A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Salão do Automóvel de SP

Kwid, Koleos e Captur: os novos SUVs e os novos motores 1.0 e 1.6 da Renault

A Renault veio ao Salão do Automóvel anunciar a mudança no posicionamento da marca. De olho no ainda crescente mercado de SUVs, a marca francesa está apostando neste segmento para expandir sua atuação no Brasil e na América Latina.

Foi por isso que a marca revelou três novos SUVs de uma só vez. Bem… na verdade são dois SUVs e um hatch compacto que a marca decidiu rotular como “mini SUV”.

O modelo em questão é o Kwid, que será o novo modelo de entrada da marca, que foi apresentado simbolicamente na forma do conceito Kwid Outsider, que tem um visual mais parrudo que os modelos de pré-produção flagrados em testes ao longo deste ano.

salao-sao-paulo-flatout-nissan-32

A Renault não entrou em detalhes sobre o modelo — provavelmente porque sua estreia atrasou e pode acontecer somente no início de 2017 —, mas já se sabe que ele usará o novo motor 1.0 SCe de três cilindros e 82 cv.

salao-sao-paulo-flatout-nissan-30

 

Este motor, aliás, foi outro lançamento da Renault no Salão deste ano. Ele substitui o antigo 1.0 16v D4D trazendo uma concepção mais moderna, com bloco e cabeçote de alumínio, três cilindros, 12 válvulas, comando duplo variável no escape e na admissão, adoção de balancins com revestimento cerâmico e catalisador integrado ao coletor de escape. A potência passou de 80 para 82 cv enquanto o torque passa de 9,9 para 10,5 mkgf. São mudanças sutis no papel, mas com o comando duplo variável e um cilindro a menos o motor agora entrega 15% mais torque a 2.500 rpm que seu antecessor.

salao-sao-paulo-flatout-renault-motores-2

Tanto o 1.0 SCe (BR10) quanto o 1.6 SCe (H4M) já estão sendo produzidos na fábrica da Renault em São José dos Pinhais/PR. O 1.6 16v é da mesma família do HR16 da Nissan, que equipa o March, o Versa e o Kicks, porém com calibragem própria da Renault. Este 1.6 substitui o 1.6 8v (K7M) de Sandero e Logan, e o 1.6 16v (K4M) do Duster e Oroch, e usa bloco de alumínio, corrente de comando em vez de correia dentada e variação no comando das válvulas de admissão.

salao-sao-paulo-flatout-renault-motores-1

Ele terá dois acertos diferentes. Em sua versão menos potente, que será adotada no Sandero e no Logan, o 1.6 SCe irá produzir 118 cv a 5.500 rpm e 16 mkgf a 4.000 rpm (um ganho de 12 cv e 0,5 mkgf), e também terá sistema start-stop para ajudar a reduzir o consumo.

salao-sao-paulo-flatout-nissan-26

A outra versão, mais potente, tem 120 cv e 16,2 mkgf mas não terá o sistema start-stop. Ela será usada nas versões de entrada do Duster e Duster Oroch e também do Captur, o novo SUV compacto “premium” da Renault, que também foi apresentado no Salão.

salao-sao-paulo-flatout-nissan-24

O Captur é o segundo dos três novos SUVs da Renault. Ele também já está sendo produzido no Brasil e poderá ser encomendado a partir do próximo dia 11, embora as entregas comecem apenas em 2017. Apesar de ser pouco maior que o Duster, o Captur tem um apelo mais emocional, apostando no design diferenciado — mais próximo dos modelos europeus da marca —, em um acabamento mais refinado e na possibilidade de personalização das combinações de cor de carroceria e teto para posicioná-lo acima do Duster como um SUV compacto premium.

salao-sao-paulo-flatout-nissan-25

Para isso ele será equipado com o motor 1.6 SCe nas versões de entrada, que terão câmbio manual de cinco marchas ou CVT, ou ainda com o 2.0 16v de 148 cv combinada apenas ao câmbio automático de quatro marchas — o mesmo oferecido no Duster 2.0.

salao-sao-paulo-flatout-nissan-17

O terceiro SUV é o Koleos. Ele será o maior modelo da Renault no Brasil e é produzido sobre a plataforma do CFM-CD, também usada pelos SUVs Nissan Qashqai e X-Trail. O modelo guarda alguma semelhança visual com a picape Alaskan, que já começou a ser produzida na Colômbia e virá para o Brasil em 2018.

salao-sao-paulo-flatout-nissan-21

O motor será um 2.5 16v com comando duplo de válvulas, 182 cv a 6.000 rpm e 23,7 mgkf a 4.000 rpm (a Renault diz que 19 mkgf de torque estão disponíveis partir de 1.800 rpm). A força é enviada para as quatro rodas pelo sistema de tração 4x4i, que alterna entre os modos 2WD, 4WD e 4WD com bloqueio. A aceleração de zero a 100 km/h é completada em menos de 10 segundos.

salao-sao-paulo-flatout-nissan-20

O pacote de equipamentos inclui seis airbags, alerta de ponto cego, sistema de estacionamento autônomo, multimídia com tela de 8,7”, com 13 alto-falantes Bose premium, teto solar panorâmico, painel customizável, operação de alguns comandos “hands free” entre outros.

Além dos SUVs a Renault também trouxe alguns modelos de sua linha esportiva, mas isso é papo para um post à parte. Fique ligado!

Matérias relacionadas

Nova geração do Accord é o destaque da Honda no Salão do Automóvel

Dalmo Hernandes

Maserati Levante é o lançamento da Maserati em sua volta ao Salão do Automóvel

Dalmo Hernandes

Proud of boxer: WRX e STI são as estrelas da Subaru no Salão de São Paulo

Dalmo Hernandes