A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Sessão da manhã

Leveza a 435 km/h: como nasceu o Hennessey Venom GT, o (outro) carro mais rápido do mundo

Ontem (23) fizemos uma pequena homenagem ao Lotus Elise — o esportivo símbolo da equação “leveza + simplicidade = diversão” completa 20 anos em 2015, e ao longo destas duas décadas fez questão de deixar claro que potência não é tudo. Mas como vimos, ele ironicamente deu origem a um dos carros mais potentes e velozes do planeta.

Estamos falando, obviamente, do Hennessey Venom GT, que é o que acontece quando um americano obcecado por construir o carro mais rápido do mundo coloca as mãos no Elise.

venom-gt (5)

A Hennessey Performance foi fundada em 1991, pouco depois de John Hennessey comprar um Mitsubishi 3000GT, prepará-lo e participar da Pikes Peak Hillclimb e da Speed Week em Bonneville Salt Flats — onde quebrou o recorde de sua categoria ao atingir os 278 km/h nas planícies de sal. Motivado, ele decidiu abrir sua preparadora para aplicar seus conhecimentos e ganhar a vida com isso.

jlviper

O Dodge Viper de Jay Leno

A ideia de construir o carro mais rápido do mundo veio dezesseis anos depois. Àquela altura, a Hennessey havia se tornado uma preparadora especializada no Dodge Viper, instalando turbocompressores no monstruoso V10 desde 1993 e conquistando uma bela reputação pelo desempenho de suas máquinas — em 1996, gente como Bob Lutz e Jay Leno haviam encomendado Vipers modificados por Hennessey.

O estalo veio quando a revista Road & Track produziu um especial chamado Speed Kings, feita para descobrir qual era o carro mais rápido do mundo no 0-320 km/h. Entre Lamborghini Murciélago, Mercedes-Benz SLR McLaren, um Corvette C6 preparado, um Porsche 911 modificado pela Ruf, e um Bugatti Veyron 16.4 (o original), quem se destacou foi o Dodge Viper biturbo de John Hennessey, que chegou aos 320 km/h em 20,3 segundos — nada menos que quatro segundos mais rápido que o Veyron, que ficou com a segunda posição.

No vídeo abaixo, feito pelos caras do XCAR, John Hennessey conta que pouco depois deste showdown. Ele pensou “OK, é legal ser mais rápido que o Veyron até os 320 km/h, mas e agora?” Foi ali que ele se deu conta que potência não é tudo — o próximo passo seria adicionar leveza. Assim, um dia, ele e sua equipe brincaram com a ideia de pegar um carro bem mais leve do que um Viper e colocar nele o motor de seu Viper biturbo. Depois de fazer alguns rascunhos, veio o pensamento: por que não? E foi assim que surgiu o conceito do Venom GT.

Em 2008, a Hennessey Performance começou a preparar os modelos da Chevrolet. Ao mesmo tempo, o desenvolvimento do protótipo do Venom GT continuava, e foi uma questão de tempo até que o V10 do Viper desse lugar a um V8 Chevrolet no cofre do Venom GT.

venom-gt-engine

Obviamente que a pequena estrutura do Elise, preparada para receber motores de quatro cilindros, não acomodaria nem um, nem outro. Assim, toda a parte traseira do carro foi modificada, incluindo a conversão de roadster para cupê (não muito diferente do que a própria Lotus fez para transformar o Elise no Exige).

Uma nova estrutura de fibra de carbono foi fabricada sob medida para acomodar o monstruoso V8 LSX de sete litros com dois turbocompresores Precision e acoplado a uma caixa manual de seis marchas. A suspensão do Elise, que já traz braços sobrepostos do tipo duplo A, foi retrabalhada para lidar com quase dez vezes mais potência do que o usual e os para-lamas foram alargados para receber os enormes pneus de medidas 265/30 R19 na dianteira 345/30 R20 na traseira. Os freios Brembo com discos de 15 polegadas e pinças de seis pistões na dianteira e na traseira dão conta de parar o carro.

venom-gt (2)

venom-gt (3) venom-gt (4)

O Venom GT originalmente foi pensado para ser um carro especial, com um único exemplar. Contudo, nos estágios finais de desenvolvimento Hennessey rececebeu sua primeira encomenda e a aceitou. Assim, foi preciso se preparar para atender a uma demanda que, até agora, deu origem a cerca de 20 unidades — que incluiu até uma versão conversível para Steven Tyler, o lendário vocalista do Aerosmith.

Durante o vídeo, Hennessey menciona a Bugatti e o Veyron algumas vezes. De vez em quando, lendo sobre o cara, temos a impressão de que ele é obcecado em superar o Veyron, mas ele garante que é uma obsessão saudável. “Eu falei com o engenheiro-chefe da Bugatti, Wolfgang Schreiber, e disse ‘Wolfgang, eu só fui capaz de fazer o Venom GT porque vocês da Bugatti levantaram a barra tão alto.”

Leia-se: se tornar o carro mais rápido do mundo ao atingir 435 km/h

É esta barra que motiva John Hennessey a seguir em frente. Ele diz que já ouviu da Ferrari, da Porsche e da McLaren (que atualmente constroem os hipercarros mais potentes e rápidos do planeta) que o Venom GT não importa para eles, mas que esta relação que ele tem com a Bugatti é importantíssima.

“Para fazer o carro mais rápido, você precisa ter um rival. E para nós, e para os caras da Bugatti, há algo especial em poder dizer que somos os mais rápidos. Então, vamos levar isso adiante enquanto pudermos.”

hennessey_venom_gt_world_speed_record_car_9_1

Matérias relacionadas

Onboard: Ford Fiesta 2.0 debulhando no autódromo de Interlagos!

Juliano Barata

12 cilindros e apenas dois litros: o incrível ronco da Ferrari 212E Montagna

Dalmo Hernandes

BMW M3 Jägermeister DTM, ou “Como fazer alguém desejar um carro em 50 segundos”

Dalmo Hernandes