A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Novo Golf “vaza” antes do lançamento, Equinox fica R$ 12.000 mais barato, T-Cross terá versão PCD e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Golf Mk8 aparece antes da hora em fotos “vazadas”

Sem sem surpreender a ninguém, vazaram ontem (23) algumas imagens oficiais do novo Volkswagen Golf – fotos de qualidade, com boa resolução. Ou seja: boa parte da espera chegou ao fim, e agora sabemos como é a oitava geração do hatchback.

Como esperado, a Volks manteve o perfil clássico, com a coluna “C” bem larga, linha de cintura alta e formas limpas e elegantes. O que mudou bastante, porém, foi a dianteira: agora, grade e conjunto óptico são mais estreitos, e ficam em uma posição mais baixa. Os faróis possuem um contorno irregular, com um filete iluminado que se destaca na parte superior, e causa a ilusão de que faróis e grade são uma só peça. O para-choque dianteiro agora trás uma entrada de ar maior.

Na traseira, vê-se lanternas de contorno irregular, mas horizontais e elevadas, como no antigo. No geral, é um Golf com uma nova assinatura de estilo, mas a mesma essência, sob quase todos os ângulos. As fotos mostram o Golf R-Line e o Golf GTE, sendo que este último tem um conjunto dianteiro mais agressivo, com grade do tipo “favo de mel”, e detalhes em azul nos faróis.

No interior, a evolução é menos discreta. Agora, como é costume entre os designers automotivos, a arquitetura do painel de instrumentos é horizontal, com formas mais esbeltas e minimalistas; a central multimídia é ligada à moldura do quadro de instrumentos; e o volante é uma peça inédita.

A Volkswagen ainda não dá detalhes técnicos a respeito do novo Golf – teremos de esperar ainda algumas horas –, mas é dada como certa a manutenção da família de motores TSI, em versões 1.0 três-cilindros, e 1.5 e 2.0 quatro-cilindros, provavelmente incluindo algum tipo de eletrificação. Na Europa, também haverá modelos com motor 2.0 turbodiesel. Para o ano que vem, espera-se as versões esportivas GTI, GTE e R.

A fabricante já afirmou que, em um primeiro momento, não pretende dar uma versão elétrica ao Golf Mk8, a fim de evitar concorrência interna com o recém-lançado Volkswagen ID.3.

Saberemos mais daqui a pouco – fique ligado no FlatOut para conferir o post de lançamento, que será publicado hoje. A apresentação está marcada para as 15:30, horário de Brasília. (DH)

 

Yamaha interrompe desenvolvimento de automóveis por tempo indeterminado

Embora seja bem mais conhecida por suas motocicletas, a Yamaha Motor também atua no segmento dos carros, prestando consultoria a fabricantes no desenvolvimento de motores (como o do Ford Taurus SHO) e, ocasionalmente, apresentando conceitos de quatro rodas, como o Yamaha OX99-11. Quer dizer, eles costumavam fazer isto: a empresa japonesa anunciou que está encerrando todos os seus projetos automotivos por tempo indeterminado.

Isto é relevante porque, em 2015, a Yamaha apresentou no Salão de Tóquio o Sports Ride Concept, um esportivo de motor central-traseiro feito sobre a plataforma iStream, de Gordon Murray, com monocoque de fibra de carbono e peso de apenas 750 kg. Na época, falava-se na possibilidade de colocar o Sports Ride Concept em produção, com uma série de pelo menos 1.000 unidades. O conjunto mecânico ainda não havia sido definido e, pelo visto, nunca será.

Segundo os britânicos da Autocar, o porta-voz da Yamaha, Naoto Horie, afirmou que os carros não fazem mais parte dos planos da Yamaha, nem mesmo a longo prazo. Segundo ele, foi o próprio presidente da Yamaha, Yoshihiro Hidaka, quem tomou a decisão. “Não conseguimos encontrar um jeito de fazer um carro que se destaque da concorrência, que é muito forte”, completou Horie. “O esportivo, em particular, tinha muito apelo para nós entusiastas, mas o mercado é difícil.”  (DH)

 

Jaguar XE chega a 2020, parte de R$ 246.000

A Jaguar apresentou ontem (23) a linha 2020 do sedã XE. E o carro muda pouco: ele agora tem faróis full LED, grade redesenhada, novos para-choques e novas rodas, enquanto o lado de dentro adota um quadro de instrumentos digital, com tela de 12,3 polegadas; central multimídia com tela de 10 polegadas; e uma terceira tela, logo abaixo da central, para controlar o ar-condicionado e outros sistemas do veículo.

A princípio, a a única versão disponível é a R-Dynamic S, com motor 2.0 turbo Ingenium de 250 cv e câmbio automático de oito marchas – que agora, em vez do seletor giratório (que podia ser um tanto irritante), utiliza uma alavanca mais tradicional.

O preço inicial é de R$ 245.900. Um pacote fixo de opcionais, que inclui pintra metálica, carregador por indução, teto solar e rodas de 18 polegadas, leva o preço a R$ 267.750. (DH)

 

Subaru Levorg antecipa nova geração do WRX

A Subaru apresentou no Salão de Tóquio nesta semana uma prévia da nova geração do Subaru Levorg, a perua do WRX vendida somente no Japão. Apesar de não ter a menor chance de vir para o Brasil, ela antecipa a nova geração do WRX, que deverá ser trazida como todas as antecessoras.

O design não traz grandes novidades, apresentando um estilo evolutivo — aparentemente um padrão do momento — mantendo a grade destacada e os faróis incisivos, porém com um novo elemento de LED incorporado como luz diurna, remetendo às linhas conceituais do Subaru Viziv. Por baixo da carroceria, contudo, é onde as mudanças aconteceram.

Primeiro, ele agora é baseado na plataforma Subaru Global, que estreou em 2017 com o Impreza. Depois, ele vem equipado com um motor 1.8 turbo com injeção direta e injeção estratificada, trabalhando com razão estequiométrica enxuta (menos combustível por partes de ar). Considerando que o motor EJ20 foi aposentado, parece claro que o próximo WRX irá usar uma variação mais radical deste novo 1.8 turbo, que deverá chegar aos 250 cv.

Lançado em 2015, o atual WRX deverá ser substituído até 2021, o que significa que veremos a próxima geração entre o final de 2020 e o início de 2021. (LC)

 

Volkswagen terá versão PCD do T-Cross

Com as vendas de crossovers compactos em alta no segmento PCD, a Volkswagen decidiu pegar sua fatia do bolo. A fabricante irá lançar em novembro a versão Sense do T-Cross, destinada ao segmento para pessoas com deficiência. O modelo deverá ser oferecido por R$ 69.990 e, com todos os descontos e isenções, poderá chegar aos R$ 57.690.

Por esse preço a versão Sense terá o motor 1.0 TSI de 128 cv e 20,4 kgfm com o câmbio automático de seis marchas, sensor de estacionamento traseiro, sistema multimídia, controle de estabilidade e bancos de tecido, um pacote semelhante ao do Polo Sense. As primeiras unidades deverão ser entregues em janeiro de 2020. (LC)

 

Chevrolet Equinox tem preço reduzido em até R$ 18.900 em reajuste

A Chevrolet fez um reajuste dos preços do Equinox e baixou o preço das duas versões do SUV. A versão de entrada LT baixou de R$ 151.390 para R$ 132.490, um desconto de R$ 18.900. Já a topo de linha Premier teve o preço reduzido de R$ 172.90 para R$ 159.990, R$ 12.100 a menos no valor.

Essas reduções buscam em aumentar a participação do modelo no competitivo mercado de SUV, deixando os preços mais próximos de concorrentes que como o Jeep Compass e o Volkswagen Tigual Allspace. O SUV da Chevrolet está em quarto lugar nas vendas da categoria. O Equinox não recebeu mudanças na motorização ou no pacote de equipamentos junto do reajuste de preços. (ER)

 

Daihatsu apresenta o novo Rocky, carro que deverá inspirar o futuro SUV compacto nacional da Toyota

A Daihatsu apresentou no Salão de Tóquio a versão de produção do Rocky, seu novo SUV compacto que compartilhará plataforma com um futuro SUV da Toyota confirmado para ser produzido no Brasil. O nome Rocky foi resgatado de um jipe compacto que a Daihatsu vendeu entre 1989 e 2002, mas o novo Rocky usa estrutura tipo monobloco com tração dianteira ou integral, ao contrário do antigo que usava chassi tipo escada e tração 4×4 com reduzida.

O novo Rocky usa a variante curta da plataforma TNGA, a mesma do novo Corolla. As medidas são bastante compactas, 3,99 m de comprimento, 1,69 m de largura e 2,52 m de entre-eixos, o comprimento e a largura estão no limite para poder enquadrar o carro na categoria de carros compactos da legislação japonesa. O comprimento abaixo de quatro metros também enquadra o Rocky na faixa mais baixa de taxação do mercado indiano. O peso também é mínimo: 980 kg.

O nosso palpite e de que no Brasil o carro será diferente, com estilo adequado a linha Toyota e medidas maiores para agradar ao gosto brasileiro. O que deve ser aproveitado do Rocky no SUV nacional da Toyota é o motor 1.0 turbo de três cilindros, que produz 98 cv e 14,3 kgfm, equipado com cambio manual de seis marchas ou CVT. O Rocky passa a ser o menor SUV feito pela Toyota e representa o incio da ofensiva da marca no popular mercado de SUV compactos. (ER)

Matérias relacionadas

De onde vêm as palavras motorista, piloto, dirigir e pilotar – e o que elas realmente significam?

Leonardo Contesini

Cinco fatores que tornam o asfalto brasileiro tão ruim

Leonardo Contesini

Tem um motor V10 Honda de Fórmula 1 à venda – mas o que daria para fazer com ele?

Dalmo Hernandes