A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #33

MTEC – A história da Marea Weekend Turbo de Diego Louro

Enfim chegou a hora de me apresentar e mostrar minha amante italiana! Meu nome é Diego Louro, 31 anos, sou formado em Eletromecânica Automotiva numa escola patrocinada pela Fiat em 1999 e, dois anos depois, me formei em Eletrônica.

pc33-post01-foto1b

Trabalhei por dois anos em concessionárias Fiat, até o dia em que dei de cara com o Marea – isso ocorreu bem na época do lançamento. Desde o momento em que ouvi o ronco do motor cinco cilindros, a fissura começou e não parou de crescer. Pouco tempo depois veio o Marea Turbo e aí não teve jeito: botei na cabeça que teria um carro desses, não importando quando ou como. Havia apenas um detalhe. Na época eu ganhava R$ 150,00 como estagiário na Fiat…

Mas o tempo passou, novos trabalhos vieram, e um dia eu pude enfim comprar meu primeiro Marea, um sedan SX 2.0 1999. Pouco tempo depois foi a vez da primeira Marea Weekend Turbo, Cinza Steel, 2001. Estava feliz à beça – até que alguns imprevistos apareceram em meu caminho e precisei me desfazer dos carros. Passei a rodar por aí com um Renault Mégane 1.6 2001. Carrinho econômico,valente, gostava de curvas, mas na real eu sentia falta dos 182 cv embaixo do capô. Isso sem falar no ronco dos cinco cilindros…

Com o passar dos anos, a situação econômica foi ficando mais confortável. E eis que surge, quase como predestinação, em novembro de 2012, uma Marea Weekend Turbo 98/99, Azul Leader. Ela é da primeira fornada, ainda com câmbio de relação mais longa (a partir de 2000 ela foi encurtada). E esta veio para ficar – a minha amante italiana! Quando a comprei, tinha 89 mil km rodados, havia e ainda há muita coisa a ser feita, mas mesmo assim não tive pena de botá-la na estrada. Hoje em dia, ela tem pouco mais de 112 mil quilômetros.

pc33-post01-foto2

Não é uma cristaleira. É um carro que vive sujo, e eu me orgulho disso. Todos vêem que o automóvel realmente é usado diariamente e não vive trancado dentro de uma garagem. O projeto está sendo bancado com meu salário, com negociação de peças, trocas, rolos, ajuda de amigos… Aos pouquinhos surgem as peças que eu preciso. Graças a um paciente garimpo, cruzei com oportunidades excelentes (assim vieram, por exemplo, minhas pinças Brembo que custaram R$ 500 o par),fiz experiências e ainda as faço…

Isso porque é um projeto que ainda não tem definição sobre como tudo ficará no final. A cada momento mudo alguma coisa. A meta era ter 250 cv,mas já subi para os 300 cv. Ah, mas comprei um kit de pistões forjados Iasa… E desse jeito vou extrapolar os 300 cv logo logo. O veneno é uma espiral sem fim!

pc33-post01-foto3

Muita coisa já está aqui, meu quarto vive lotado de caixas com peças. São bicos injetores, bomba de combustível, kit de freios, peças de manutenção, peças de performance… Muita coisa ainda está pendente, mas estou satisfeito com o andamento do projeto. Agora é questão de tempo para finalizar tudo até o final do ano.

pc33-post01-foto4

Esta foi a minha apresentação e também a do Project Cars #33, que será conhecido como Marea Weekend Turbo MTEC. Já que eu ainda sonho em ter minha oficina e sou a própria mão-de-obra da maioria dos trabalhos feitos neste Fiat, nada melhor do que MTEC (MultiTÉCnica) para batizar o brinquedo. Até a próxima!

Por Diego Louro, Project Cars #33

0pcdisclaimer2

Matérias relacionadas

Project Cars #318: a conclusão do meu Honda Prelude VTEC 1993

Project Cars

Como converter um Mazda 626 para tração traseira — confira a segunda parte do Project Cars #58

Leonardo Contesini

Gol Turbo 1.9 Draw-Through: o projeto finalmente está pronto!

Leonardo Contesini