Limites de velocidade nas marginais de SP serão aumentados, Felipe Massa assina contrato com a Williams, Fiat confirma sucessor do Palio e do Punto e mais!

Leonardo Contesini 20 dezembro, 2016 0
Limites de velocidade nas marginais de SP serão aumentados, Felipe Massa assina contrato com a Williams, Fiat confirma sucessor do Palio e do Punto e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Limites de velocidade nas Marginais de SP serão aumentados em janeiro

e9rzhs9c45xnif5tylmwsgwx1

A partir de 25 de janeiro de 2017 o limite de velocidade das marginais Tietê e Pinheiros será aumentado, conforme uma das promessas eleitorais do prefeito eleito João Doria. O anúncio foi feito pelo futuro secretário de transportes, Sérgio Avelleda nesta terça-feira (20).

Nas pistas expressas das duas marginais o limite voltará aos 90 km/h para veículos leves. Na Marginal Tietê, as pistas centrais terão limite de 70 km/h, e as locais terão limite de 60 km/h — exceto quando forem margeadas por calçadas ou estabelecimentos comerciais, nesses casos o limite será de 50 km/h como medida de proteção a pedestres e ciclistas. Na Marginal Pinheiros as pistas locais terão limite de 70 km/h, porém nos trechos margeados por calçadas e estabelecimentos o limite de velocidade cairá para 50 km/h. Para os veículos pesados, o limite será de 60 km/h nas pistas centrais e expressas e 50 km/h nas pistas locais das duas marginais.

 

Felipe Massa assinou novo contrato com a Williams

Massa Bottas

Felipe Massa mal terminou de calçar os chinelos para curtir sua aposentadoria e já está pronto para voltar a vestir seu macacão e capacete. Ele acaba de assinar um contrato com a Williams para disputar a temporada de 2017 pela equipe.

Os boatos sobre o possível retorno de Massa (ou do adiamento de sua aposentadoria) começaram a ganhar volume quando Valtteri Bottas se tornou um dos nomes mais cotados para ocupar a vaga de Nico Rosberg na Mercedes-AMG. Com a vaga de Massa ocupada pelo novato Lance Stroll, a Williams precisaria de um piloto experiente como parceiro do jovem canadense. Não apenas para a questão do desenvolvimento dos carros, mas também devido à natureza comercial de sua principal patrocinadora, a Martini.

Por ser uma destilaria de bebidas alcóolicas, a Martini não pode associar sua imagem à Lance Stroll pois ele tem apenas 18 anos, e a idade mínima para participar de ações publicitárias deste tipo é 25 anos. Assim, a Williams firmou um contrato de cerca de R$ 21 milhões para que Felipe Massa volte a ser seu piloto caso Valtteri Bottas seja anunciado pela Mercedes-AMG.

 

Fiat confirma sucessor do Palio e do Punto no Brasil

15178309_1469977819698086_2478083716269424121_n-1

A Fiat confirmou na última semana o lançamento de dois novos modelos no Brasil em 2017. Embora não tenha entrado em detalhes, é quase certo que os dois modelos em questão sejam a dupla de hatch e sedã que está sendo desenvolvida pela fabricante para substituir o Palio e o Punto.

Os novos modelos, batizados de X6H e X6S (hatch e sedã), já vêm sendo testados desde o começo do ano. Há algumas semanas recebemos uma série de fotos do carro em São Paulo já com sua carroceria definitiva. O modelo tem algumas características do novo Fiat Tipo, lançado neste ano na Europa nas versões sedã e hatch, porém suas dimensões são claramente menores. Isso porque, conforme apurado pelos nossos camaradas do Autos Segredos, o X6H e o X6S serão baseados na plataforma 326, a mesma da atual geração do Palio e do Grand Siena — o que explica a carroceria usada na mula de testes até então.

Por dentro ele usará apenas o volante multifuncional do Tipo e os comandos do ar-condicionado — o painel terá desenho exclusivo do modelo. Em suas versões de entrada o X6H usará o motor 1.3 FireFly com cerca de 110 cv e 14 mkgf de torque, que poderá ser combinado a um câmbio manual de cinco marchas ou uma versão automatizada desta caixa. Nas versões superiores o X6H usará o motor 1.8 E.torQ EVO já usado na Toro a gasolina. Como seu nome sugere, trata-se de uma evolução do motor 1.8 E.torQ que atualmente equipa o Renegade. Ele terá sistema de pré-aquecimento de etanol para partida a frio, Start&Stop e outras pequenas modificações para ajudar a reduzir os níveis de consumo. O 1.8 também poderá ser combinado ao câmbio manual de cinco marchas, porém a opção a ele será um câmbio automático de seis marchas — o mesmo do Jeep Renegade flex.

 

Um Jaguar XJ220 com menos de 720 km rodados está a venda

Unknown-8

Dos 271 Jaguar XJ220 produzidos entre 1992 e 1994, é provável que este exemplar anunciado no eBay seja o mais novo e menos rodado deles. 

Oferecido por nada modestos US$ 519.000, o XJ220 está exatamente como estava quando saiu de sua fábrica em 1994 — exceto, obviamente, pelos pneus e fluidos. O motor é o V6 biturbo de 3,5 litros e 547 cv derivado do MG Metro 6R4 que disputou o Grupo B do WRC, capaz de levar o supercarro aos 349 km/h – o que o tornou o carro mais rápido do mundo até o surgimento do McLaren F1.

Unknown-11

Apesar de todo esse potencial, seus proprietários ao longo destes últimos 22 anos resistiram à tentação de dirigi-lo até não poder mais: ele tem apenas 717 km registrados em seu hodômetro. Para comprovar a baixa quilometragem, o carro acompanha todos os seus manuais, ferramentas, registros de manutenção e até chaves reserva.

 

Museu Eduardo Matarazzo corre o risco de ser fechado

museu_matarazzo1

Foto: Maxicar

Um dos museus automotivos mais tradicionais do Brasil corre o risco de fechar as portas depois de quase 50 anos em atividade. O Museu Eduardo Matarazzo, localizado na cidade de Bebedouro/SP, foi inaugurado em 1968 após um acordo entre seu fundador Eduardo Matarazzo e o governo municipal, no qual a prefeitura ficaria responsável pela construção e manutenção da estrutura que abriga o acervo.

Contudo, ao longo dos anos as condições das instalações foram se deteriorando, bem como o estado de conservação dos carros, aviões e outras máquinas que compõem o acervo do museu. O prédio chegou a ser tomado por duas enchentes decorrentes da falha do sistema de escoamento das águas de um lago próximo ao museu — em ambas as ocasiões o proprietário e sua família bancaram a restauração do acervo sem auxílio do governo municipal, tampouco de organizações locais.

A falta de comprometimento do governo local ao longo das cinco décadas em que o museu permaneceu aberto, levou a filha de Eduardo (falecido em 2002) a restaurar o prédio por conta própria e manter o museu aberto somente até o próximo dia 20 de janeiro de 2017. Em carta divulgada publicamente, Patrícia Matarazzo expõe a trajetória do pai e seu museu, os empecilhos enfrentados ao longo dos anos e o descaso do poder público, e avisa que o museu só poderá continuar caso a cidade tenha interesse em mantê-lo aberto “caso contrário as peças em comodato serão devolvidas, o acervo particular será retirado e o prédio devolvido ao poder público”.  Veja a carta completa no portal Maxicar.