A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

Mechatronik: os Mercedes do passado mais modernos do planeta

A maioria dos carros antigos é perfeita até o momento em que você os dirige. O tempo que deixou aqueles carros cada vez mais belos, também fez com que nos acostumássemos a novos (e melhores) parâmetros de desempenho e dirigibilidade, o que ajuda a destacar as deficiências dinâmicas de um carro fabricado há muito tempo.

Como temos visto nestas últimas semanas, a solução para este “problema” foram os restomods, que são restaurações modernizadas que solucionam os pontos fracos dos clássicos pela aplicação de tecnologia moderna onde realmente importa – o conjunto mecânico-motriz. Já vimos antes os Porsche clássicos modernizados pela Singer, os off-roaders da Icon, e os raros Jags de corrida recriados pela Eagle, agora imagine algo semelhante com as luxuosas e elegantes Mercedes da década de 1960.

Nessa época, a Mercedes já estava reestabelecida dos efeitos da guerra e produzia alguns dos carros mais luxuosos do mundo, como a limousine 600 Pullman ou o roadster SL “Pagoda”. Mas diferentemente do estilo, que envelheceu muito bem, as soluções mecânicas não seduzem tanto depois de quase cinco décadas — a menos que você esteja à procura de uma experiência de condução legitimamente clássica.

Sendo assim, os alemães da Mechatronik resolveram unir o melhor dos mundos: o visual clássico dos antigos Benz, com o desempenho robusto e mais que suficiente dos modelos modernos, tornando-os usáveis no dia-a-dia. Como a Eagle, a Mechatronik também restaura os modelos clássicos, mas te dá a opção de modernizar o conjunto mecânico de seu antigo Mercedes.

Slideshow-2-_01

M-Coupe, um Classe S dos anos 1960 com mecânica e tecnologia do Classe S dos anos 2000

A empresa foi fundada em 1997, e trabalha com três linhas de serviço para clássicos: restaurações tradicionais, modificações e modelos completos. Neste último caso, são dois modelos: o M-Coupé, que é baseado no cupê W108 (o Classe S dos anos 1960/70) e o MSL, baseado no roadster SL W113 dos anos 1960.

Slideshow-1-_09

 

MSL, um SL W113 “Pagoda” dos anos 1960 com tecnologia dos roadsters modernos

O M-Coupé e o MSL são as conversões mais abrangentes desta série. Toda a parte elétrica e mecânica é modernizada ou trazida de modelos recentes da Mercedes. Os motores são os V6 ou V8 adotados pela marca entre 1997 e 2004 (M112 e M113) e vão de 2.8 litros e 197 cv a 5,5 litros de 360 cv com preparação da AMG, sempre casados com o câmbio automático 722.6 de cinco marchas com trocas sequenciais e modos adaptativos. Logicamente freios e suspensão entram na conta também, com discos ventilados frisados e perfurados e amortecedores e molas de alto desempenho.

Além do motor moderno e da reconstrução visual conforme as especificações originais do VIN (número de identificação do veículo), os carros recebem também os sistemas de controle de tração, de estabilidade, limitador de velocidade, e ABS com EBD dos modelos modernos. Como isso tudo depende da rede “CAN” do carro (a rede de módulos eletrônicos), fica fácil instalar também sistemas digitais de climatização, navegação e áudio.

Slideshow-4-_01

O que mais se destaca o trabalho da Mechatronik, contudo, é que todos esses componentes modernos são integrados ao visual original. É como se eles fossem a Mercedes-Benz de uma realidade alternativa na qual tudo isso foi inventado há 50 anos. Dê uma olhada nas fotos e tente encontrar as luzes do ABS e ASR, os modos “Winter” e “Sport” do câmbio automático moderno ou os controles de velocidade de cruzeiro. Nem mesmo o rádio aparenta ter um display digital — ele é um dos modelos feitos pela Becker com a mesma cara dos modelos que ela fabricava no passado, mas com as entranhas modernas e digitais para executar arquivos mp3 e conectar via Bluetooth os nossos smartphones.

Slideshow-3-_01-1

A preparadora oferece prontos apenas estes dois modelos, mas você pode aparecer por lá com qualquer Mercedes clássico e pedir conversões de diversos tipos. A empresa conta em seu site que recentemente modificou um W100 (o 600 Pullman), o modelo preferido dos ditadores do passado, para receber um motor 5.5 AMG moderno, e o carro que ilustra a seção é este 300 SEL 6.3 inspirado no clássico “Red Sow” da AMG, que venceu as 24 Horas de Spa de 1969 e colocou a atual preparadora oficial da Mercedes no mapa.

Slideshow-3-_03

E como todo restomod, o preço também é “atualizado” para os padrões modernos. Eles variam entre € 53.000 e € 177.000 ( R$ 165.000 e R$ 550.000 — os cupês zero-quilômetro da Mercedes partem de € 41.000 / R$ 127.000 na Alemanha), mas pense nele como um carro moderno com uma carroceria clássica e estonteante. É exclusivo, artesanal e rápido, mas também é confiável, confortável e seguro. É tudo o que podemos desejar em um carro.

Slideshow_2__08

Slideshow-4-_05

Matérias relacionadas

Este cara dirige seu Lamborghini Murciélago diariamente – e já rodou 415.000 km com ele!

Dalmo Hernandes

O sleeper definitivo: isto é um Toyota Camry com motor V8 de mais de 850 cv

Dalmo Hernandes

Sherp ATV: o caminhão russo invencível que anda sobre terra, água, gelo e só falta voar

Dalmo Hernandes