A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Mercedes-Benz SL500: este roadster com motor V8 de 326 cv quer um novo dono

Se hoje os carros importados fazem parte do cotidiano de todo mundo, no início da década de 1990 eles eram uma grande novidade. Não apenas porque, até então, nosso mercado era fechado, mas também porque sua chegada deixou mais do que evidente a defasagem da nossa fauna automotiva na época — sem desmerecer nossos adorados esportivos nacionais, claro. E o Mercedes-Benz SL500 era um dos maiores exemplos disso.

Grandalhão, quadradão e imponente, o roadster SL500 fazia parte da geração R129 do Mercedes-Benz Classe SL, cujas raízes, você deve saber, estão no clássico absoluto 300 SL “Gullwing”, sobre o qual falamos recentemente no post sobre as portas asa-de-gaivota. O R129 já não exibia as tais portas, mas nem por isto era um carro desinterassante.

mercedes-sl500-achados-flatout (10)

Com seu capô longo e traseira curta, o SL500 marcava presença cada vez que aparecia nas ruas — na boa, sempre que ele aparecia, era um evento. E como seria diferente, se até pouco tempo antes nossos conversíveis se resumiam a caras como o Ford Escort XR3 e o Kadett GSi?

Pois bem: havia outras versões do Mercedes-Benz SL R129, do básico SL280, que usava um seis-em-linha de 2,8 litros e 197 cv, ao incrível SL600, que tinha um V12 de seis litros com comando duplo nos cabeçotes, 40 válvulas e 394 cv. Isto sem falar no impressionante SL 73 AMG que, como o nome indicava, tinha um V12 de 7,3 litros e 525 cv. Ele era capaz de chegar aos 100 km/h em 4,8 segundos, com máxima de 300 km/h. Ah, e foi este o carro que cedeu seu motor ao Pagani Zonda, em uma história que já contamos aqui!

Claro, o SL500 não é tão potente, mas também é bem interessante. Seu motor era o V8 M119, de cinco litros, com cabeçotes de alumínio, comando duplo, 32 válvulas, pistões forjados e a capacidade de entregar 326 cv a 5.600 rpm e 47,9 mkgf de torque a 3.900 rpm. O câmbio podia ser manual ou automático, com cinco marchas em ambos os casos. No Brasil é praticamente impossível encontrar um exemplar com câmbio manual, e este aqui não é exceção.

mercedes-sl500-achados-flatout (7)

É fácil, portanto, concluir que o SL500 andava bem. Ele precisava de cerca de 6,5 segundos para chegar aos 100 km/h, com máxima de 250 km/h. Além disso, trazia alguns recursos bem avançados para a época, como amortecedores auto-ajustáveis, um “santantônio” retrátil que ficava invisível com a capota levantada e um teto rígido que podia ser colocado quando o teto de lona estava recolhido — e dava ao SL R129 uma aparência de cupê bem bacana.

O carro que encontramos à venda é um SL500 R129. O exemplar está em São Paulo, no showroom da Universo Marx e, ao que tudo indica, está em excelentes condições.

mercedes-sl500-achados-flatout (3)

 

A começar pelo estado de conservação da pintura, que é original e exibe um belo tom de azul. Aliás, o carro também tem capota de tecido e interior em azul, em uma combinação conhecida como triple blue por razões óbvias. Tanto o lado de fora quanto o lado de dentro aparentam excelentes condições, com tudo no lugar e nada a fazer.

mercedes-sl500-achados-flatout (5)mercedes-sl500-achados-flatout (9) mercedes-sl500-achados-flatout (6)

O hodômetro marca pouco menos de 43.800 km — um bom número, levando em consideração a idade do carro (22) anos, e também o fato de todo o histórico de manutenção, sempre realizada em concessionária, estar disponível. Dito isto, mecanicamente o SL500 está em perfeitas condições e “anda muito bem”.

O valor pedido é condizente com o que se costuma cobrar pelo SL500 aqui no Brasil — R$ 115 mil. No entanto, considerando a baixa quilometragem e a garantia de procedência (todos os documentos do carro estão disponíveis para comprovação), pode ser um bom negócio. O que você nos diz?

mercedes-sl500-achados-flatout (2)

Se se interessou, pode entrar em contato com a Universo Marx pelos telefones (11) 2638-4550(11) 9 9249-3210, além do email [email protected].


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! na qual selecionamos e comentamos anúncios de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de uma reportagem aprofundada e não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios – todos os detalhes devem ser apurados com o anunciante.

Matérias relacionadas

Este Honda Civic CR-X Del Sol impecável é nosso Achado Meio Perdido de hoje

Gustavo Henrique Ruffo

Que tal um Monza Classic bem conservado, original e honesto para curtir nos fins de semana?

Dalmo Hernandes

Procurando um bom esportivo nacional? Então dê uma olhada neste Kadett GSi

Dalmo Hernandes
error: Direitos autorais reservados