A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Jeremy Clarkson demitido da BBC , um acidente de R$ 23 milhões, Toyota Prius poderá ser feito no Brasil e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Jeremy Clarkson foi demitido da BBC nesta quarta-feira

Jeremy Clarkson

Jeremy Clarkson foi demitido da BBC nesta quarta-feira (25). A confirmação foi divulgada às 14:00 do horário local (11:00 em Brasília) pela própria emissora britânica. Como você já deve saber, Clarkson se envolveu em uma discussão com um dos produtores de Top Gear e teria o agredido fisicamente. Diante disso, a BBC inicialmente suspendeu Jeremy Clarkson e cancelou o restante da atual temporada, que ainda tinha dois programas restantes. Agora, a BBC anunciou que não irá renovar seu contrato. Segundo a emissora, não foi uma decisão fácil de se tomar e ela certamente dividirá opiniões, mas “todos os limites foram ultrapassados”.

A BBC publicou uma nota oficial escrita por Lord Tony Hall, o diretor-geral da corporação, sobre a demissão do apresentador há alguns minutos:

“É com grande pesar que comuniquei a Jeremy Clarkson hoje que a BBC não irá renovar seu contrato. Não foi uma decisão fácil. Só pude fazer isso depois de considerações bastante cautelosas a respeito dos fatos e de me reunir pessoalmente com Jeremy e Oisin Tymon. 

[…]

Gostaria de fazer três observações. 

Primeiro – a BBC é um grande grupo. Nossa força está nessa diversidade. Precisamos de vozes distintas e diferentes, mas elas não devem vir a qualquer preço. Em comum a todos na BBC estão os padrões de decência e respeito. Não posso perdoar o que aconteceu nesta ocasião. Um membro da equipe — totalmente inocente — se dirigiu à divisão de Acidentes e Emergências depois de uma agressão física acompanhado de um extremo abuso verbal pesado e prolongado. Para mim, um limite foi ultrapassado. Não pode haver regras para um e outras regras para outros baseadas em fama, popularidade e rentabilidade. 

Segundo – Isso é obviamente difícil para todos os envolvidos, especialmente para Oisin. Gostaria de deixar claro que ele não tem culpa nesse incidente. Ele se comportou com enorme integridade ao longo do processo. Como produtor sênior na BBC, ele continuará a ter um papel importante na organização no futuro. 

Terceiro – Obviamente nenhum de nós gostaria de se ver nessa posição. Esta decisão não pode de forma alguma abalar a extraordinária contribuição que Jeremy Clarkson deu à BBC. Sempre fui pessoalmente um grande fã de seu trabalho e de Top Gear. Jeremy é um grande talento. Ele pode estar deixando a BBC, mas tenho certeza que ele continuará a entreter, desafiar e agradar a audiência nos próximos anos. 

A BBC agora precisará renovar Top Gear para 2016. Será um grande desafio e não há sentido em não fazer isso. Pedi a Kim Shillinglaw para planejar a melhor forma de fazermos isso nos próximos meses. Também pedi a ela encontrar uma forma de exibirmos os últimos programas desta temporada”. 

Embora tenha vendido sua parte de Top Gear à BBC, o apresentador ainda tem direitos sobre o nome do programa, o que significa que ele simplesmente poderia continuar o Top Gear em outro canal — no caso o canal britânico iTV, de acordo com esta mesma fonte do Telegraph.

Apesar das piadas que Clarkson tem feito no Twitter, o apresentador parece estar vivendo um inferno pessoal. Recentemente ele se reencontrou com seu velho desafeto Piers Morgan para uma reconciliação amistosa onde, entre cervejas, vinhos e cigarros, Clarkson teria dito: “Estou passando por um divórcio difícil, minha primeira ex-mulher apareceu do nada para me infernizar, estou fumando demais, bebendo demais, minhas costas doem, estou em todos os jornais com esse escândalo da “N-word”, estou em guerra com meus chefes da BBC e minha mãe acabou de morrer. Eu simplesmente não tenho mais energia para (brigar com) você”. 

 

Mercedes e Jaguar clássicos se envolvem em um acidente de R$ 23 milhões

CApyp2jWAAARFCj

Carros de corridas foram feitos para acelerar nas pistas, certo? Mas acelerar forte envolve riscos, um simples acidente em track day pode te custar facilmente R$ 10.000. Imagine então quanto custa um acidente entre um Mercedes “SLS” 1955 (uma adaptação de 1957 feita sobre o 300SLR da época) e um Lister Jaguar Knobbly 1959.

 

O acidente aconteceu, curiosamente, de forma parecida com a tragédia de Le Mans: o Lister Jag (avaliado em R$ 4,6 milhões) de Tony Madeira estava entrando nos boxes quando acabou atingido pelo Mercedes (de R$ 18,5 milhões) pilotado por Jochen Mass. Na tragédia de Le Mans em 1955, o acidente também envolveu um Jag que entrava nos boxes e um Mercedes SLR que não desviou a tempo, porém o Mercedes atingiu um Austin-Healey que desviou do Jag. Apesar dos danos extensos aos dois clássicos em Goodwood, os pilotos não se machucaram.

 

Toyota Prius poderá ser fabricado no Brasil?

Toyota Prius 2010

Segundo o jornal japonês Nikkei, a Toyota está planejando produzir o híbrido Prius no Brasil. De acordo com a notícia, o modelo pode ser produzido no Brasil a partir de 2018, quando chega sua nova geração. Ele seria montado na fábrica da Toyota em São Bernardo do Campo/SP em regime de CKD para entregar 1.500 unidades por ano.

Ainda não há detalhes nem confirmação da Toyota sobre a nacionalização do modelo, mas caso seja de fato produzido no Brasil ele poderá ganhar um motor flex como par para o motor elétrico. Atualmente o Toyota Prius é vendido por R$ 114.350 e somente 400 unidades foram vendidas desde o lançamento do modelo em 2013.

 

Lewis Hamilton é o mais novo proprietário de uma LaFerrari

unnamed-1

Imagine a situação: você é o atual campeão da Fórmula 1 e piloto da Mercedes-AMG, atual campeã de construtores. Que carro você dirige nas ruas? Um AMG-GT? Um SLS AMG? Ou uma LaFerrari? Pode soar irônico, mas esta última é a mais nova aquisição de Lewis Hamilton: uma LaFerrari vermelha.

lewis-hamilton-and-his-pagani-zonda-760-lh_100498607_l

A compra do hipercarro italiano foi confirmada pela própria assessoria da Mercedes-Benz Motorsport ao jornal italiano Corriere Della Sera: “Para nós não é um problema”. A LaFerrari agora fará companhia a outro modelo italiano na garagem de Hamilton, o Pagani Zonda 760 LH — que ao menos usa um motor Mercedes AMG.

 

Rolls-Royce Ghost Series II começa a ser vendido no Brasil

FlatOut 2015-03-25 às 11.44.13

Enquanto as vendas de carros comuns não está em seu melhor momento no Brasil, o mercado de luxo continua, como sempre, a todo vapor. Tanto que a Rolls-Royce Motor Cars São Paulo apresentou o modelo Ghost Series II, que será importado por R$ 2,9 milhões.

O modelo traz novos para-choques, capô e rodas. Os bancos são revestidos de couro preto e o acabamento interno traz os tradicionais detalhes de madeira. Na traseira, os bancos são individuais, e podem ser girados para ficar voltados um para o outro, além de contar com massageador e serem reclináveis. O novo Series II também traz um sistema multimídia com conectividade wi-fi e transmissão por satélite.

O motor é um V12 biturbo de 6,6 litros de origem BMW, capaz de produzir 563 cv e 79,5 mkgf. Com ele, o Ghost Series II vai de zero a 100 km/h em 4,9 segundos e chega à máxima de 250 km/h.

Matérias relacionadas

McLaren P1 se acidenta nos EUA, Chris Harris testa a LaFerrari em vídeo, smart ForTwo Brabus terá 120 cv e mais!

Leonardo Contesini

Seat Fura Crono: um raro Fiat 147 espanhol com tempero de hot hatch e à venda no Brasil

Dalmo Hernandes

Bandeja de fast food é coisa do passado: o negócio agora é drift com PVC nos pneus de trás

Dalmo Hernandes