A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

McLaren 720S “vaza” antes do lançamento, Range Rover Velar é revelado oficialmente, Dodge Demon será reforçado para suportar mais torque e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Range Rover Velar é revelado oficialmente

Unknown-21

Sim, parece um déjà vu, mas desta vez o Range Rover Velar volta ao Zero a 300 com novas fotos e todos os detalhes técnicos divulgados pela marca nesta quinta-feira (2), após seu lançamento oficial, realizado na noite de ontem (1º).

O novo Velar é o quarto membro da família Range Rover, posicionado entre o Evoque e Sport. Esta divisão por famílias é parte da atual estratégia de produtos da marca, que decidiu dividir sua linha de modelos em três famílias diferentes, com características distintas para atuar em mais segmentos do mercado. Assim, uma das linhas é a Discovery, que atualmente é formada pelo Discovery “5” e Discovery Sport, e a outra é a família Range Rover, composta por Evoque, Velar, Sport e Vogue.

Unknown-11

Segundo a Land Rover, o Velar é o modelo mais parecido com um carro de passeio que a marca já produziu. Certamente colabora para isso o fato de ele ser baseado na mesma plataforma iQ já usada pela Jaguar no XE, no XF e no F-Pace, embora o Evoque também tenha uma certa familiaridade com modelos de passeio convencionais.

Além da plataforma inédita na linha Land Rover, o Velar também estreia um novo padrão de design interno, com o novo sistema multimídia Touch Pro Duo, formado por duas telas de 10 polegadas sensíveis ao toque que visam reduzir ao mínimo as funções controladas por botões, o que resulta em um visual mais limpo e elegante do painel e console central. Segundo a Land Rover o sistema é tão marcante que todo o interior foi desenvolvido ao redor destas duas telas.

 

A touchscreen superior exibe informações que são alteradas com menos frequência, como sistema de navegação, sintonizador de rádio e outras funções de multimídia, seletor de iluminação interna e outras configurações do carro. A tela inferior tem a função oposta, exibindo funções alteradas com mais frequência, como o sistema seletor de modos de rodagem, comandos do ar-condicionado e afins. Nós particularmente não somos fãs de comandos básicos sem botões físicos pois eles exigem mais atenção devido à impossibilidade de identificação tátil e devido ao pequeno lag do acionamento da função, mas a Land Rover afirma que o sistema é completamente configurável e não há nenhuma diferença de respostas em comparação com sistemas controlados por botão. Além disso, algumas das funções poderão ser operadas por touchpads instalados no volante, o que deve ajudar a executar estes ajustes de forma mais natural.

Uma novidade curiosa no Velar é o revestimento “Premium Textile”, que é uma alternativa aos revestimentos de couro criada para atender uma demanda de clientes que procura revestimentos mais sustentáveis que o couro (você sabe, aquela preocupação com os animais que fornecem o couro).

Como dito mais acima, o Velar é baseado na mesma arquitetura do Jaguar F-Pace, o que significa que ele mantém o mesmo entre-eixos de 2,87 m do irmão felino. E como todo Land Rover, ele tem uma boa capacidade off-road proporcionada pelo sistema Terrain Response 2 e capacidade de transpor até 65 cm de água — que é um alagamento bem acima dos joelhos de um homem adulto de estatura média. Apesar de ter tração integral, diferencial com bloqueio eletrônico e modos de rodagem fora-de-estrada, o Velar é considerado pela própria Land Rover o modelo mais voltado para uso em asfalto de sua linha atual.

Sob o capô o Velar terá seis opções de motorização, todos combinados ao câmbio automático de oito marchas fornecido pela ZF. A versão de entrada usa a nova família de motores Ingenium com opção diesel ou gasolina. Na primeira o 2.0 turbo tem duas variações: uma de 180 cv e outra de 240 cv. Na versão a gasolina o 2.0 turbo produz 250 cv, e uma variação mais potente, de 300 cv, será lançada até o final do ano.

Os outros dois motores serão um V6 turbodiesel de 300 cv e o V6 supercharged de 380 cv usado nos modelos da Jaguar, como o XF S que avaliamos no ano passado. Com o V6 a gasolina, o Velar vai de zero a 100 km/h em 5,3 segundos.

Para manter o conforto o Velar usará suspensão de braços triangulares sobrepostos na dianteira e integral link na traseira. As versões com o motor V6 terão molas pneumáticas de série — elas serão opcionais nos quatro-cilindros mais potentes. A suspensão a ar faz parte do sistema Configurable Dynamics, que permite a adaptação da suspensão de acordo com o modo de rodagem, assim como a alteração das respostas do acelerador e da direção assistida.

 

McLaren 720S “vaza” antes da estreia

pe1rfzzvht8ts2w7qj3s

Outra notícia com cara de déjà vu: parece que alguém decidiu ignorar o embargo da McLaren sobre o lançamento do 720S e acabou divulgando uma imagem do supercarro antes da hora. O modelo será revelado somente na próxima semana, quando inicia o Salão de Genebra

O modelo inaugura a segunda geração da Super Series da McLaren com um visual completamente renovado, mais aerodinâmico, fluido e marcado por vincos e arestas ao longo da superfície da carroceria. Já vimos o carro sem disfarces durante testes, mas desta vez temos a traseira exposta como deve vir ao mundo.

Unknown-2

A foto foi divulgada pelo site Bloomberg, (que acabou removendo a imagem, mas você sabe como é a internet) e mostra o 720S com suas portas diedrais abertas, o nome 720S — o que significa que o V8 biturbo 4.0 realmente irá produzir 720 cv —, e o deck traseiro, com a abertura iluminada que exibe o motor. Também é possível ver a nova traseira, que elimina as lanternas convencionais e adota apenas um filete luminoso, liberando o espaço para o fluxo aerodinâmico, arrefecimento do motor e saídas de escape. No topo do deck também podemos notar os canais aerodinâmicos ao redor da cobertura do motor e a integração da asa móvel quando recolhida. Estes dutos no topo da traseira possivelmente substituem as tomadas de ar laterais do antecessor.

Unknown

As portas abertas exibem um novo design interno, que aparentemente elimina a tela em posição vertical reclinada e adota um painel central voltado para o motorista.

 

 

Dodge Demon terá reforços mecânicos para a drag strip

Hoje é quinta-feira e isso significa que é dia de mais uma das doses homeopáticas de informações sobre o Dodge Demon. Desta vez a Dodge decidiu falar sobre os reforços mecânicos necessários para transferir a pancadaria do V8 supercharged para o asfalto.

Segundo a fabricante o cardã do Demon irá aumentar a capacidade de transmissão de torque em 15% usando aço de alta resistência, tubo 20% mais espesso e tratamento térmico nas pontas do cardã. A carcaça do diferencial também foi reforçada para permitir melhor transmissão de torque, usando alumínio A383 com tratamento térmico e engrenagens de aço de alta resistência. Depois, as semi-árvores (ou semi-eixos, como são chamados popularmente) usam ponta de 41 estrias e aumentam a capacidade de transmissão de torque em 20% através do uso de ligas de aço de alta resistência.

2018_srt_demon_harness_bar2htft6ij14nac15n0bctmv5sph

Além disso, para eliminar um dos grandes inimigos da tração numa arrancada, o wheel hop (uma trepidação vertical das rodas que faz com que elas percam o contato com o solo momentaneamente), a SRT desenvolveu uma programação para o controle de tração que reduz o torque do motor momentaneamente ao detectar a possibilidade de destracionamento.

Por último, o Demon terá uma barra estrutural para cintos de quatro pontos que também ajudará a minimizar a flexão da carroceria na arrancada.

 

Mercedes-Benz revela novo Classe E Cabriolet

Mercedes-Benz E-Klasse Cabriolet ( A 238 ), 2017

Outro lançamento de Genebra que foi revelado nesta quinta-feira é o Classe E Cabriolet, que volta a ser produzido sobre a plataforma de sua Classe pela primeira vez em 20 anos (a geração anterior era baseada na Classe C W204).

Com o lançamento da Classe E, a Mercedes completa a renovação de sua linha de conversíveis. Como as demais versões da Classe E, o E Cabriolet será posicionado entre o C e o S Cabriolet, complementando os roadsters SLC, SL e GT. E como seus irmãos sedã e coupé, o cabriolet parece uma versão reduzida dos outros dois conversíveis.

Em relação ao Classe E Coupé, a principal diferença estética é o teto conversível de tecido, fornecido pelos austríacos da Magna e fabricado com quatro camadas para proporcionar isolamento térmico e acústico além de um acabamento refinado, como se espera de um cabriolet premium. Ele pode ser feito em quatro cores externas (marrom, azul, vermelho ou preto) e leva 20 segundos para abrir ou fechar em velocidades de até 50 km/h. Por ficar recolhido em um compartimento entre a cabine e o porta-malas, o volume de carga foi sensivelmente reduzido de 385 para 310 litros.

Por dentro ele segue o mesmo visual do E Coupé, com quadro de instrumentos físicos e uma tela de 8,4 polegadas nas versões de entrada ou com o quadro de instrumentos virtualizados que usa uma tela de 12,3 polegadas e é combinado a uma segunda tela do mesmo tamanho para o sistema multimídia. Como todo conversível Mercedes, o E Cabriolet adota o sistema Aircap, que desvia o fluxo de ar da cabine, e o Airscarf, que sopra ar aquecido através de saídas posicionadas nos encostos de cabeça dos bancos dianteiros e traseiros.

Sob o capô estarão os mesmos motores do Coupé: um 2.0 turbo de 181 cv no E200, uma variação de 245 cv deste mesmo motor no E300 e um V6 biturbo de 3 litros e 330 cv no E400 4Matic — este último com tração integral. A Mercedes não mencionou a criação de versões AMG para o E Cabriolet, mas é provável que ele ganhe ao menos a versão mais mansa E43, com 400 cv. Todos eles são equipados com o câmbio automático de nove marchas da Mercedes, o 9G-Tronic.

Matérias relacionadas

Novo Audi Q3 é lançado com visual e tecnologia dos modelos maiores – e com motor 2.0 turbo de 230 cv

Dalmo Hernandes

Subaru WRX e STI no Brasil em outubro, Nissan de volta a Le Mans, Castroneves na Indy 500 e mais!

Leonardo Contesini

Não, a Ferrari não obriga seus clientes a manter os modelos XX na fábrica

Leonardo Contesini