Initial D com carros (e movimentos) de verdade é o simulador mais incrível que você pode querer

Leonardo Contesini 21 dezembro, 2014 58
Initial D com carros (e movimentos) de verdade é o simulador mais incrível que você pode querer

Há menos de dez dias encontramos um simulador baseado em câmeras instaladas no teto de carrinhos rádio-controlados e achamos que seria difícil encontrar algo mais realista que eles. Mas agora devemos admitir: estávamos errados. Porque nada pode ser mais realista do que usar um Toyota AE86 de verdade e com movimentos reais para jogar Initial D. Ou pode?

O que você vê na imagem acima e nos vídeos a seguir, é o simulador Initial D Arcade Stage 4 Limited, uma das atrações do Sega Joypolis em Tóquio, Japão. Diferentemente da maioria dos cockpits de games em parques temáticos, ele não é uma mera reprodução dos carros do game, mas sim um carro de verdade com volante, pedais e câmbio controlando o game. Logicamente, os controles foram adaptados no carro — a coluna de direção deu lugar a um motor elétrico com sensores, exatamente como no seu Logitech G27, assim como os pedais com cilindros mestre e cabo de acelerador foram trocados por potenciômetros e o câmbio por interruptores.

Até aí tudo bem, pois já vimos vários projetos de cockpits com peças originais de carros feitos em casa. Mas nenhum deles usava um sistema motorizado hidro-pneumático para movimentar o carro de acordo com a física do jogo. Sim! Nesse arcade de Initial D você entra em um AE86 e é submetido aos movimentos reais de um dorifuto numa montanha japonesa como se estivesse no cenário de Initial D. Só falta o cheiro de Tofu no ar — mas talvez você consiga convencer os funcionários do parque a te deixar entrar com um pedaço do queijo de soja no simulador.

O arcade é formado por três carros em suas respectivas plataformas de movimento, o AE-86 de Takumi Fujiwara, o Mazda RX7 de Keisuke Takahashi ou o Subaru Impreza de Bunta Fujiwara. Infelizmente, como em toda atração de parque temático, você não poderá escolher o carro a ser usado quando chegar a sua vez — você entra na fila e usa o carro que for liberado, mas quem se importaria? Outro inconveniente é que há apenas uma tela plana montada na frente do carro, então não vai adiantar olhar para o lado quando você estiver no meio da derrapagem.

Agora, se você achou que é moleza adaptar um volante de game em um carro de verdade, aqui vai algo ainda mais notável: um grupo de gênios da programação conseguiu conectar um game à ECU de um Volkswagen Scirocco e usar todos os sensores do carro para controlar um game.

Como já explicamos em uma série de posts técnicos aqui no FlatOut, os carros modernos usam uma infinidade de sensores para controlar injeção de combustível, ponto de ignição, relação estequiométrica da mistura ar-combustível, além do ABS, e sistemas de controle de estabilidade, tração, arrancada e afins. Esses sensores conseguem medir o ângulo e posição do volante, esterçamento e rotação das rodas, posição do carro, posição do acelerador e válvula borboleta, posição do pedal do freio e atuação das borboletas do câmbio.

Sendo assim, usando um código inteligente de programação é possível usar esses sensores para enviar sinais ao game, e assim controlar o carro virtual como se estivesse usando um volante gamer qualquer. O resultado é simplesmente brilhante: você dirige seu game preferido a bordo do seu próprio carro, com o volante, banco e pedais do jeito que você está mais acostumado.

Mas pensando bem, o negócio pode ficar ainda melhor: imagine juntar a plataforma de movimento do Initial D Arcade, os comandos desse VW Scirocco e o modo de telemetria do Toyota GT86 para Gran Turismo 6, que te permite fazer um circuito do mundo real usando um sistema de tracking GPS? Isso sim seria o simulador mais realista e perfeito possível. Se algum de vocês conseguir integrar tudo isso, sugerimos o nome “The FlatOut Badmotherfckr UltraReal Racing Simulator“. Depois, pode deixar que a divulgação fica por nossa conta enquanto você se prepara para a fama e o sucesso.

[ via Car Throttle ]