Novo Polo 2018 chega com plataforma do Golf, motores turbo e preço competitivo – confira tudo sobre ele

Dalmo Hernandes 26 setembro, 2017 0
Novo Polo 2018 chega com plataforma do Golf, motores turbo e preço competitivo – confira tudo sobre ele

Aos poucos as incertezas a respeito dos modelos da Volkswagen no Brasil vão desaparecendo. Agora, sabemos que o Fox está mesmo de saída, perdendo até versões populares entre o público como o CrossFox, a fim de abrir espaço para a grande novidade: o Volkswagen Polo de sexta geração, que foi apresentado na noite de ontem (25) e traz de volta um nome bem sucedido no Brasil em um pacote atual, enfim. O novo Polo tem plataforma modular MQB, usa apenas motores modernos, está entre os mais seguros da categoria e custa menos do que todo mundo esperava. Será que agora a Volks acertou?

Difícil responder logo de cara (sempre é), mas a Volkswagen decidiu ser agressiva e não poupar esforços contra a concorrência – para nós, em especial contra o Fiat Argo que, apesar de sofrer com falta de consistência no projeto, é um carro feito sob medida para o gosto do brasileiro médio, com visual e descolado, proporções robustas e mecânica tradicional. Notamos que a Volks quer nivelar a briga por cima: em quase todos os aspectos o nosso Polo é igual ao europeu, e não um projeto adaptado para países emergentes como o nosso (embora, é claro, tenha sido tropicalizado, como é praxe entre as fabricantes).

Novo Polo Highline 200 TSI Abstract concrete geometric structure background. 3D rendering

Entre as diferenças que se vê logo de cara está o desenho da dianteira, que no modelo brasileiro é exclusivo e traz uma entrada de ar maior, além de elementos internos diferentes nos faróis. A VW diz que chegou ao novo design através de clínicas com clientes, resultando em mais vincos e linhas mais marcadas. Não mudou muito, o que é bom.

Pelas fotos não dá para perceber, mas de perto o Polo não é tão parecido com um Gol e também é maior do que parece, com dimensões semelhantes às do Golf Mk4: o Polo tem 4,05 m de comprimento, 1,75 m de largura, 1,45 m de altura e 2,56 m de entre-eixos; enquanto o velho Golf tem 4,15 m de comprimento, 1,73 m de largura, 1,44 m de altura e 2,51 m de entre-eixos — mais uma evidência de que os carros cresceram bastante. Mas o tamanho mais avantajado se traduziu em um porta-malas bem mais que razoável, com capacidade para 351 litros – 21 litros a mais que o Golf Mk4. O novo Polo também pesa 44 kg a menos que a geração anterior. Tudo isto é reflexo da adoção da plataforma modular MQB, a mesma do Golf atual, que usa ligas de aço de alta resistência e exigiu algumas mudanças no ferramental da fábrica da Anchieta, em São Bernardo do Campo/SP.

Armacao2

 

O novo Polo recebeu cinco estrelas na classificação do Latin NCAP, fazendo 32,13 de 34 pontos possíveis no quesito colisão frontal e 43 pontos de 49 possíveis no quesito colisão lateral. Vale lembrar, contudo, que o teste foi feito com um exemplar cedido pela Volkswagen, e não comprado pela organização. Mais adiante será realizado um teste com um exemplar exatamente igual aos que rodarão nas ruas. Na ocasião do lançamento do VW Up, o Latin NCAP também testou um exemplar cedido pela fabricante, que obteve cinco estrelas; e quando o teste foi repetido com uma unidade “de rua”, o resultado foi o mesmo. Com o Polo, deverá acontecer a mesma coisa.

O interior do Polo Mk6 segue a linha visual dos outros modelos da Volkswagen, porém a disposição dos elementos e o desenho dos detalhes trazem um ar mais moderno e jovial, com formas limpas e linhas marcadas, além de uma central multimídia com tela de oito polegadas, três entradas USB e posição mais elevada. Além disso, as versões mais caras têm painel digital Active Info Display, com tela de 10,2 polegadas (que a Volks faz questão de dizer que é “do tamanho de um tablet”). O cluster é programável e pode simular instrumentos analógicos, caso desejado, podendo ser programado também para exibir mapas em 2D e 3D para a navegação GPS.

Active Info Display (7) Active Info Display (1)

O novo Polo chega com três motores diferentes: o 1.0 MSI naturalmente aspirado de 84/75 cv (E/G) para a versão de entrada; o 1.6 MSI de 117/110 cv na versão intermediária; e o 1.0 TSI de 128/116 cv para as versões de topo. Como você já deve ter presumido, os 1.0 têm três cilindros e o MSI é um quatro-cilindros. São quatro versões: Polo (só “Polo”, mesmo), MSI, Comfortline 200 e Highline 200. A primeira está disponível com o motor 1.0 MSI e câmbio manual de cinco marchas; a segunda, com o motor 1.6 16v MSI combinado ao câmbio manual de cinco marchas; e as duas últimas, com o motor 1.0 200 TSI combinado apenas ao câmbio automático de seis marchas (Tiptronic).

Novo Polo Highline 200 TSI (28) Novo Polo Highline 200 TSI (27) Novo Polo Highline 200 TSI (25)

O “200” no nome do motor se refere ao torque, que equivale a 200 Nm (a medida mais comum na Europa) e está todo disponível a partir das 2.000 rpm. É a primeira vez que o motor 1.0 turbo três-cilindros da VW é acoplado a um câmbio automático no Brasil – a transmissão de seis marchas não cabia no Up TSI e no Golf foi usado apenas nas versões com motor 1.4 TSI. Dito isto, o câmbio do Polo pode ser encontrado no Audi A3 e no Volkswagen Jetta com motor 2.0 naturalmente aspirado. Segundo a VW, todas as versões do Polo têm selo “A” do Inmetro em economia de combustível.

O que todas as versões também têm: quatro airbags (dois frontais e dois laterais), direção elétrica, ar-condicionado, vidros elétricos nas quatro portas (sendo que  são um-toque), travas elétricas, faróis de dupla parábola e chave canivete com controle remoto.

Novo Polo (5) Abstract concrete geometric structure background. 3D rendering

Outros itens de série presentes em todo Polo são: computador de bordo, para-sóis iluminados para motorista e passageiro, tomada de 12V no console central, suporte para celular no painel com entrada USB para carregamento e regulagem de altura para o banco do motorista, além de ancoragem Isofix para cadeirinhas infantis no banco de trás.

 

Versões, Preços e Equipamentos

Novo Polo (2)

Polo (R$ 49.990): todos os itens citados acima. Há dois pacotes de opcionais: o primeiro, “Connect” (R$ 2.600), inclui sistema Composition Touch, I-System, volante multifuncional, controles de tração e estabilidade e bloqueio eletrônico do diferencial. O segundo, “Safety” (R$ 1.050), traz apenas as babas eletrônicas.

Polo 1.6 MSI (R$ 54.990): traz todos os itens de série e os mesmos pacotes de opcionais do Polo 1.0.

Novo Polo Highline 200 TSI (1)

Polo Comfortline 200 TSI (R$ 65.190): traz todos os itens de série citados acima, mais banco traseiro bipartido, coluna de direção ajustável em altura e distância, controle de estabilidade, faróis de neblina direcionais, central multimídia Composition Touch com tela de 6,5”, rodas de liga leve de 15” com pneus 185/65/15, sensores de estacionamento traseiros, ajuste elétrico dos retrovisores externos, descanso de braço dianteiro com porta-objetos, lanternas traseiras escurecidas e volante multifuncional.

Os pacotes de opcionais são dois. O primeiro “Tech I” (R$ 2.200, já com desconto de lançamento), inclui sistema “Kessy” para abertura e fechamento das portas sem chave e partida no botão, cruise control, sensores de estacionamento dianteiros, retrovisor interno eletrocrômico, volante multifuncional com aletas para troca de marcha, faróis com ajuste automático de intensidade e rodas de 16 polegadas. O segundo, “Tech II” (R$ 3.500, já com o desconto), inclui, além de todos os itens anteriores, indicador de pressão nos pneus, ar-condicionado digital, porta-malas com divisórias, câmera traseira, detector de fadiga, câmera de ré, frenagem automática pós-colisão, volante revestido em couro e detalhes em preto brilhante no interior.

Novo Polo Highline 200 TSI (2)

Polo Highline 200 TSI (R$ 69.190): todos os itens de série anteriores, mais sistema “Kessy”, cruise control, ar-condicionado digital, banco do passageiro rebatível, descanso de braço dianteiro com porta-objetos e duas portas USB para carregamento, porta-luvas refrigerado, faróis de neblina direcionais, luz diurna de LED, rodas de 16 polegadas com pneus 195/55, sobretapetes e volante revestido em couro com aletas para trocas de marcha.

Os pacotes de opcionais são três. O primeiro, “Couro Native” (R$ 800), faz o que o nome indica e adiciona couro sintético nos bancos e revestimentos das portas. O segundo, “Tech High” (R$ 2.800, já com desconto), inclui os sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, indicador de pressão nos pneus, porta-malas com divisórias e rede porta-objetos, antena tubarão, câmera traseira, detector de fadiga, retrovisor eletrocrômico, farol com ajuste automático de intensidade e função coming/leaving home, frenagem automática pós colisão, sensores de chuva e crepuscular e central multimídia “Discover Media”, com tela de oito polegadas. O terceiro pacote, “Technology” (R$ 4.500), adiciona o Active Info Display e rodas de liga leve de 17” com pneus 205/50.

Abaixo temos as cores disponíveis:

IMG_2688

Painel de instrumentos (1)

São preços bastante competitivos, como fizemos questão de mencionar no título deste post, e nos parece evidente que a Volkswagen está mirando no Fiat Argo (que parte de R$ 47.000 e vai até R$ 79.000). E, veja só, a impressão é de que seu principal argumento é o custo-benefício: enquanto o Argo parece querer brigar com versões recheadas de modelos em um segmento abaixo do seu, como o Hyundai HB20, o Chevrolet Onix ou mesmo o VW Gol, a Volswagen aposta em um carro mais parecido com o segmento superior (basta ver a semelhança com o Golf em porte e construção) por um preço comparável ao do Fiat, e mais fiel à sua contraparte europeia. Aliás, esta é a pegada da Volks há alguns anos – basta lembrar de como a marca fez o mesmo com o Up há pouco tempo.

A Volkswagen está realizando hoje o test drive com a imprensa, e o FlatOut, claro, está presente no evento. Nos próximos dias traremos nossas impressões sobre o carro, com direito a um review em vídeo. Fique ligado!