A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Justiça suspende cancelamento de radares, venda de automáticos no Brasil triplicou em 10 anos, coleção de Porsche destruída e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Justiça suspende cancelamento de radares

Foto: Flavio Pereira

O cancelamento da instalação de 8.000 radares nas rodovias federais foi suspenso pela justiça federal nesta quarta-feira (10) após uma ação do senador Fabiano Contarato para impedir que os radares fossem retirados.

A decisão da juíza Diana Wanderlei, da 5ª Vara Federal em Brasília, determinou que a União não retire os radares e que renove os contratos que estejam prestes a vencer, e impôs multa diária de R$ 50.000 em caso de descumprimento da decisão por parte do governo federal — que poderá recorrer.

Para a juíza, a retirada dos equipamentos “poderá afetar a vida de motoristas e pedestres aumentando o número de mortes nas rodovias”. A juíza não divulgou quais dados tomou como base para tal afirmação. “Há o nefasto efeito deletério, atacar o problema errado, causando outro, onde a medida estaria cumprindo bem o seu papel: acidentes e mortes em estradas, podendo ensejar, inclusive, a responsabilidade de indenização do Estado por culpa administrativa, pela falta do serviço, se eventualmente, com a retirada dos medidores sem substituição por um novo instrumento preventivo”, diz a decisão, atribuindo ao Estado a culpa por um um possível mau-comportamento dos motoristas.

Além disso, a juíza afirmou que o próprio governo afirmou que estava renovando os contratos com base em uma nova política de controle eletrônico de velocidade e que, “portanto, não pode ser suspenso até que uma nova política, com estudos técnicos, seja definida”: “Pelo todo cotejo de provas e fatos narrados e evidências no mundo do ser, não se pode afirmar que a parte ré, neste momento, detém de forma profissional, técnica e isenta de subjetivismo, informações e planejamentos adequados a fim de eliminar os medidores de velocidade nas rodovias federais do país, não renovando os respectivos contratos, e desconsiderando o ‘Programa Nacional de Controle Eletrônico de Velocidade’, elaborado pelo próprio DNIT, por meio de sua equipe técnica”. afirmou a magistrada.

Além da decisão, a juíza também enviou o caso para o Ministério Público Federal avaliar se houve improbidade administrativa com a suspensão da instalação de radares, e marcou audiência com integrantes do governo para tratar do tema no dia 30 de abril. (LC)

 

Venda de carros automáticos triplicou nos últimos dez anos

Por muito tempo os câmbios automáticos eram considerados pelos clientes brasileiros equipamento de carros de luxo ou para PCD. Além disso, a fama de ter manutenção mais cara também afugentava o consumidor brasileiro. Mas nos últimos 10 anos isso mudou: segundo dados da consultoria Jato Dynamics, as vendas de carros automáticos cresceram 210,5% de 2009 para 2018. Há 10 anos os carros automáticos representavam 12,7% dos veículos vendidos, hoje já representam 47,9%. Sim: quase metade dos carros vendidos no Brasil são automáticos.

Junto desse aumento de vendas veio o aumento de oferta de carros automáticos, em 2009 os únicos compactos equipados com caixa automática eram o Honda Fit e o Peugeot 207, hoje todos os compactos nacionais oferecem algum tipo de transmissão automática ou automatizada, com exceção do Fiat Uno (que já teve opção de cambio automatizado), Renault Kwid e do Chery QQ. (ER)

 

Explosão destrói parte de coleção de Porsche nos EUA

Uma das maiores e melhores coleções de Porsche clássicos do planeta foi severamente danificada pela explosão de uma linha de gás na Carolina do Norte, EUA. Conhecida como Ingram Collection, ela estava guardada em um edifício que ruiu após a explosão na última quarta-feira (10).

A rede de TV americana ABC tentou contato com o proprietário da coleção Bob Ingram, que se recusou a comentar o acidente. A reportagem mostrou cerca de três minutos de imagens gravadas no local, nas quais é possível ver diversos Porsche danificados. Uma pessoa morreu e mais de dez ficaram feridas.

A coleção Ingram chegou a ser destacada pela própria Porsche em julho de 2015, quando tinha mais de 80 exemplares que compunham uma “amostra impressionante da história do design automotivo”. (LC)

 

Ford pode reviver o Mustang SVO na versão de quatro-cilindros

O site australiano Motoring publicou algumas imagens de um Mustang sendo testado nos arredores da fábrica da Ford em Dearborn, nos EUA. Trata-se de um Mustang de quatro cilindros, com o motor 2.3 turbo Ecoboost, porém com algumas diferenças em relação ao carro vendido atualmente: uma nova grade, com o cavalinho à direita; emblemas cobertos na traseira e um spoiler mais proeminente na tampa do porta-malas.

Especula-se que seja uma versão mais potente do atual Mustang Ecoboost, sobre a qual circularam alguns boatos recentemente. A suspeita do Motoring: o novo Mustang pode se chamar SVO, em referência à versão esportiva da terceira geração.

O Mustang SVO foi vendido pela Ford entre 1984 e 1986, e também era equipada com um motor 2.3 turbo – que era capaz de entregar 208 cv e 34,3 kgfm de torque, suficientes para ir de zero a 100 km/h abaixo dos oito segundos.

Caso se torne realidade, o novo Mustang SVO deverá usar uma versão mais potente do motor 2.3 turbo que pegou emprestado do Ford Focus RS. No Mustang, o quatro-cilindros entrega 314 cv e 48,4 kgfm; enquanto no Ford Focus são 350 cv e 47,9 kgfm de torque.

É bem provável que, qualquer que seja o nome da versão, o novo Mustang seja apresentado no Salão de Nova York. (DH)

 

Hyundai contrata engenheiro responsável pelo Focus RS para desenvolver seus esportivos

A divisão N Performance da Hyundai, criada para colocar os esportivos coreanos no mesmo patamar de rivais japonesas e europeias, acaba de ganhar um nome de peso. De acordo com os britânicos do site Autocar, nesta semana a Hyundai contratou Tyrone Johnson, engenheiro-chefe responsável pelo Ford Focus RS, para cuidar da linha N.

O Autocar diz que Johnson assumiu o cargo de Diretor de Integração de Veículos, ocupado anteriormente pelo alemão Albert Biermann – o ex-diretor da divisão Motorsport da BMW que, há pouco tempo, foi promovido ao comando da N Performance.

Na posição de Diretor de Integração, Biermann supervisionou a criação do Veloster N e do i30 N, dois modelos bastante elogiados pela imprensa internacional por serem capazes de encarar diretamente modelos mais estabelecidos no mercado, como o VW Golf GTI e o Renault Mégane RS. Johnson, portanto, terá uma missão importante pela frente. (DH)

 

Chevrolet anuncia recall para Onix, Prisma, Spin e Cobalt por risco de incêndio

Mais um recall anunciado nesta semana – desta vez, pela Chevrolet. A fabricante convoca 69 proprietários de Onix, Prisma, Spin e Cobalt que trocaram a caixa de fusíveis de seus carros em 2018 para a instalação de uma nova peça.

De acordo com a Chevrolet, foi detectado um erro na instalação das caixas, que não receberam a proteção adicional do isolante. Com isto, pode ocorrer o acúmulo de umidade nos terminais dos fusíveis, causando um curto-circuito e o acionamento involuntário do motor de partida. Se o motor de partida superaquecer, há risco de incêndio e lesões corporais graves.

Os 69 carros afetados pelo recall foram fabricados em 2017 e 2018. Para obter mais informações, os proprietários devem ligar para o número 0800 702 4200 ou acessar o site da fabricante. (DH)

 

Top Gear será transmitido pela Motor Trend

O Top Gear britânico já passou pelos serviços de streaming Netflix, Amazon Prime Video (fora do Brasil) e agora teve os direitos comprados pela Motor Trend. Junto do Top Gear britânico da segunda temporada até a 24ª a rede americana comprou os direitos da versão nova do Top Gear America de 2017, que só teve uma temporada.

O Top Gear entrará no catálogo do Motor Trend On Demand em junho e também passará no canal de tv a cabo da Motor Trend (infelizmente, não temos no Brasil). Além da transmissão, a Motor Trend está trabalhando num novo Top Gear America para estrear ainda em 2019, o reboot de 2017 com William Fichtner, Tom “Wookie” Ford e Antron Brown produzido pela BBC America foi cancelado. (ER)

Matérias relacionadas

WAT? Um Mustang fastback com motor V8 Hemi e a cara do Plymouth Superbird?

Dalmo Hernandes

McLaren Senna: V8 biturbo de 800 cv (sem motores elétricos!) e uma overdose de fibra de carbono

Dalmo Hernandes

Charger, Mustang, Pontiac, Corvette e outros muscle cars clássicos e modernos à venda no GT40!

Juliano Barata