A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

Little Dead Wagon: um tributo de 900 cv à picape de arrancada mais famosa do mundo

No vasto mundo das arrancadas, quem domina as páginas da história e o imaginário dos fãs são os muscle cars. Os cupês esportivos americanos da década de 1960, com seus motores V8 debaixo do capô, carroceria e interior aliviado e pneus enormes na traseira, na verdade, ainda são a primeira paixão sobre rodas de muitos entusiastas. E não faltam carros icônicos para alimentar esta admiração por muito tempo, ainda.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

Acontece que, muitas vezes, um carro se destaca justamente por ir contra a corrente. É o caso da Dodge A100 conhecida como Little Red Wagon, uma picape de arrancada com um o motor na caçamba e uma tendência incontrolável a empinar as rodas dianteiras na hora da largada, proporcionando um show à parte. Ela foi criada meio sem querer, mas acabou tornando-se um belo exemplo de como transformar um problema em solução: originalmente, ela não deveria empinar, mas a transferência de peso para a traseira tornava o fenômeno inevitável – então, restava aproveitar.

A Little Red Wagon original viajou pelos EUA por dez anos e, ao longo deste período, inspirou outros projetos parecidos. Então, em 1975, o piloto Bill “Maverick” Golden sofreu um acidente em Quebec, no Canadá – a Dodge A100 capotou várias vezes e ficou totalmente destruída. Golden saiu ileso e, pouco depois, construiu uma nova picape, com a qual participou de arrancadas até o início dos anos 2000. Ele morreu em 2015, aos 81 anos de idade. Muito bem vividos, por sinal.

O exotismo da Little Red Wagon inspirou muitos fãs de arrancada a executarem projetos parecidos. E, hoje, viemos falar de um deles: a Little Dead Wagon, tributo à original que usa um motor V8 Hemi supercharged de mais de 900 cv.

A Little Dead Wagon é criação do Graveyard Carz, programa da Motor Trend TV que tem uma premissa interessante: pegar clássicos da Mopar (ou seja, Chrysler, Dodge, Plymouth, etc) judiados e transformá-los em carros de competição, quase sempre com uma referência ao passado.

A ideia por trás da Little Dead Wagon foi criar uma homenagem fiel à original, porém usando tecnologia e recursos atuais. Em outras palavras, imaginar como seria uma Litte Red Wagon feita no século 21. Mark Worman, o chefe da equipe de mecânicos, cresceu vendo a Little Red Wagon de Bill Golden, e queria reproduzir o feeling do clássico.

Para isto, foi necessário encontrar uma boa base. E esta veio na forma de uma A100 idêntica à original, que também foi fabricada em 1964 e também era vermelha. E o método de modificação também foi bem parecido, mostrando que uma fórmula eficiente de verdade não precisa de muitas alterações.

Da mesma forma que a Little Red Wagon, a picape tributo manteve parte do monobloco original (a A100 não usava carroceria sobre chassi), mas recebeu uma nova estrutura na caçamba para acomodar o conjunto mecânico de competição e também os pneus de arrancada. E, da mesma forma, o motor foi deslocado para trás, bem na divisa entre a cabine e a caçamba. A diferença principal é que, na LRW original, o subchassi traseiro era menor – na Little Dead Wagon, toda a porção traseira foi trocada por uma estrutura do tipo box frame. E o motor, claro, também é diferente.

A picape da década de 1960 usava um V8 Hemi fabricado pela Chrysler e preparado – suficiente para cumprir o quarto-de-milha em 11 segundos baixos a mais de 190 km/h. Já a Little Dead Wagon é movida por um Hemi feito sob medida pela Ray Barton Racing Engines, com bloco reforçado (e devidamente pintado de laranja), novo trem de válvulas, dois carburadores Holley Demon de corpo quádruplo e, para fechar o pacote, um supercharger 871 da The Blower Shop.

Unboxing the A100 Elephant

Big thanks to The Blower Shop, Monster Transmission & Performance and Ray Barton Racing Engines for helping make this #Elephant roar! #MoparOrNoCar #GraveyardCarz #SeasonX #A100 #426 #Hemi #MotortrendTV

Posted by Graveyard Carz on Friday, February 8, 2019

Segundo o Graveyard Carz, o V8 é capaz de entregar exatamente 935 cv usando gasolina comum de alta octanagem, e é ligado a uma caixa TorqueFlite reforçada, feita pela Eat My Shift. A força é despejada no chão através dos obscenos pneus Hoosier de arrancada na traseira – que exigiram a construção de caixas de roda feitas sob medida em alumínio.

Um detalhe bacana na Little Dead Wagon é a customização estética. O lettering na carroceria, incluindo o nome do projeto e as marcas de patrocinadores, foi todo pintado à mão, e Worman optou por não incorporar elementos muito atuais em seu design, por dentro e por fora – a cabine, por exemplo, ainda tem os bancos originais, reformados e revestidos em veludo preto (aliás, aqui cabe uma curiosidade: os bancos da A100 foram usados no famoso Hemi Dart, pois eram os mais leves que a Dodge tinha na época). Ela também ganhou uma manopla Hurst Pistol Grip e, como na original, não há separação entre os ocupantes e o motor – o V8 invade a cabine, e o ronco lá dentro é ensurdecedor.

Depois de ser apresentada no fim do ano passado, durante o SEMA 2018, a Little Dead Wagon saiu em uma turnê pelos EUA, participando de encontros e eventos, mas – acredite –ainda não foi filmada em uma puxada de verdade. Ao menos podemos vê-la no vídeo abaixo, gravado este mês durante um encontro realizado em Washington no início de julho. Ela não está acelerando, mas a lenta embaralhada do Hemi já agrada bastante aos ouvidos.

Agora, se você gosta mesmo da original, também há uma boa notícia: a primeira Little Red Wagon, que atualmente pertence a um colecionador chamado Mike Mantel – que, aliás, também é dono do Hemi Under Glass original – ainda está por aí. Ele comprou a picape em 2015, pouco tempo depois da morte de Bill Golden, e decidiu mantê-la em seu estado atual, em respeito à importância do veículo.

E Mantel está, neste momento, construindo uma nova Little Red Wagon, usando uma Dodge A100 1965. Segundo ele, o carro não é um tributo, mas sim uma sequência – o próprio Golden construiu uma nova LRW depois do acidente e, como ele é dono da original, podemos considerá-lo o atual herdeiro. De acordo com Mantel, o motor V8 Hemi supercharged que ele está construindo será capaz de gerar até 2.000 cv se abastecido com nitrometano.

Um sonho? Ver as duas picapes vermelhas acelerando lado a lado. Será pedir muito?

 

Matérias relacionadas

Era assim que você recebia seu McLaren F1 novinho em folha nos anos 90

Dalmo Hernandes

Ferrari F40, F50 e Enzo à venda! Qual delas você escolheria?

Dalmo Hernandes

De 25º a 1º em sete minutos: é assim que se pilota um Shelby GT350 1965 em Daytona

Dalmo Hernandes