 e o carro pronto seja lançado em 2022. Não foram revelados detalhes sobre powertrain ou se haverá eletrificação, a palavra “puro” pode indicar que o esportivo seja movido apenas por um motor à combustão. (ER)

 

Ferrari 612 Scaglietti ganha versão shooting brake

A Ferrari 612 Scaglietti faz parte de um passado cada vez mais distante – ela foi produzida entre 2004 e 2011 e, sendo substituída pela FF. A Ferrari FF, por sua vez, deu lugar à GTC4Lusso em 2016. Agora, quase dez anos depois do fim, a antiga grand tourer da Ferrari ganhou uma nova versão graças ao aftermarket.

A holandesa Vanderbrink Design acaba de apresentar a 612 Scaglietti Shooting Brake – sim, uma perua de duas portas. A ideia foi mostrada pela primeira vez em 2008, mas só agora se concretiza.

O trabalho da Vanderbrink consiste em modificar toda a traseira da 612 Scaglietti para dar a ela um teto mais longo e uma tampa traseira do tipo harchback. Esta, por sua vez, dá acesso a um compartimento de carga bastante generoso, iluminado e revestido em couro.

A conversão certamente adiciona algum peso à 612 Scaglietti, mas o motor V12 de 5,7 litros com 540 cv e 60 kgfm de torque não deverá ter seu desempenho comprometido – originalmente, o carro vai de zero a 100 km/h em 3,4 segundos, com máxima de 335 km/h. (DH)

Matérias relacionadas

Volkswagen confirma detalhes do T-Cross brasileiro, Renault pode oferecer Megane RS no Brasil, Bugatti cogita SUV híbrido e mais!

Leonardo Contesini

Ford GT flagrado em versão de produção, Bernie Ecclestone diz que F1 está “uma porcaria”, Bentley pode fabricar EXP10 e mais!

Leonardo Contesini

Não é sempre que um Chevrolet Calibra bem cuidado como este aparece à venda

Dalmo Hernandes