A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

Nicole Harashima, a gata que mete a mão na graxa e cuida sozinha de seus hot hatches

Nicole Harashima é uma garota que mora no Reino Unido, é bonita e mantém com as próprias mãos um Citroën Saxo VTS e um Honda Civic Type R. Podia ser a namorada perfeita, não é? Na verdade, Nicole é o tipo de menina que, se bobear, manja mais de carros do que você. É sério: ela entende mesmo do assunto. Duvida?

Não é nenhum milagre uma garota gostar de carros — só é mais raro encontrar esta paixão entre elas, e isso é mais um reflexo cultural do que da natureza do sexo feminino. Mas o discurso ideológico vai ter ficar para outro lugar: o que interessa aqui é o modo como esta inglesinha coloca a mão na graxa.

nicole (1)

Nicole Harashima criou um tópico no fórum Detailing World para falar de sua mais nova aquisição: um Citroën Saxo VTS. O fórum é dedicado à restauração e manutenção de carros — funilaria, pintura, acabamento e mecânica, com foco especial na apresentação e na boa conservação.

O Saxo VTS foi um hot hatch vendido pela Citroën até 1999. O motor era um 1.6 16V de 120 cv — da mesma família do motor de alguns Citroën e Peugeot oferecidos no Brasil, como o C3 e o 207. Com ele, o Saxo ia de 0 a 100 km/h em 7,8 segundos — desempenho bem superior ao de qualquer Peugeot 106 vendido por aqui, com quem compartilha plataforma e boa parte dos painéis da carroceria.

saxo-vti-nicole-harashima (18)

O Saxo VTS de Nicole foi comprado em março de 2012. Era seu quarto 106/Saxo e, segundo ela, era um carro conhecido pelos fóruns do Reino Unido, com preparação leve e boa reputação. Contudo, quando caiu em suas mãos, o carro nem de longe estava impecável como haviam falado para ela.

saxo-vti-nicole-harashima (11)

Mas você acha que ela se desesperou? Nem um pouco. A gente não está brincando quando diz que coloca a mão na graxa. Nicole conta que, antes de ser seu, o carro tinha corpos de borboleta individuais e diferencial de deslizamento limitado, mas as modificações foram revertidas. Mas esta não era a maior decepção. O chicote do carro “estava em pedaços por causa dos corpos de borboleta individuais retirados”, como ela mesma diz. Depois da troca, porém, o carro não funcionava mais. Resultado: ela precisou trocar o módulo de controle do motor, velas, cabos, sensor de posição do virabrequim, injetores e flauta de combustível só para o carro andar de novo.

saxo-vti-nicole-harashima (7)

Aliás, a história até pode servir como dica para quem estiver comprando um carro: por mais que a procedência seja boa e o carro esteja aparentemente bem conservado e saudável, nada como uma inspeção cuidadosa para saber exatamente a que pé anda a mecânica — especialmente em carros modificados.

Mas não parou por aí: poucas semanas depois, o carro não passava dos 5.000 rpm. Com um leitor OBD, foram encontrados alguns erros. Eliminados estes erros, agora o motor não passava dos 1.400 rpm. Resultado: mais uma ECU nova, mais um chicote, e finalmente o carro pode ser levado para casa de vez.

saxo-vti-nicole-harashima (10)

Com tudo em ordem, Nicole começou a trabalhar sozinha no carro. De início ela retirou as tampas de válvulas e as repintou — não exatamente um exemplo impressionante de do-it-yourself. Mas dali em diante o nível dos serviços só foi subindo.

saxo-vti-nicole-harashima (12)

Ao longo dos meses, Nicole trocou a iluminação do painel e os discos de freio, que estavam empenados. O cabeçote estava vazando óleo, então ela resolveu trocar por um novo. “Era uma boa desculpa para tirar o cabeçote e desmontá-lo, algo que eu sempre quis fazer”, ela diz. Não te dá uma mistura de orgulho (por ela) e vergonha (por você)?

saxo-vti-nicole-harashima (26)saxo-vti-nicole-harashima (43) saxo-vti-nicole-harashima (1)

Ela limpou o cabeçote e as válvulas, comprou molas novas e repintou tudo. Sozinha. E não foi só isso: ela também repintou o coletor, trocou a junta do cabeçote e os retentores das válvulas. No processo, o motor foi desmontado e as peças foram todas para o chão da cozinha. Quantas garotas que você conhece fariam isso?

O próximo passo foi trocar as pinças dos freios— mais uma vez, fazendo todo o trabalho sozinha.

saxo-vti-nicole-harashima (67)

O tópico do Saxo VTS tem oito páginas, três delas com fotos detalhadas e a descrição de tudo o que ela fez. As outras cinco são de elogios à garota — realmente, os caras não parecem muito acostumados a ver uma garota cuidando do próprio carro.

Mas você acha que a história acaba aqui? Não mesmo. No início do post, dissemos que ela também tem um Honda Civic Type R — um dos hot hatches japoneses mais adorados de todos os tempos, com motor B16B 1.6, com 16 válvulas, comando variável VTEC e 185 cv. O carro foi comprado há poucas semanas, e se tornou seu daily driver — o que significa que o Saxo vai ficar parado nos próximos meses.

vti (1)

O CTR está bem conservado, mas precisa de alguns reparos estéticos — Nicole diz que alguém tentou arrombar a porta do lado do passageiro, danificando a pintura e amassando as soleiras. Não vamos surpreender se Nicole fizer todo o trabalho ela mesma.

E se você pensa que Nicole é menos feminina por gostar e mexer com carros, saiba que ela é uma garota como qualquer outra: em seus perfis no Facebook e no Instagram, os carros dividem espaços com looks de moda, roupas, sapatos e maquiagem. Realmente, o que temos aqui é um caso de graxa com perfume.

Vendo a história de Nicole, é impossível não lembrar da Thais Roland e de seu Maverick. A quantas será que anda o projeto de restauração do possante?

Você pode acompanhar o tópico do Saxo e do Civic Type R no fórum Detailing World. Só não vá se apaixonar!

[ Fotos: Nicole Harashima ]

Matérias relacionadas

Wörthersee Treffen 2015: confira o que está rolando no maior encontro de VW do planeta

Dalmo Hernandes

2.400 km, impecável e todo original: conheça o Mazda RX-7 de Cody Walker, o irmão de Paul Walker

Dalmo Hernandes

Subaru Levorg BTCC: uma perua WRX para acelerar no asfalto

Dalmo Hernandes