A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Mercedes lança novo Classe E, Ford Fusion ganha cara nova e versão Sport com 330 cv, Audi A1 Sportback ganha novo motor 1.8 de 192 cv e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Mercedes-Benz apresenta nova geração da Classe E em Detroit

2017-Mercedes-E-Class-12

Depois de flagras e teasers homeopáticos, a Mercedes finalmente apresentou a nova geração de sua Classe E (W213) no Salão de Detroit. Como já havíamos visto anteriormente, o modelo é muito semelhante aos outros dois sedãs da marca (que já foram renovados) o Classe C e o Classe S. Na verdade, ele parece uma versão em escala dos irmãos, mas segundo a Mercedes esta semelhança faz parte dos planos da marca em tornar a linha de sedãs mais “coesa” em relação ao visual.

2017-Mercedes-E-Class-10

Esta déceima geração do Classe E (ou quinta, se você contar a partir de 1994, quando a Mercedes adotou a nomenclatura por classes) cresceu 43 mm no comprimento, e agora tem longos 4,93 metros. O entre-eixos cresceu ainda mais e chegou a 2,94 metros, resultando em mais espaço interno e balanços mais curtos. Aqueles vincos todos na carroceria, que dividem opiniões, ajudam o coeficiente aerodinâmico chegar a impressionantes 0,23 — o melhor de sua categoria.

2017-Mercedes-E-Class-23

 

As semelhanças com as Classes C e S não são apenas no visual: o Classe E também compartilha com os outros dois sedãs a plataforma modular MRA, que usa aço de alta resistência e alumínio para reduzir o peso do carro em cerca de 100 kg. No Classe E, os para-lamas dianteiros, o capô e a tampa do porta-malas também são feitas de alumínio.

Quanto aos motores, o novo Classe E terá oito variações, mas por ora foram apresentadas somente duas delas, uma a diesel e outra a gasolina, ambas de quatro cilindros. O primeiro, a diesel (OM654 é seu código), é um 2.0 turbo com 192 cv e 40,7 mkgf, e equipará o E220d. O motor a gasolina também é um 2.0 turbo, mas produz 181 cv e 30,5 mkgf no E200. O W213 também terá uma variação mais potente do 2.0 turbo a gasolina com 245 cv no E250, um V6 biturbo de 332 cv no E300 4Matic e, claro, o V8 4.0 biturbo que equipará o E63 AMG e terá 580 cv. Os demais motores serão uma versão mais fraca do 2.0 turbodiesel, com 150 cv e um novo seis-em-linha diesel de três litros, 255 cv e 60,9 mkgf.

2017-Mercedes-E-Class-24

Como todo carro premium de 2016, o novo Classe E também terá uma versão híbrida plug-in, capaz de rodar 30 km no modo 100% elétrico. Ele usa o 2.0 turbo do E250 com um motor elétrico no câmbio. Com isso, o E350e (como será chamado) terá 275 cv e 61 mkgf, e poderá rodar nada menos que 47 km/l .

2017-Mercedes-E-Class-26

Todos os Classe E terão o novo câmbio de nove marchas da Mercedes, batizado 9G-Tronic, e algumas versões poderão ser equipadas com o sistema de tração integral 4Matic. Segundo especulações da imprensa europeia, o E63 AMG terá apenas tração integral nesta geração. A suspensão do W213 terá três acertos diferentes em seu sistema eletrônico de amortecimento: Comfort, Comfort Avantgarde (que reduz a altura em 15mm) e Sport. Também haverá a opção de comprar o Classe E com uma nova suspensão a ar, que usar molas pneumáticas multicâmaras, sendo duas câmaras nas rodas dianteiras e três nas traseiras. Isso permite variação na rigidez, amortecimento, altura de rodagem e auto-nivelamento em quatro modos diferentes: Comfort, Eco, Sport e Sport Plus.

Por dentro, como já vimos em outro Zero a 300, o Classe E volta a combinar elementos do Classe C e do Classe S. Nas versões mais básicas ele terá instrumentos físicos, e uma tela sensível ao toque na porção central. Nas versões superiores, o painel é muito semelhante ao do Classe S, com instrumentos virtuais e duas telas de 12,3 polegadas. Os principais controles do computador de bordo e sistema multimídia serão operados por um touchpad nos raios do volante, além do touchpad posicionado no console central, um seletor rotativo e comandos de voz. Logicamente o sistema é compatível com Apple CarPlay e Google Android Auto.

Além do sedã, a nova geração da Classe E também terá versões perua, cupê e conversível.

 

Ford lança versão esportiva do Fusion com 330 cv

2017-ford-fusion-sport001-1-620x446

A Ford mostrou no Salão de Detroit a reestilização do Fusion, que visualmente não trouxe muitas novidades — você não deve ter percebido, mas ele tem novos faróis mais estreitos e com uma faixa de LED, nova grade e novos faróis de neblina — mas ganhou uma versão esportiva que deve atrair um público mais jovem (de idade e de espírito) e deixa babando os entusiastas da marca por aqui.

A versão, batizada apenas Fusion Sport (a marca considerou o nome ST, mas achou que seria um tanto exagerado para um Fusion), usa uma versão do motor V6 2.7 EcoBoost com nada menos que 330 cv — um belo número para o Fusion, especialmente se você lembrar que o Mustang V6 e o Mustang EcoBoost não têm tudo isso à disposição do pedal direito. Essa força é distribuída para as quatro rodas por meio do câmbio automático de seis marchas. A Ford não divulgou a distribuição de torque do sistema, mas ele certamente funciona como o Fusion AWD comum, com tração integral por demanda. Curiosamente, é uma receita que fez muito sucesso com o Volvo S60 R Design nos EUA. Com a nova potência o Fusion Sport supera os rivais japoneses Accord e Camry, e também o BMW 340i.

2017-ford-fusion-sport005-1-620x338

A suspensão também recebeu upgrades no Sport, com amortecimento controlado eletronicamente de modo contínuo. No campo visual o modelo tem grade preta, rodas de 19 polegadas, spoiler traseiro e escape duplo com saídas duplas.

 

Audi A1 Sportback chega ao Brasil com novo motor 1.8 de 192 cv

audi-a1-1

A versão reestilizada do Audi A1 Sportback já está sendo vendida no Brasil. O modelo chega em duas versões que partem de R$ 107.000 e com uma nova opção de motorização. Como o Fusion, a reestilização do Audi A1 foi discreta — somente farois e lanternas e um ou outro elemento dos para-choques foram modificados. As novidades estão onde os olhos não veem e debaixo do capô da versão mais cara.

A1_bx_4

Pelos R$ 107.000 mencionados no parágrafo anterior, você leva a versão Attraction, equipada com o motor 1.4 turbo de 125 que também deu as caras no A3 Sedan. Apesar da potência relativamente baixa, o A1 Attraction vai de zero a 100 km/h em 8,9 segundos e chega aos 204 km/h — resultado da combinação do torque do motor turbo com o câmbio de sete marchas. O A1 Attraction usa rodas de 16 polegadas com pneus 215/45 com discos de freio de 256 mm.

A1_bx_6

A outra versão é a que nos interessa: a Ambition, de R$ 125.000, vem equipada com o motor 1.8 TFSI de 192 cv, e leva o pocket rocket de zero a 100 km/h em 6,9 segundos e chega à máxima de 234 km/h. Essa versão também é equipada com o sistema Audi Drive Select, que oferece três modos de condução — normal, econômico e esportivo — e altera parâmetros da direção, reações do motor e do câmbio. As rodas são de 17 polegadas e os pneus 215/40, e cobrem os discos de freio de 310 mm. Soa como um bom rival para o Mini Cooper S.

audi-a1-2

As duas versões têm controle de estabilidade e vetorização de torque para minimizar o sobre-esterço típico de hatches de tração dianteira. O câmbio S-Tronic de sete marchas e embreagem dupla também é o mesmo nas duas versões, assim como os discos de freio traseiros, de 230 mm. Por dentro, a versão Ambition tem acabamento preto brilhante e bancos esportivos com ajuste de altura na dianteira. O volante e a manopla do câmbio são de couro e o teto usa tecido preto no revestimento. Ela também tem o arco do teto pintado de preto brilhante, e pode ser equipada com teto solar Open Sky.

Nova geração do Golf chega em 2017 com faróis a laser e sem versão duas portas

nuova_volkswagen_golf_rendering_35593

Apesar de ter sido lançado há apenas dois anos, a Volkswagen já está trabalhando na oitava geração do Golf para lançá-lo em 2017, possivelmente como modelo 2018. Segundo o site italiano Omni Auto, a mudança prematura de geração se deve ao salto tecnológico dos concorrentes nos últimos anos.

De acordo com os italianos, a nova geração do Golf continuará baseada na plataforma modular MQB, porém em uma versão alongada entre os eixos para proporcionar mais espaço interno. A publicação fala em algo em torno de 10 cm, suficientes para aumentar o espaço para os passageiros, bagagem e também para baterias e motores elétricos.

nuova-volkswagen-golf-il-rendering_2

Além disso o modelo perderá a versão duas portas, aparentemente devido à baixa demanda do mercado. Em seu lugar, contudo, a VW deverá lançar uma versão “cupê de quatro portas, provavelmente algo parecido com o perfil do Audi A5 (quem sabe um “Jetta Fastback”?). E por falar em Audi, essa oitava geração do Golf também poderá ser equipada com o sistema de faróis a laser desenvolvido pela marca e apresentada nos carros de Le Mans e em conceitos como o Audi R8 LMX

 

Matérias relacionadas

Citroën deixará de vender linha DS no Brasil, Dodge Challenger Demon será mais potente que o Hellcat, Suzuki Swift Sport fora do site oficial e mais!

Leonardo Contesini

A volta da picape Kombi, Fiat anuncia recall de 87.000 veículos no Brasil, Initial D em blocos de Lego e mais!

Leonardo Contesini

A odisseia do último Bugatti que correu nas 24 Horas de Le Mans

Dalmo Hernandes