A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

McLaren revela Senna GTR de produção, lombadas eletrônicas serão mantidas em alguns pontos, os detalhes do novo BMW Série 1 e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Membro especial, com todos os benefícios: acesso livre a todo o conteúdo do FlatOut, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), descontos em nossa loja, oficinas e lojas parceiras!

A partir de

R$20,00 / mês

ASSINANTE

Plano feito na medida para quem quer acessar livremente todo o conteúdo do FlatOut, incluindo vídeos exclusivos para assinantes e FlatOuters.*

De R$14,90

por R$9,90 / mês

*Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em nossa loja ou em parceiros.

 

Lombadas eletrônicas serão mantidas “onde for absolutamente necessário”

Na sexta-feira (8), um dia depois da declaração do presidente Jair Bolsonaro sobre o fim das lombadas eletrônicas, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, confirmou que a instalação das lombadas será reavaliada pelo governo federal e que elas serão mantidas onde for “absolutamente necessário”.

Em uma visita ao Maranhão, o ministro disse que o governo irá investir em melhoria geométrica, em manutenção das viras, em sinalização e que as lombadas serão usadas em pontos críticos, onde a velocidade deve ser reduzida.

A declaração do ministro esclarece as dúvidas deixadas pelo discurso rápido de Bolsonaro em sua live de quinta-feira (7), na qual menciona que a manutenção das vias está sendo preterida em favor da fiscalização eletrônica, que se tornou predominante e, segundo o presidente, tem função arrecadatória. (LC)

 

McLaren apresenta versão de produção do Senna GTR

A McLaren apresentou neste final de semana a versão de produção do Senna GTR. O modelo foi apresentado na forma de conceito em março do ano passado, durante o Salão de Genebra, mas somente agora ganhou a versão de série, que será limitada a 75 unidades. 

Embora seja equipado com o mesmo V8 biturbo de quatro litros do Senna regular, o GTR  tem 25 cv a mais, chegando aos 825 cv. Além disso, ele é substancialmente diferente do conceito de 2018, ganhando um pacote aerodinâmico ainda mais radical que o do modelo de rua. O spoiler e o splitter dianteiros são maiores — afinal, na pista não há rampas e lombadas — há dive planes (ou canards), geradores de vórtice, uma asa ativa ainda maior que a do carro de rua e um novo difusor traseiro. 

De acordo com a McLaren, o Senna GTR produz 1.000 kg de downforce a 250 km/h (200 kg a mais que a versão de rua) enquanto pode gerar 3g de desaceleração (20% a mais que a versão de rua). 

Com a potência extra e uma redução de 10 kg (obtida com a remoção dos airbags, freio de estacionamento, abafadores do escape e substituição do vidro lateral por policarbonato) a McLaren confirmou que ele será mais rápido que o Senna regular, porém não divulgou dados de desempenho. Como referência, o Senna de rua vai de zero a 100 km/h em 2,8 segundos e de zero a 200 km/h em 6,8 segundos. O modelo também usa pneus slick da Pirelli. 

A McLaren disse ainda que o Senna GTR é mais rápido que o P1 GTR e que “somente seus carros de F1 conseguem tempos de volta melhores”.

O Senna GTR ainda tem três modos de condução — Track, Race e Wet —, freios ABS, limitador de velocidade de pit lane, monitoramento da pressão dos pneus, sensores de desgaste de pastilhas de freio, sistema de limpeza dos discos de freio e até radar anti-colisão.

Serão feitos 75 exemplares do Senna GTR, cada um custando US$ 2 milhões. Todos já foram vendidos. 

 

Próximo Honda Civic Type R poderá ser híbrido

Em 2012, quando o Civic Type R adotou uma versão turbinada com mais de 300 cv do motor K20, os fãs do modelo manifestaram certa indignação – o hot hatch ficou mais potente, mas perdeu o motor girador que o caracterizava desde a década de 1990. Mas agora, sabemos que existe a possibilidade de o Type R passar por uma mudança ainda mais radical: a próxima geração talvez adote tecnologia híbrida.

Durante o Salão de Genebra, o Pistonheads conversou com Kohei Hitomi, que é o supervisor do e Prototype, futuro compacto elétrico da marca. De acordo com ele, os motores elétricos já alcançaram os motores tradicionais a combustão em termos de desempenho, mas para o Civic Type R este não é o caminho. Hitomi diz que, além da performance, o hot hatch ainda precisa ter boa dirigibilidade, boa operação e boa dinâmica, portanto não é uma questão de simplesmente substituir o 2.0 turbo por um motor elétrico. Mas ele admitiu que um conjunto híbrido pode ser uma boa solução.

“As pessoas reclamaram quando dissemos que o Type R ganharia um turbo, mas agora elas apreciam as novas possibilidades que o turbo trouxe”, disse Hitomi. “Acredito que vai ser a mesma coisa com os veículos eletrificados. Quem adora o Type R vai perceber o que [um conjunto híbrido] pode acrescentar à experiência de condução.”

Hitomi também deu pistas de que a próxima geração do Civic Type R ganhará um visual mais limpo do que o atual – segundo ele, muitos de seus colegas concordaram que isto poderá ajudar o carro a se sobressair entre a concorrência, pois proporcionará um contraste em relação ao desenho agressivo de muitos de seus rivais. (DH)

 

Audi pode matar o TT

Lançado em 1998, o Audi TT está atualmente em sua terceira geração, que foi reestilizada recentemente. Mas ela pode ser a última – de acordo com a Autocar, a Audi ainda não tem certeza de que a demanda pelo esportivo será suficiente para mantê-lo na linha nos próximos anos.

Questionado a respeito da quarta geração no Salão de Genebra, o CEO da Audi, o Bram Schot, disse o seguinte:

Esta é uma excelente pergunta. Acho que há um futuro para um ícone, mas não sei se este ícone é o TT. Meu coração chega a doer quando me perguntam isto! Estamos preparando algumas coisas, que até poderiam substituir o TT, mas não sei se diretamente.

Além da falta de demanda no segmento dos esportivos, Bram citou os investimentos da Audi em híbridos e elétricos como razão para um possível fim do TT, dizendo que é preciso financiar o desenvolvimento de novas tecnologias – por conta disto, é impossível se fazer presente em todos os países, em todos os segmentos. (DH)

 

Ford anuncia recall do Ka 2019 por problemas no volante

A Ford está promovendo um recall pra o Ka, tanto o hatch quanto o sedã. De acordo com a fabricante, o gancho de fixação do módulo de airbag, que fica no volante, pode ter sido comprometido durante a montagem de algumas unidades. O defeito pode ocasionar a soltura do módulo em uma colisão, o que poderia prejudicar a deflagração do airbag e causar danos aos ocupantes.

Os carros afetados pelo recall foram fabricados entre 11 e 19 de fevereiro de 2019. O reparo, que talvez exija a substituição do volante, já pode ser agendado nas concessionárias da marca. O serviço é gratuito e dura cerca de 50 minutos.

Para obter mais informações e saber se seu carro está envolvido no recall, você pode entrar em contato com a Ford pelo telefone 0800 703 3673 ou acessar o site da fabricante. (DH)

 

Maserati apresentará sucessor do GranTurismo em 2020

O Maserati GranTurismo é atualmente o esportivo mais longevo do mercado. Lançado em março de 2007, o grã-turismo continua em produção com poucas mudanças em seus 12 anos de estrada. Ele ainda usa motor V8 aspirado, cambio automático de seis marchas ou automatizado monoembreagem e não possui nenhum tipo de eletrificação.

Contudo, sua hora finalmente está chegando: o CEO da Maserati, Harald Wester, disse à revista Autocar que um substituto será apresentado em 2020. O novo esportivo da marca será baseado no conceito Alfieri de 2014, e o CEO afirmou que todo produto novo da Maserati terá alguma forma de eletrificação e todas as linhas terão pelo menos um modelo 100% elétrico. A produção do Alfieri tem início marcado para 2021.

Nos planos da Maserati estão as novas gerações do Quattroporte, Ghibli e Levante, todos serão apresentados até o final de 2022. O GranTurismo continuará em produção até o final de 2019, nesse meio tempo a fábrica de Modena será reformada para receber os veículos eletrificados. (ER)

 

Novos detalhes sobre o próximo BMW Série 1

A próxima geração do BMW Série 1 já está em estado avançado de desenvolvimento, e a Autocar conseguiu alguns detalhes exclusivos a seu respeito. Pela primeira vez desde 2004, o baby Bimmer adotará uma plataforma de tração dianteira, que será uma evolução daquela usada por carros da Mini, como o Countryman, e o BMW X1. Com aços de alta resistência, ela será mais leve, terá motor transversal e será projetada para acomodar componentes elétricos – baterias e motores.

A decisão de adotar uma plataforma de tração dianteira envolveu vários fatores. De acordo com a Autocar, a BMW realizou pesquisas e percebeu que o comprador médio do Série 1 está mais preocupado com espaço interno e praticidade do que com a dinâmica. Por isso, o novo Série 1 ficará mais próximo do Audi A3 e do Mercedes-Benz Classe A, seus grandes rivais.

Além disso, a plataforma compartilhada com a Mini possibilitará um compartilhamento muito maior de componentes dentro do grupo, e dispensará componentes como diferencial traseiro e cardã. Com isto, estima-se que a BMW economizará até € 660 (por volta de R$ 2.800 em conversão direta) a cada carro produzido. Em um ano, a economia pode chegar a € 1,3 bilhão (R$ 5,6 bilhões), considerando que a BMW vende cerca de 202.000 exemplares do Série 1 anualmente. (DH)

 

Golf 8 volta a ser flagrado sem disfarces

A nova geração do Golf continua em testes e aparece cada vez menos disfarçada, conforme manda o roteiro de lançamentos dos últimos tempos. Depois de ser flagrado em uma rodovia sul-africana e em um drive-thru na Europa, ele agora voltou a aparecer nas melhores fotos já feitas desta oitava geração até agora.

Como podemos notar, ele está “mascarado” para parecer um Golf 7, porém é visível que os faróis não irão “recortar” o capô, ficando completamente abaixo dele, que passa a adotar uma linha plana como no Arteon e no Polo. Aparentemente a parte superior da grade também está coberta por adesivos, o que pode indicar uma grade na cor do carro como no Polo.

Nas laterais o Golf mantém sua silhueta característica, com a larga coluna C que marca seu design desde a primeira geração. Já na traseira, as lanternas parecem se estender sobre a tampa do porta-malas, mas um olhar mais atento deixa dúvidas quanto a isso — ao menos em relação ao formato.

O novo Golf é baseado em uma evolução da plataforma MQB, mas ainda não se sabe quais motores serão usados. A expectativa é que ele seja equipado com o 1.0 TSI, 1.2 TSI, 1.5 TSI e 2.0 TSI, com a possibilidade de uma versão diesel em alguns mercados, além de um híbrido plug-in. Ainda não há data para o lançamento do modelo. (LC)

Matérias relacionadas

Quando o Mustang quase virou um cupê japonês de tração dianteira

Dalmo Hernandes

Citroën deixará de vender linha DS no Brasil, Dodge Challenger Demon será mais potente que o Hellcat, Suzuki Swift Sport fora do site oficial e mais!

Leonardo Contesini

Esta é a Ferrari 330 GT Series I do próprio Enzo Ferrari – e ela está à venda

Dalmo Hernandes