A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

McLaren P1 LM quer o recorde de Nürburgring, ladrões roubam quase 200 rodas em concessionária, o esportivo Caterham-Renault que nunca será feito e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

McLaren P1 LM tentará recorde de Nürburgring

Captura de Tela 2016-08-29 às 12.09.13

Na briga dos hipercarros pela coroa de Nürburgring, a Ferrari ficou apenas nos flagras dos fãs, a McLaren nas especulações sobre seu verdadeiro tempo de volta e a Porsche matou a cobra de asfalto e mostrou sua arma, mantendo o recorde de volta mais rápida entre os carros de rua produzidos em série com um tempo de 6min 57s.

Captura de Tela 2016-08-29 às 12.09.06

No começo de 2014 houve alguma especulação dizendo que a McLaren supostamente completou a volta em Nür na casa dos 6min 30s, mas é pouco provável que tenha realmente acontecido por dois motivos. O primeiro, obviamente, é que não faz sentido algum ter conseguido superar seu adversário em 20 segundos (uma eternidade em tempos de volta) e não divulgar isso sendo que há uma disputa velada entre ambos. O segundo tem a ver com uma notícia recente: o McLaren P1 LM, a versão de rua do GTR, irá tentar o recorde de volta no Inferno Verde.

Captura de Tela 2016-08-29 às 12.09.24

 

A tentativa será bancada pela Lanzante, a empresa que faz a conversão de GTR para LM, permitindo que o carro seja legalizado para as ruas. Segundo a Autocar, a Lanzante levará o carro para uma série de testes com o sueco Kenny Bräck ao volante, e não tem o recorde como prioridade, mas tentarão quebrá-lo se “as condições forem favoráveis”. “Já vimos o que o carro de rua é capaz de fazer e temos simulações sobre o que ele pode fazer”, disse Dean Lanzante à revista britânica. “Não temos os recursos para fazer algo como a Porsche. Se chover, não podemos fazer uma volta rápida. E não queremos fazer como a Koenigsegg”, completou.

 

Ford GT terá direção hidráulica em vez de elétrica

ford-gt-detroit-barata-2

Contrariando a tendência da indústria, a Ford não irá adotar direção elétrica em seu novo GT. A informação pode parecer um mero detalhe, mas diz algo sobre o nível de precisão dinâmica que a marca pretende obter em seu novo supercarro. Por não usar uma bomba mecânica movida por uma polia que gera arrasto no motor (e aumenta consumo e “rouba” potência), o sistema elétrico está se tornando o novo padrão na indústria. Porém a direção elétrica, por sua natureza, não consegue o mesmo nível de comunicatividade que os sistemas hidráulicos ou eletro-hidráulicos, que usam fluido para auxiliar o movimento da caixa de direção, e sua adoção em esportivos vem sendo alvo de críticas da imprensa e clientes em geral.

Mas a questão da precisão no comando não é o principal motivo para a adoção da direção hidráulica. A principal razão é que o Ford GT usará um sistema hidráulico para modificar a altura de rodagem no modo de pista, e esse sistema terá uma bomba mecânica movida por uma polia no motor. Diante dessa necessidade, se a bomba já está lá e a direção hidráulica tem melhor comunicatividade que a elétrica, por que não usar o bom e velho sistema de fluido?

 

Ladrões roubam 48 jogos de rodas de carros em concessionária

texas-wheel-thieves-strike-again-this-time-48-sets-worth-250000

Roubo de rodas é algo relativamente comum em todo o mundo. Você estaciona seu carro com aquelas rodas bacanas e, na hora de pegá-lo novamente, ele está sem rodas, apoiado em blocos de madeira, pedras e afins. Agora, muito menos comum é o roubo de rodas em pátios de concessionárias, como aconteceu nesta loja da Chevrolet no Texas no último fim de semana. Os ladrões levaram nada menos que 192 rodas de 48 carros.

texas-wheel-thieves-strike-again-this-time-48-sets-worth-250000-1

Segundo o site Motor1, o roubo aconteceu à 1 da manhã deste último domingo. Os ladrões cortaram os cadeados, quebraram as lâmpadas que iluminavam o pátio e começaram a desmontar as rodas — em sua maioria modelos de 20 e 22 polegadas do Camaro e da picape Traverse. Com o pátio às escuras, as câmeras de vigilância não foram suficientes para identificar os ladrões. Sabe-se apenas que um caminhão chegou à 1:22, mas sem as luzes não foi possível identificar o caminhão. O prejuízo foi estimado em US$ 250.000 pelo proprietário da concessionária.

 

Como seria o Caterham-Renault que nunca será feito

the-caterham-c120-is-a-mixture-of-emotions-for-its-creator-110666_1-1

Você deve lembrar que em 2011, quando a Caterham ainda tinha uma equipe de F1 e usava motores Renault, as duas empresas fizeram uma parceria para fabricar um esportivo de rua. Em 2014, contudo, a Renault arrematou parte da Caterham e cancelou o projeto para dar prioridade ao revival da Alpine. Nesses três anos de parceria, contudo, as duas marcas chegaram a avançar o desenvolvimento do carro, com direito a engenharia de chassi e conceito inicial de design.

Agora, depois de cinco anos, o estúdio que fez o primeiro esboço do esportivo, Drive Design, divulgou seu visual em renderizações e fala até na possibilidade da retomada do projeto por parte da Caterham.  “Embora o design continue no próximo Alpine, a Caterham não desistiu do projeto”, disse o designer-chefe do Drive Design, Mark Przelawski em entrevista ao site AutoEvolution. A afirmação, contudo, nos parece otimista: batizado C120, o modelo tem formas semelhantes às adotadas pelo novo Alpine, o que nos leva a crer que pode haver algum impedimento legal para sua produção pela Caterham. Além disso, a Caterham não é uma fabricante com recursos para projetar um carro como o C120 do zero (foi exatamente o que a levou à parceria com a Renault).

 

Mercedes GLC63 flagrado em testes

Embora BMW e Audi já tivessem versões esportivas para seus SUV médio-compactos, o X3 M e o RS Q3, a Mercedes nunca produziu um GLK esportivo. A história, contudo, está mudando com a chegada do GLC, o sucessor do GLK. Primeiro veio a versão GLC43, com um V6 biturbo de 370 cv. Agora, eles estão preparando o GLC 63, que será equipado com o V8 biturbo 4.0 usado pelo Classe C, pelo AMG GT e pelo E63.

Como todo AMG, ele terá visual exclusivo da versão, com para-choques, capô e rodas da divisão esportiva da Mercedes (e diferentes da GLC43), e o novo câmbio Speedshift de 7 marchas também exclusivo das versões mais radicais. O motor V8 terá as mesmas especificações do AMG C63: 476 cv na versão base e 510 cv na versão S. O AMG GLC63 também terá o sistema ABC (air body control, que reduz a rolagem com um sistema pneumático) e caixa de direção recalibrada. O lançamento deve acontecer no final deste ano.

 

 

Matérias relacionadas

Toyota Corolla híbrido chega em outubro, motos proibidas nas Marginais de SP, o novo Porsche 992 Targa e mais!

Renault quer recuperar seu recorde em Nürburgring, Apple não quer celular ao volante, o fim do carro mais feio do mundo e mais!

Leonardo Contesini

O novo Porsche 911 GT3 RS, Fórmula 1 troca grid girls por grid kids, Hyundai Santa Fe chega à quarta geração e mais!

Leonardo Contesini